WhatsApp Twuitter

Terça, 13 de junho de 2017, 11h09

Tropa de choque do governo obstrui sessão da Câmara que discute PEC das Diretas


Com obstrução dos governistas, começou nesta terça-feira, 13, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara a reunião exclusiva para debater a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que estabelece eleições diretas. De autoria do deputado Miro Teixeira (Rede-RJ), a PEC propõe eleições no caso de vacância da Presidência da República, exceto nos seis últimos meses do mandato.

Governistas desavisados que vinham marcar presença eram orientados por assessores a não registrá-la, o que levou a sessão a um atraso de 45 minutos por falta de quórum. Deputados da base aliada menos alinhados com o Palácio do Planalto registraram presença, assim como os membros da ‘tropa de choque‘ do governo, que abriram a sessão em obstrução, com uma série de requerimentos para retardar o andamento dos trabalhos. Com receio de não ter votos suficientes para barrar a PEC, os governistas não estão permitindo que os debates sobre o tema avancem. ‘O governo obstrui o debate assumidamente‘, reclamou o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ).

A oposição veio munida de placas de protesto com os dizeres: ‘Vampiro teme a luz, corrupto teme diretas‘, ‘fujões apareçam para o debate‘ e ‘governistas fogem do debate!‘.

O deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) acusou os governistas de não permitirem a participação popular numa eventual escolha do substituto de Michel Temer. Em um duro discurso, Molon destacou que o governo faz chantagem com o PSDB, usando a possibilidade de cassação do senador Aécio Neves (PSDB-MG) para manter o aliado. ‘É um governo mentiroso e covarde, além de corrupto‘, afirmou.

Em nome da base governista, o deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA), pregou a importância de se manter a governabilidade. ‘Nós precisamos voltar à normalidade da vida nacional‘, disse.

Desde que a crise política se agravou com a divulgação da delação premiada do empresário Joesley Batista, da JBS, a oposição tenta votar a PEC na CCJ. Sob pressão dos oposicionistas, o presidente da comissão, Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), cedeu e marcou a sessão exclusiva para hoje, contrariando os governistas. 



// matérias relacionadas

Domingo, 25 de junho de 2017

12:13 - Base aliada de Michel Temer teria 60% de fundo eleitoral

Sexta, 23 de junho de 2017

12:06 - Gravíssimo, diz FHC sobre denúncia de Temer

12:02 - Senadores se declaram independentes

11:55 - Viagem de Temer à Noruega vira um dos assuntos mais comentados no Twitter

08:17 - Temer é recebido sob protestos em reunião com governo da Noruega

Quinta, 22 de junho de 2017

11:36 - Após novo revés no Congresso, Temer diz que reformas são inadiáveis

11:02 - Redução de áreas de florestas na Amazônia voltará para análise do Congresso

10:53 - Temer chega a Oslo, em meio a promessa de protestos

Quarta, 21 de junho de 2017

08:26 - Temer indicou doações de R$ 20 milhões com dinheiro do FI-FGTS, diz Funaro

Terça, 20 de junho de 2017

11:16 - Alckmin diz que é preciso aguardar para se posicionar sobre Temer e Aécio


// leia também

Domingo, 25 de junho de 2017

16:53 - Câmara volta a apreciar na terça MP devolvida pelo Supremo

11:14 - Em projeto de Jucá, fatia para o PMDB é de R$ 550 milhões

11:02 - Lava Jato lidera ranking das prisões por corrupção no Brasil

10:51 - Desde 2013, prisões por corrupção crescem 288%

09:30 - Operação dita embate de ministro Barroso com Gilmar Mendes

Sábado, 24 de junho de 2017

11:40 - Polícia Legislativa apura carta enviada com fezes para Maia

09:21 - PF deve entregar relatório final do inquérito que investiga Temer na segunda

09:15 - PF conclui que não houve edição em áudio de conversa entre Temer e Joesley

Sexta, 23 de junho de 2017

16:30 - Polícia Federal apreende 15 joias na casa da irmã de Adriana Ancelmo

16:09 - Palestras sobre corrupção e Lava Jato rendem R$ 219 mil a Deltan Dallagnol