WhatsApp Twuitter

Quarta, 11 de julho de 2018, 09h16

política nacional

Câmara do Rio começa a discutir hoje impeachment de Crivella


Câmara Municipal do Rio de Janeiro suspendeu extraordinariamente o recesso e discute, a partir de hoje (11), o futuro do prefeito da capital, Marcelo Crivella (PRB). Dezessete vereadores de oito partidos de oposição conseguiram interromper o recesso para por em discussão e votação o processo de impeachment de Crivella. A votação deve ocorrer amanhã (12). 

Reprodução/Internet

Desde ontem (10), Crivella vive dias decisivos. A batalha começou com os pedidos de impeachment contra o prefeito, que governa o Rio há um ano e meio. Os vereadores querem debater a conduta dele.

Em reunião no Palácio da Cidade, na semana passada, Crivella ofereceu a líderes religiosos ajuda para realização de cirurgias de catarata e varizes, pelo Sistema ·nico de Saúde (SUS),ápara os fieis. O prefeito também indicou a possibilidade de colaborar com os religiosos para a obtenção de isenção legal de pagamento do Imposto Predial Territorial Urbano ( IPTU) para seus templos.

Mobilização

A bancada de oposição está confiante na mobilização popular para lotar as galerias da Câmara e, assim, pressionar vereadores indecisos, que possam estar descontentes com a condução de Crivella.

A aprovação do impeachment depende de á34 votos favoráveis para iniciar o processo. Os parlamentares da base de Crivella classificam a iniciativa de eleitoreira e garantem que ela será derrotada por ampla margem de votos.

Segundo os oposicionistas, o ‘pecado‘ de Crivella foiáterárealizado um encontro, no último dia 4, com fiéis evangélicos dentro do Palácio da Cidade, uma das sedes oficiais da prefeitura.

Há gravações de áudio e vídeo com registros de que o prefeito ofereceu vantagens como cirurgias de catarata, varizes, vasectomia eáaté mesmo a isenção de IPTU para igrejas evangélicas.

Volúvel

‘A base aliada do prefeito é muito volúvel. Ele não tem uma base orgânica, como o [ex] prefeito Eduardo Paes tinha, de 18 vereadores. O Crivella foi eleito com apenas três vereadores de seu partido. Então, a composição de maioria na Câmara depende sempre de muita negociação‘, disse o vereador Renato Cinco (PSOL).

Porém, o líder da bancada governista, vereador Dr. Jairinho (MDB), sustenta que tudo aconteceu dentro da normalidade, e que não representa motivo sério para o impeachment de Crivella.

‘Não tem motivação para impeachment. Isso é um processo eleitoreiro. Estão querendo fazer um palanque político. Ninguém viu motivação grave para isso. Estamos passando por um momento tão difícil no Brasil, aí o cara faz uma reunião para poder orientar, e vai tomar o impeachment? Não é razoável‘, assegurou Jairinho.



// matérias relacionadas

Segunda, 16 de julho de 2018

19:10 - Justiça bloqueia R$ 3,1 milhões de Crivella e mais 8

16:31 - Justiça proíbe Crivella de usar máquina pública para beneficiar grupos religiosos

Sexta, 13 de julho de 2018

09:29 - MP investiga demissão em massa para contratação de aliados de Crivella

Quinta, 12 de julho de 2018

19:45 - Vereador muda de opinião e vota contra processo de impeachment de Crivella

12:50 - Maioria simples pode abrir impeachment de Crivella, diz Procuradoria da Câmara

Terça, 10 de julho de 2018

18:00 - Oposição consegue assinaturas para suspender recesso e investigar Crivella no Rio

Segunda, 09 de julho de 2018

13:55 - Vereador do MDB protocola pedido de impeachment contra Crivella


// leia também

Sábado, 21 de julho de 2018

18:00 - PMN rejeita candidatura de ex-apresentadora Valéria Monteiro

15:00 - Em evento, Bolsonaro ensina criança a imitar arma com a mão

14:00 - Alckmin exclui de acordo rever reforma trabalhista

08:59 - PSOL vai confirmar Guilherme Boulos como candidato à Presidência

08:19 - Janaína Paschoal critica sistema político após veto de PRP

Sexta, 20 de julho de 2018

19:04 - DEM da Bahia pede ajuda a Alckmin para resolver impasse com PSDB

18:37 - Lula pede tempo para Sepúlveda decidir sobre saída da defesa

15:32 - Programa do PT propõe implantação de renda básica e reforma do Judiciário

14:33 - PDT lança candidatura de Ciro Gomes a presidente

13:43 - Josué Gomes diz que candidatura deve ser programática