WhatsApp Twuitter

Terça, 10 de outubro de 2017, 20h04

Projeto prevê indenização a vítimas de violência sexual e doméstica


Projeto aprovado nesta terça-feira (10) pela Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Cãmara prevê que o Estado será obrigado a pagar indenização de até 60 salário mínimos aos dependentes de vítimas de crimes de violência sexual e doméstica, nos casos em que ficar comprovada a negligência do Poder Público. A proposta também prevê pagamento de pensão para dependentes das vítimas.

Pelo texto, que segue agora para análise das comissões de Finanças e Tributação e de Constituição e Justiça, caso a vítima sofra agressão que a deixe com sequelas e a impeça de trabalhar, ela poderá requerer aposentadoria por invalidez no valor de pelo menos um salário mínimo, independentemente de carência ou de ser segurada do Regime Geral de Previdência Social (RGPS).

Para a relatora do projeto, deputada Flávia Morais (PDT-GO), a proposta está de acordo com os compromissos internacionais assumidos pelo Brasil em razão da aprovação e promulgação da Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher.

“Diariamente, chegam ao nosso conhecimento inúmeros casos de mulheres que, mesmo após buscarem socorro policial ou até mesmo judicial, acabam se tornando vítimas fatais de seus agressores. O Estado se omite ou negligencia a proteção à ofendida, quando deveria agir para garantir sua integridade física. Nesse panorama, a proposição em análise se revela extremamente oportuna”, argumentou a deputada.

O texto aprovado hoje na Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher é um substitutivo ao projeto original apresentado pela deputada Jô Moraes (PCdoB-MG). A proposta inicial garantia à vítima de violência doméstica ou sexual indenização de R$ 50 mil, acrescida de pensão mensal de R$ 510, corrigida anualmente, aos filhos menores de 18 anos ou incapazes. No substitutivo, o valor da indenização foi fixado em salários mínimos.

“Busca-se, com tal proposta, uma atuação mais efetiva do Poder Público no combate à violência doméstica e familiar contra a mulher”, ressaltou Flávia Morais.



// matérias relacionadas

Quarta, 06 de dezembro de 2017

08:16 - Homem ameaça companheira de morte e diz que era agredido

Sexta, 24 de novembro de 2017

08:50 - 27% das mulheres nordestinas já sofreram violência doméstica

Quinta, 09 de novembro de 2017

12:40 - Temer veta concessão de medida protetiva pela polícia

Quinta, 12 de outubro de 2017

12:44 - Senado muda Lei Maria da Penha e organizações pedem que Temer vete

Terça, 10 de outubro de 2017

21:43 - Brasil tem quase 900 mil processos de violência contra a mulher

Quinta, 24 de agosto de 2017

20:12 - Escola do Tijucal recebe palestra sobre violência

Quarta, 09 de agosto de 2017

17:01 - Homem que manteve mulher e filhos em cárcere privado tem outra família

Terça, 08 de agosto de 2017

19:24 - Homem mantém jovem de 24 anos e 2 filhos trancados

14:58 - Mulher agredida pelo ex cria site para ajudar outras vítimas de violência

Sexta, 10 de março de 2017

08:21 - 395 policiais militares foram denunciados por violência doméstica


// leia também

Quarta, 13 de dezembro de 2017

19:30 - Mais uma ação penal contra Eduardo Cunha vai para as mãos de Moro

18:30 - Projeto que altera lei dos Planos de Saúde não será votado este ano

18:00 - Irmão de Cabral assume ter recebido dinheiro por empresa e não prestado serviço

13:56 - Agentes da PF deixam a Câmara, e deputado Gaguim refuta acusações

13:47 - 'Quero ser inocentado para ser candidato', diz Lula

11:50 - Brasil está indo tão bem ou melhor do que no governo Lula, diz Meirelles

11:49 - PF vasculha casa do governador do Tocantins

11:46 - Não quero ser candidato se for culpado, afirma Lula em reunião com bancadas

11:45 - Marco Aurélio vota a favor de a PF realizar acordo de colaboração premiada

11:45 - Executiva do PSDB decide fechar questão a favor da reforma da Previdência