WhatsApp Twuitter

Quarta, 09 de maio de 2018, 14h09

política Nacional

Toffoli propõe restringir foro a todas as autoridades


O vice-presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, encaminhou um ofício à presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, propondo a aprovação de duas súmulas para restringir a todas as autoridades o alcance do foro privilegiado.

Roberto Jayme/ASICS/TSE

O pedido foi feito menos de uma semana da decisão de limitar o alcance da prerrogativa para deputados federais e senadores.

As súmulas, no entanto, não são válidas para presidente da República, que tem regra específica na Constituição.

Em uma das sugestões de súmulas vinculante, a intenção do ministro é também restringir o foro para autoridades do Executivo, Judiciário e Ministério Público que tenham cometido crimes no exercício do cargo e que tenham relação direta com a função exercida.

Na outra proposta de súmula, o ministro também quer que seja declarada a inconstitucionalidade de todas as concessões de foro privilegiado previstas em Constituições Estaduais e na Lei Orgânica do Distrito Federal que contemplem a prerrogativa sem que haja previsão expressa na Constituição Federal.

Dias Toffoli cita um estudo da Consultoria do Senado em que haveria 16.559 autoridades estaduais, distritais e municipais que teriam a prerrogativa perante tribunais locais asseguradas exclusivamente com base em Constituições Estaduais e na Lei Orgânica do DF.

A Constituição Federal, segundo o estudo do Senado, contém ainda outras 38.431 autoridades federais, estaduais e municipais com foro.

"Esse expressivo número de autoridades detentoras de foro, sem paralelo no Direito Comparado em nenhuma democracia consolidada que consagra a prerrogativa de foro com a abrangência como a brasileira, evidencia o potencial conflito de competência que podem se estabelecer entre as diversas instâncias do Poder Judiciário", disse Toffoli em ofício encaminhado à presidente do STF, Cármen Lúcia.

O ministro defende que, sem as súmulas, haveria margem para uma "multiplicidade de interpretações" sobre o instituto do foro. As súmulas vinculantes são regras que devem ser seguidas pelas demais instâncias do Judiciário e da administração pública. Para ser aprovada, ela prevcisa ser aceita por 8 dos 11 ministros do Supremo

Até o momento, segundo dados de andamento processual do STF, já houve cerca de 40 decisões sobre envio de investigações contra parlamentares do STF para instâncias inferiores. O Superior Tribunal de Justiça, por exemplo, já adotou a decisão do Supremo como parâmetro para enviar casos envolvendo governadores para a primeira instância.

As duas sugestões de Toffoli são parte do voto vencido do ministro no julgamento que restringiu o alcance do foro, encerrado na quinta-feira passado (3).  



// matérias relacionadas

Quarta, 16 de maio de 2018

17:30 - Discussão sobre foro no STJ é suspensa; ministros divergem

13:59 - Governo confirma demissão do presidente do INSS após denúncia

Quarta, 09 de maio de 2018

18:00 - Proposta de Toffoli não atrapalha comissão que analisa PEC do foro, diz deputado

Quinta, 03 de maio de 2018

16:10 - STF limita foro privilegiado de deputados e senadores


// leia também

Domingo, 27 de maio de 2018

13:30 - Bolsonaro sugere que futuro presidente revogará punições a caminhoneiros

12:30 - Flávio Rocha e Alvaro Dias foram os que mais viajaram

09:06 - Temer e ministros discutem hoje novos benefícios aos caminhoneiros

09:01 - Por pressão de governadores, PT leva a Lula plano B de eleição

Sábado, 26 de maio de 2018

17:00 - Governadores cobram e PT leva a Lula 'plano B

14:00 - Situação da saúde preocupa o presidente Michel Temer, diz ministro

13:15 - Avião de Temer fica sem combustível para viagens longas

13:00 - Odebrecht paga dívida de R$ 500 milhões vencida em abril

12:00 - Bolsonaro é o mais lembrado em debates na web sobre a greve

11:33 - Governo federal começa a aplicar multa em caminhoneiros