WhatsApp Twuitter

Quinta, 12 de outubro de 2017, 11h08

Ameaça de Maia de ignorar MPS põe em risco R$ 17 bilhões


A ameaça do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), de não colocar mais em pauta no plenário da Casa medidas provisórias do governo Michel Temer coloca em risco uma série de ações já anunciadas pela equipe econômica. Somadas, elas teriam um efeito fiscal positivo de R$ 17,3 bilhões em 2018, segundo levantamento do Estadão/Broadcast. Foram consideradas nesse cálculo medidas para aumentar a arrecadação e para reduzir despesas.

Billy Boss/Câmara dos Deputados

A declaração de Maia é um problema para o governo porque as Medidas Provisórias têm efeito imediato. Elas começam a valer assim que são publicadas pelo Poder Executivo e só depois são analisadas pelo Congresso. O outro mecanismo legal que pode ser usado pelo governo são os Projetos de Lei, mas a tramitação deles é bem mais desgastante: precisam ser aprovados na Câmara e no Senado e só passam a valer depois que são sancionados pelo presidente.

Medidas Provisórias que tratam de aumento de tributos ou de corte de despesas, por exemplo, podem ter impacto imediato no caixa da União. O atraso na aprovação dessas MPs, caso Maia cumpra sua ameaça, pode exigir medidas adicionais além das que foram anunciadas para evitar o descumprimento da meta fiscal do ano que vem, que permite déficit de até R$ 159 bilhões, afirmam fontes da área econômica.

Além do risco para as contas públicas, travar a votação das MPs deixa em suspenso o programa de financiamento estudantil (Fies), a possibilidade de o governo firmar acordos de leniência com bancos e a ampliação de investimentos no setor de petróleo.

O desabafo feito por Maia nesta semana sobre a forma como o atual governo exagera no envio de MPs ao Congresso ocorreu antes mesmo de o Planalto enviar um pacote de medidas provisórias que teriam o maior impacto para as contas públicas no próximo ano. As propostas de aumento de receita foram antecipadas pelo governo em agosto, mas, quase dois meses depois, o pacote não foi encaminhado ao Congresso para não prejudicar as negociações que tentam barrar a segunda denúncia contra Temer na Câmara.

Segundo uma fonte da equipe econômica, quanto mais tempo o governo adia o envio das medidas, maior é a perda de receitas em relação ao que foi estimado. Apenas a tributação de fundos de investimentos exclusivos tem o objetivo de gerar receitas extras de R$ 6 bilhões no próximo ano. A medida provisória com o tema está pronta - mas ainda não foi enviada - e tem de ser aprovada até o fim do ano para entrar em vigor em 2018.

Entre as MPs que já tramitam no Congresso, e portanto já estão em vigor, o efeito fiscal para 2018 é menor, mas não desprezível. A medida provisória que cria o Programa de Desligamento Voluntário (PDV) do Governo Federal, pode trazer uma economia de R$ 1 bilhão no próximo ano.

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse ontem que o governo está analisando essas questões. ‘Já há discussão de permitir cada vez menos MPs. Vamos levar em conta essa manifestação do presidente da Câmara, muito relevante.‘



// matérias relacionadas

Segunda, 18 de junho de 2018

07:22 - Leitão corre atrás de assinaturas para diminuir deputados e senadores

Segunda, 04 de junho de 2018

21:30 - Maia pauta projeto que pode dobrar número de pontos na CNH de caminhoneiros

Sexta, 11 de maio de 2018

07:50 - Dodge quer investigação envolvendo Bezerra e Cunha no DF

Quinta, 01 de março de 2018

08:15 - Câmara aprova projeto que aumenta pena para roubo com explosivos

Quarta, 28 de fevereiro de 2018

10:56 - José Medeiros é eleito líder da bancada federal de Mato Grosso

Quarta, 21 de fevereiro de 2018

20:41 - Leitão deixa presidência da bancada ruralista

Segunda, 19 de fevereiro de 2018

07:00 - Bancada de Mato Grosso escolhe líder nesta terça

Quinta, 15 de fevereiro de 2018

10:57 - Valtenir e Medeiros disputam coordenação da bancada federal de MT

Quarta, 22 de novembro de 2017

21:15 - CCJ da Câmara aprova PEC que restringe foro privilegiado

Sexta, 03 de novembro de 2017

18:45 - Rodrigo Maia nega ter 'pedido a cabeça' do ministro Torquarto


// leia também

Quarta, 20 de junho de 2018

08:47 - Supremo retoma julgamento sobre poder de delegados para negociar delações

08:32 - STF absolve Gleisi por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro

Terça, 19 de junho de 2018

19:00 - Rosa Weber arquiva inquérito contra deputado federal Paes Landim

18:30 - Governador da Bahia adia anúncio de chapa majoritária

18:00 - Advogado de Gleisi diz que acusações são 'frágeis' e 'contraditórias'

17:03 - Sem citar Temer, Kassab defende legado do governo

17:02 - Ciro Gomes é vaiado e deixa evento para prefeitos de Minas Gerais

15:47 - Garotinho é condenado a prestar serviços à comunidade

13:46 - Em vídeo, Gleisi afirma que denúncia no STF é perseguição contra PT

13:36 - Em nova campanha, Temer vincula impopularidade à crise de governos passados