WhatsApp Twuitter

Sexta, 12 de janeiro de 2018, 15h08

política Nacional

Lula, Temer e Bolsonaro são os políticos mais buscados no Google


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o presidente Michel Temer (MDB) e o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) foram os políticos mais pesquisados pelos brasileiros no Google em 2017. Levantamento do Broadcast Político com dados da plataforma mais popular da internet mostra que os três nomes predominaram nos termos mais procurados no ano passado quando o assunto foi política.

Quando os nomes são comparados no Google Trends, ferramenta do Google que mostra os termos mais populares em determinado período e região, Lula aparece como o mais popular nas pesquisas, considerando uma média ao longo de todo o ano. Michel Temer, por sua vez, teve o pico mais alto de interesse em um período isolado, em maio, quando eclodiram as delações da JBS.

Montagem

O desempenho não significa, necessariamente, apoio ou desaprovação dos internautas aos políticos colocados na comparação, já que o Google analisa puramente os termos de pesquisa, e não o conteúdo dos materiais encontrados.

Em uma escala de 0 a 100, em que 100 é o pico de popularidade de um termo na comparação, Michel Temer atinge o ponto máximo de pesquisas do ano no período entre 14 de maio e 20 de maio. Nesse intervalo, as delações dos irmãos Joesley e Wesley Batista foram reveladas, atingindo o presidente e originando duas denúncias do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra ele. Ao longo dos 12 meses de 2017, Temer teve 10%, em média, da popularidade desse pico.

Na mesma base de comparação, o nome do ex-presidente Lula aparece com 11%, em média, do interesse no ano. O pico da popularidade do petista no site de pesquisas ocorreu de 7 a 13 de maio, período que coincide com o primeiro depoimento do petista ao juiz Sérgio Moro no processo em que é réu na Operação Lava Jato, em Curitiba. A audiência de Lula ocorreu no dia 10 daquele mês.

Em terceiro lugar, Jair Bolsonaro apresenta um interesse dos internautas de 6% em relação ao pico das pesquisas, que foi a delação dos irmãos Batista. O deputado, um dos presidenciáveis nas eleições deste ano, exibe uma popularidade mais diluída ao longo dos 12 meses que a dos outros dois políticos, que por sua vez registram aumentos repentinos em determinados períodos do ano.

Na comparação com base em dados do Google, outros nomes aparecem com popularidade bem mais baixa. O senador Aécio Neves (PSDB-MG), também alvo das delações da JBS, e o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), tiveram 2% do interesse do pico ao longo do mesmo período. Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede) e Ciro Gomes (PDT) não ultrapassaram 1% das pesquisas relacionadas a Temer em maio.

Presidenciáveis

Quando são comparados os presidenciáveis das eleições deste ano, Lula foi o mais popular nas pesquisas do Google em 2017, seguido na ordem por Jair Bolsonaro (PSC), Ciro Gomes (PDT), Rodrigo Maia (DEM), Geraldo Alckmin (PSDB), Álvaro Dias (Podemos), Marina Silva (Rede), Henrique Meirelles (PSD), Manuela d’Ávila (PCdoB), Guilherme Boulos (sem partido), João Amoêdo (Novo) e Paulo Rabello de Castro (PSC).

Nessa base, o pico de comparação é o interesse por Lula durante o primeiro depoimento a Moro, em Curitiba. A média do petista ao longo dos 12 meses é de 18% desse ponto, seguida pelos índices de Jair Bolsonaro (10%), Ciro Gomes (1%), Rodrigo Maia (1%) e Geraldo Alckmin (1%). Os outros eventuais candidatos tiveram menos de 1% da popularidade que o pico apresentou.

Quando é colocado na comparação o apresentador Luciano Huck, que negou ser candidato, mas cujo nome ainda ronda o cenário eleitoral, o Google registra um interesse pelo global de 5%.

Pesquisas

O interesse pelos presidenciáveis e políticos no geral, entretanto, está longe de atingir a popularidade de outros termos na ferramenta de pesquisa. Segundo o Google, as buscas mais populares na ferramenta em 2017 foram, nesta ordem: Big Brother Brasil, Tabela do Brasileirão, Enem, Marcelo Rezende, O Chamado, FGTS, Sisu, Furação Irma, Despacito e A Fazenda.

Entre as 10 personalidades que mais interessaram ao público no Google durante o ano passado, também não há nenhum político. O ranking mostra, nesta ordem: William Waack, José Mayer, Léo Stronda, Fábio Assunção, Pabblo Vittar, Marcos Harter, Emilly Araújo, Elettra Lamborghini, Daniela Araújo e Eike Batista. 



// matérias relacionadas

Terça, 16 de janeiro de 2018

10:15 - Com muitas filas, prazo para biometria vai ampliar

Segunda, 15 de janeiro de 2018

08:15 - PP ainda tem planos para Blairo Maggi como candidato a vice-presidente

Sábado, 13 de janeiro de 2018

09:53 - Apoio à majoritária é desafio para nanicos em busca de uma vaga na ALMT

Sexta, 12 de janeiro de 2018

18:49 - Dorner se diz 'sangue novo' e quer uma vaga na Câmara

11:15 - PMDB projeta crescimento em Mato Grosso neste ano eleitoral

08:15 - MPF e MPE criam força-tarefa para zerar processos pendentes

Quarta, 10 de janeiro de 2018

15:42 - Diretor do PSD diz que partido vem 'forte, coeso e preparado' para campanha

11:08 - Joaquim já fala em recuar de candidatura e apoiar adversários de Taques

08:10 - PP diz ter 20 nomes para chapa e espera eleger um deputado estadual

Terça, 09 de janeiro de 2018

12:06 - PP quer Mauro Mendes para disputar o governo de MT


// leia também

Terça, 16 de janeiro de 2018

17:00 - Marun admite que ainda não tem votos suficientes para a reforma da Previdência

14:58 - Reforma da Previdência é prioridade, mas sem otimismo quanto à aprovação

13:20 - MPF pede 386 anos de prisão para Eduardo Cunha e 78 para Henrique Alves

10:34 - PF tem aval para avançar na criação de polícia de fronteira

10:30 - Ministério Público denuncia Fernando Capez por máfia da merenda

10:28 - Gleisi Hoffmann acusa TRF-4 de criar cortina de fumaça

09:08 - Recurso de Lula mobiliza juízes por mais segurança

08:54 - TSE vai buscar gigantes da internet para barrar fake news nas eleições

Segunda, 15 de janeiro de 2018

19:00 - Dono de gráficas confessa repasses de Youssef

18:11 - Planalto diz que encontro de Temer com diretor da PF tratou sobre segurança