WhatsApp Twuitter

Sexta, 08 de junho de 2018, 08h31

corrupção ativa

Fachin manda abrir inquérito para investigar senador Paulo Bauer


O ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), determinou a abertura de um inquérito para investigar o senador Paulo Bauer (PSDB-SC), o ex-diretor institucional da Hypermarcas (atual Hypera Pharma) Nelson José de Mello e Marcos Antônio Moser, ex-assessor parlamentar do tucano. O inquérito apura suspeitas de corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro.

O delator Nelson Mello incluiu em seu acordo de colaboração premiada repasses de R$ 11,5 milhões para a campanha de Paulo Bauer ao governo de Santa Catarina, em 2014. Os repasses, segundo Mello, teriam sido feitos por meio de contratos fictícios com três empresas.

"Como sabido, uma vez requerida a abertura de investigações pela Procuradoria-Geral da República, incumbe ao relator deferi-la, nos termos do art. 21, XV, do Regimento Interno do Supremo Tribunal Federal, não lhe competindo qualquer aprofundamento sobre o mérito das suspeitas apontadas", escreveu Fachin, em decisão assinada na última quarta-feira, 6.

O jornal O Estado de S. Paulo revelou que a Polícia Federal investiga se Mello omitiu informações em sua delação para proteger o maior acionista da Hypera Pharma, João Alvez Queiroz Filho, e o CEO da empresa, Cláudio Bergamo. Os dois foram alvos de busca e apreensão na operação Tira-Teima, deflagrada pela PF em abril.

Defesas

Procurado pela reportagem, o senador Paulo Bauer disse que considera a abertura de inquérito "uma etapa natural dos procedimentos da Justiça". "Estou à disposição para, no momento em que for chamado, prestar esclarecimentos e comprovar a improcedência dos fatos narrados pelo delator", informou, em nota.

O advogado de Nelson José de Mello comunicou que não vai se manifestar. A defesa de Moser não foi localizada. A Hypera Pharma não respondeu à reportagem até a publicação deste texto.

Em abril, quando as acusações contra o senador vieram a público, a Hypera Pharma informou que "está colaborando e colaborará com as investigações" e que "os atos praticados pelo ex-executivo foram objeto de auditoria conduzida por assessores externos".

 



// matérias relacionadas

Sábado, 23 de junho de 2018

08:33 - Descrédito nos partidos atinge 8 em 10 brasileiros

Quinta, 21 de junho de 2018

10:02 - Procurador diz que autorizar PF a firmar colaboração ajuda criminosos

Quarta, 20 de junho de 2018

16:45 - STF decide que polícia pode fechar acordos de colaboração premiada

13:30 - Sem acordo, ação sobre auxílio-moradia vai ao Supremo

12:45 - STF determina que Ivo Cassol (RO) cumpra de imediato pena em regime aberto

Terça, 19 de junho de 2018

19:00 - Rosa Weber arquiva inquérito contra deputado federal Paes Landim

18:00 - Advogado de Gleisi diz que acusações são 'frágeis' e 'contraditórias'

17:03 - Sem citar Temer, Kassab defende legado do governo

13:46 - Em vídeo, Gleisi afirma que denúncia no STF é perseguição contra PT

Segunda, 18 de junho de 2018

11:14 - Cármen Lúcia marca para 20/6 retomada de julgamento sobre delação premiada


// leia também

Segunda, 25 de junho de 2018

09:15 - Sete municípios do país têm novos prefeitos

08:25 - Câmara deve apreciar nesta semana cessão onerosa e Cadastro Positivo

07:45 - Mauro Carlesse vence eleição suplementar para o governo do Tocantins

Domingo, 24 de junho de 2018

16:00 - Federação da PF investe para ampliar bancada pró-Lava Jato

15:30 - Sentimentos do eleitor moldam pré-candidatos

15:00 - Sem celebração, PSDB completa 30 anos

11:39 - Tocantins transmite ao vivo auditoria de urnas em eleição suplementar

10:39 - Eleição em 21 cidades de SP terá identificação manual e biométrica

09:43 - Eleitores do Tocantins elegem novo governador neste domingo

Sábado, 23 de junho de 2018

17:00 - Não adapto discurso para canibalizar votos do PT, diz Marina Silva