WhatsApp Twuitter

Segunda, 08 de janeiro de 2018, 15h39

Meirelles confirma que governo adiará discussão sobre mudanças na regra de ouro


O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, confirmou nesta segunda-feira, 8, que o governo adiará a discussão sobre alterações na regra de ouro para depois da votação da reforma da Previdência. Segundo ele, a ideia não é suspender a regra constitucional, mas criar mecanismos de ajustamento em caso de descumprimento da norma.

‘Achamos que essa não é uma discussão adequada neste momento. Surgiu uma proposta parlamentar, mas a prioridade é resolver a questão fiscal do País. Temos uma votação mais importante, que é a reforma da Previdência. Essa é a nossa prioridade: discutir e se possível votar a reforma da Previdência‘, afirmou.

De acordo com o ministro, não entrará em discussão a suspensão da regra, mas ajustes em caso de descumprimento que, pela legislação atual, acarreta crime de responsabilidade. ‘Tivemos reunião hoje (segunda-feira) com o presidente Michel Temer sobre a regra de ouro e a orientação dele confirma a nossa opinião de que não deve haver uma flexibilização ou uma suspensão pura e simples da norma‘, afirmou. ‘Não estamos contemplando o levantamento da regra puro e simples, mesmo que temporário‘, completou.

Segundo Meirelles, a proposta é criar o acionamento automático de certos mecanismos, como ocorre com o teto de gastos, que, se descumprido, obriga a cortes imediatos de gastos, como suspensão de reajustes do funcionalismo.

‘O que iremos estudar no momento adequado serão regras de ajustamento. Estamos todos caminhando na mesma linha, não há dúvida que é orientação correta e adequada‘, avaliou.

O ministro garantiu que o governo continua comprometido com o ajuste fiscal e enfatizou que irá cumprir a regra de ouro e o teto de gastos este ano. ‘A devolução de recursos do BNDES será concluída positivamente e é importante para cumprir a regra de ouro. Para 2018, a situação está equacionada. O governo vai cumprir a regra de ouro este ano. Ponto. A preocupação é com os anos futuros‘, concluiu.



// matérias relacionadas

Terça, 16 de janeiro de 2018

10:15 - Com muitas filas, prazo para biometria vai ampliar

Segunda, 15 de janeiro de 2018

08:15 - PP ainda tem planos para Blairo Maggi como candidato a vice-presidente

Sábado, 13 de janeiro de 2018

09:53 - Apoio à majoritária é desafio para nanicos em busca de uma vaga na ALMT

Sexta, 12 de janeiro de 2018

18:49 - Dorner se diz 'sangue novo' e quer uma vaga na Câmara

15:08 - Lula, Temer e Bolsonaro são os políticos mais buscados no Google

11:15 - PMDB projeta crescimento em Mato Grosso neste ano eleitoral

08:15 - MPF e MPE criam força-tarefa para zerar processos pendentes

Quarta, 10 de janeiro de 2018

15:42 - Diretor do PSD diz que partido vem 'forte, coeso e preparado' para campanha

11:08 - Joaquim já fala em recuar de candidatura e apoiar adversários de Taques

08:10 - PP diz ter 20 nomes para chapa e espera eleger um deputado estadual


// leia também

Terça, 16 de janeiro de 2018

17:00 - Marun admite que ainda não tem votos suficientes para a reforma da Previdência

14:58 - Reforma da Previdência é prioridade, mas sem otimismo quanto à aprovação

13:20 - MPF pede 386 anos de prisão para Eduardo Cunha e 78 para Henrique Alves

10:34 - PF tem aval para avançar na criação de polícia de fronteira

10:30 - Ministério Público denuncia Fernando Capez por máfia da merenda

10:28 - Gleisi Hoffmann acusa TRF-4 de criar cortina de fumaça

09:08 - Recurso de Lula mobiliza juízes por mais segurança

08:54 - TSE vai buscar gigantes da internet para barrar fake news nas eleições

Segunda, 15 de janeiro de 2018

19:00 - Dono de gráficas confessa repasses de Youssef

18:11 - Planalto diz que encontro de Temer com diretor da PF tratou sobre segurança