WhatsApp Twuitter

Segunda, 16 de abril de 2018, 13h44

julgamento nesta terça

STF decide se põe Aécio no banco dos réus por R$ 2 milhões de Joesley


A primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF), composta pelos ministros Alexandre de Moraes, Marco Aurélio Mello, Luiz Fux, Rosa Weber e Luís Roberto Barroso, julga nesta terça-feira, 17, se recebe a denúncia oferecida pela Procuradoria-geral da República (PGR) contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) pelos supostos crimes de corrupção passiva e obstrução de Justiça, instaurado em maio de 2017, com base na delação da JBS.

Jefferson Rudy/Agência Senado

O relator do inquérito é Marco Aurélio e a defesa do senador tem a expectativa de que a denúncia seja rejeitada pela Corte. Aécio aparece em uma gravação em que pede R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, um dos donos da J&F, que administra a JBS, sob a justificativa de que precisava pagar despesas com sua defesa na Lava Jato.

Nesse inquérito, também são investigados a irmã do senador, Andréa Neves, seu primo Frederico Pacheco de Medeiros e Mendherson Souza Lima, ex-assessor parlamentar do senador Zezé Perrella (MDB-MG).

Na conversa gravada entre Joesley e Aécio, base para a denúncia, eles acertam o pagamento dos R$ 2 milhões em quatro parcelas de R$ 500 mil. Aécio enviou o primo, Fred, e disse: ‘Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação. Vai ser o Fred com um cara seu. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque ele sai de lá e vai no cara‘.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, acusou Aécio de usar o cargo para atingir ‘objetivos espúrios‘ ao pedir o recebimento da denúncia, que havia sido feita pelo seu antecessor, Rodrigo Janot.

‘O teor das articulações de Aécio Neves, obtidas por meio das interceptações telefônicas, ilustra de forma indubitável que a conduta do acusado, que procurou de todas as formas que estavam ao seu alcance livrar a si mesmo e a seus colegas das investigações, não se cuidou de legítimo exercício da atividade parlamentar. Ao contrário, o senador vilipendiou de forma decisiva o escopo de um mandato eletivo e não poupou esforços para, valendo-se do cargo público, atingir seus objetivos espúrios‘, afirmou Raquel Dodge.

Defesa

Procurado pela reportagem, o advogado Alberto Zacharias Toron, que defende o senador tucano, foi sucinto. ‘Nós não temos sinalização de como a Turma irá julgar, mas a expectativa é de ser rejeitado.‘



// matérias relacionadas

Quarta, 18 de julho de 2018

18:00 - Ministra mantém preso ex-diretor da OAS condenado na Lava Jato

15:13 - Mulher de Eduardo Cunha é condenada pelo Tribunal da Lava Jato

09:11 - Delação premiada cita repasse para empresa de filhos de José Yunes

Segunda, 16 de julho de 2018

15:48 - Argentina fecha acordo com Procuradoria para usar delações da Lava Jato

Domingo, 08 de julho de 2018

10:33 - Juiz pede ao governo de Minas que avalie transferência de Azeredo

Sábado, 07 de julho de 2018

14:00 - Gilmar critica 'canonização' da Lava Jato

Quarta, 04 de julho de 2018

10:34 - Nova fase da Lava Jato investiga fraudes em licitação na área de saúde

Sábado, 30 de junho de 2018

13:30 - Fatia do BNDES na JBS é alvo de vários grupos

08:54 - José Dirceu vai usar tornozeleira eletrônica e entregar passaporte

Quinta, 28 de junho de 2018

09:26 - Lula pede liberdade à Segunda Turma do STF


// leia também

Sexta, 20 de julho de 2018

19:04 - DEM da Bahia pede ajuda a Alckmin para resolver impasse com PSDB

18:37 - Lula pede tempo para Sepúlveda decidir sobre saída da defesa

15:32 - Programa do PT propõe implantação de renda básica e reforma do Judiciário

14:33 - PDT lança candidatura de Ciro Gomes a presidente

13:43 - Josué Gomes diz que candidatura deve ser programática

13:15 - Paulo Rabello de Castro oficializa candidatura à Presidência pelo PSC

12:47 - Kassab diz que Josué Alencar é um 'excelente nome' para ser vice de Alckmin

11:51 - PDT deve oferecer ao PSB vaga de vice de Ciro Gomes

11:17 - PF prende ex-governador de Mato Grosso do Sul André Puccinelli

Quinta, 19 de julho de 2018

14:50 - Favreto, Gebran e Moro são intimados pelo CNJ após decisões sobre soltura de Lula