WhatsApp Twuitter

Segunda, 08 de janeiro de 2018, 15h39

Meirelles confirma que governo adiará discussão sobre mudanças na regra de ouro


O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, confirmou nesta segunda-feira, 8, que o governo adiará a discussão sobre alterações na regra de ouro para depois da votação da reforma da Previdência. Segundo ele, a ideia não é suspender a regra constitucional, mas criar mecanismos de ajustamento em caso de descumprimento da norma.

‘Achamos que essa não é uma discussão adequada neste momento. Surgiu uma proposta parlamentar, mas a prioridade é resolver a questão fiscal do País. Temos uma votação mais importante, que é a reforma da Previdência. Essa é a nossa prioridade: discutir e se possível votar a reforma da Previdência‘, afirmou.

De acordo com o ministro, não entrará em discussão a suspensão da regra, mas ajustes em caso de descumprimento que, pela legislação atual, acarreta crime de responsabilidade. ‘Tivemos reunião hoje (segunda-feira) com o presidente Michel Temer sobre a regra de ouro e a orientação dele confirma a nossa opinião de que não deve haver uma flexibilização ou uma suspensão pura e simples da norma‘, afirmou. ‘Não estamos contemplando o levantamento da regra puro e simples, mesmo que temporário‘, completou.

Segundo Meirelles, a proposta é criar o acionamento automático de certos mecanismos, como ocorre com o teto de gastos, que, se descumprido, obriga a cortes imediatos de gastos, como suspensão de reajustes do funcionalismo.

‘O que iremos estudar no momento adequado serão regras de ajustamento. Estamos todos caminhando na mesma linha, não há dúvida que é orientação correta e adequada‘, avaliou.

O ministro garantiu que o governo continua comprometido com o ajuste fiscal e enfatizou que irá cumprir a regra de ouro e o teto de gastos este ano. ‘A devolução de recursos do BNDES será concluída positivamente e é importante para cumprir a regra de ouro. Para 2018, a situação está equacionada. O governo vai cumprir a regra de ouro este ano. Ponto. A preocupação é com os anos futuros‘, concluiu.



// matérias relacionadas

Domingo, 17 de junho de 2018

10:45 - MP recomenda que empresas informem contratação de painéis publicitários

09:05 - Plataformas online monitoram atividade de políticos

Sábado, 16 de junho de 2018

11:17 - Ex-reitora da UFMT admite dificuldade na disputa ao Senado

Sexta, 15 de junho de 2018

17:29 - Aécio decidirá 'no tempo oportuno' se é candidato ou não, diz Anastasia

13:55 - 'Datena tem espírito público, gosto do jeitão dele', diz Alckmin

Sábado, 09 de junho de 2018

09:06 - Maia já articula reeleição à presidência da Câmara

08:55 - Magno Malta diz a Bolsonaro que não será vice

Quinta, 07 de junho de 2018

14:07 - Quando atingir 2 dígitos, ele liga para mim, diz Bolsonaro sobre Alckmin

09:55 - Selma Arruda pode disputar Senado em 'chapa branca', diz Galli

Quarta, 06 de junho de 2018

16:30 - Flávio Rocha lança movimento na Câmara e defende 'privatização radical'


// leia também

Segunda, 18 de junho de 2018

17:30 - Justiça condena Marcos Valério a 16 anos e 9 meses de prisão no mensalão mineiro

17:15 - Promotoria arquiva inquérito de caixa dois na campanha de Mercadante

16:25 - Alckmin afina alianças do PSDB com PSD em jantar na casa de Kassab

16:18 - Conselho de Ética da Câmara deve instaurar processo contra Nelson Meurer

16:04 - Não seria demais falar que quase tudo está errado no Brasil, diz Bolsonaro

13:30 - Cármem Lúcia assume a Presidência da República

13:18 - Alckmin diz que apoio de Temer seria honroso, mas lembra que MDB tem candidato

12:30 - Polícia Civil investiga ações do ex-senador Luiz Estevão na Papuda

11:14 - Cármen Lúcia marca para 20/6 retomada de julgamento sobre delação premiada

11:04 - Temer está no Paraguai para participar de reunião de cúpula do Mercosul