WhatsApp Twuitter

Quinta, 07 de junho de 2018, 16h30

Não pode haver condução coercitiva para execrar, intimidar ou expor, diz vice-PGR


O vice-procurador-geral da República, Luciano Mariz Maia, afirmou que a condução coercitiva não pode ser realizada de modo a execrar, intimidar ou expor publicamente o cidadão. Maia falou durante a sessão de julgamento de duas ações - do Partido dos Trabalhadores e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) - que tratam da condução coercitiva de investigados para a realização de interrogatórios, um procedimento que vinha sendo utilizado em investigações da Polícia Federal até o final do ano passado.

‘Não tenho dificuldade em dizer que mais grave do que a alegação de que a condução coercitiva para interrogatório não é compatível com a Constituição é o modo como ela pode estar sendo aplicada na prática. Onde não são assegurados os direitos do investigado, que ainda é tratado como objeto e não como esta Corte já determinou: como sujeito de direito‘, afirmou.

No final de maio, a procuradora-geral da República enviou memorial aos ministros do Supremo defendendo o uso da condução coercitiva de investigados para interrogatório. No documento, a procuradora destaca que a condução coercitiva é uma forma de se evitar o ajuste de versões entre investigados, a destruição de provas, a alteração de cenários e a intimidação de testemunhas.

Dodge ainda cita o fato de o instrumento não suprimir a liberdade do investigado como acontece no caso das prisões temporárias ou preventivas, considerando a condução como uma medida menos invasiva.

Na avaliação de Maia, os moldes em que muitas vezes são realizadas as conduções coercitivas violam a Constituição Federal. ‘Portanto, modifiquemos os modos e os procedimentos da sua realização, fixemo-nos mais lançando luzes sobre as sombras dessas conduções coercitivas para que possa haver justiça para todos‘, sugeriu.

Em sua fala, o segundo na hierarquia da PGR afirmou que o órgão entende ser possível guardar a compatibilidade entre a possibilidade do poder geral de cautela do magistrado com a condução coercitiva. Defendeu, no entanto, que não haja espetacularização na realização desses procedimentos.

‘Cessemos o espetáculo, asseguremos a presença do advogado, realizemos como está no estrito limite da lei as possibilidades de uma condução coercitiva, respeite-se e assegure-se a presunção de inocência, respeite-se e assegure-se o direito de não provar contra si e respeite-se e assegure-se o direito ao silêncio.‘

Ao final de sua fala, o vice-procurador-geral aproveitou para lançar uma reflexão aos ministros da Corte. ‘Tenhamos a humildade de reconhecer que nos nossos gabinetes nós não conhecemos toda a dimensão da vida. Tenhamos a humildade de reconhecer que a população vive sob o medo. E tenhamos a humildade de reconhecer que há muito o que ser feito para descobrir a verdade e que haja justiça para todos e que os espertos por serem riscos ou terem poder não consigam escapar dos deveres de prestar contas às cortes de Justiça.‘ 



// matérias relacionadas

Sábado, 23 de junho de 2018

08:33 - Descrédito nos partidos atinge 8 em 10 brasileiros

Quinta, 21 de junho de 2018

10:02 - Procurador diz que autorizar PF a firmar colaboração ajuda criminosos

Quarta, 20 de junho de 2018

16:45 - STF decide que polícia pode fechar acordos de colaboração premiada

13:30 - Sem acordo, ação sobre auxílio-moradia vai ao Supremo

12:45 - STF determina que Ivo Cassol (RO) cumpra de imediato pena em regime aberto

Terça, 19 de junho de 2018

19:00 - Rosa Weber arquiva inquérito contra deputado federal Paes Landim

18:00 - Advogado de Gleisi diz que acusações são 'frágeis' e 'contraditórias'

17:03 - Sem citar Temer, Kassab defende legado do governo

13:46 - Em vídeo, Gleisi afirma que denúncia no STF é perseguição contra PT

Segunda, 18 de junho de 2018

11:14 - Cármen Lúcia marca para 20/6 retomada de julgamento sobre delação premiada


// leia também

Segunda, 25 de junho de 2018

09:15 - Sete municípios do país têm novos prefeitos

08:25 - Câmara deve apreciar nesta semana cessão onerosa e Cadastro Positivo

07:45 - Mauro Carlesse vence eleição suplementar para o governo do Tocantins

Domingo, 24 de junho de 2018

16:00 - Federação da PF investe para ampliar bancada pró-Lava Jato

15:30 - Sentimentos do eleitor moldam pré-candidatos

15:00 - Sem celebração, PSDB completa 30 anos

11:39 - Tocantins transmite ao vivo auditoria de urnas em eleição suplementar

10:39 - Eleição em 21 cidades de SP terá identificação manual e biométrica

09:43 - Eleitores do Tocantins elegem novo governador neste domingo

Sábado, 23 de junho de 2018

17:00 - Não adapto discurso para canibalizar votos do PT, diz Marina Silva