WhatsApp Twuitter

Quarta, 14 de junho de 2017, 16h35

ACUSADO POR SILVAL

Lúdio diz que dívidas de campanha foram assumidas pelo PT

Celly Silva, repórter do GD


Após ter seu nome novamente ligado a esquemas de corrupção eleitoral, desta vez, pelo próprio ex-governador Silval Barbosa (PMDB), que diz ter feito doação de R$ 600 mil à campanha de 2012 do petista com dinheiro oriundo de desvios dos cofres do Estado, o ex-vereador Lúdio Cabral emitiu nota na tarde desta quarta-feira (14), onde afirma que todas as dívidas remanescentes daquele pleito foram assumidas pelo Partido dos Trabalhadores, ao qual ele é filiado e disputou todas as eleições de sua carreira política. 

Leia também - Lúdio e Faiad tinham pleno conhecimento de propina, diz Silval

A Gazeta

Faiad e Ludio estão sendo delatados por Silval Barbosa à Justiça

O petista reafirmou que já prestou todos os esclarecimentos necessários sobre o caso quando foi conduzido coercitivamente à Delegacia Especializada em Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), no dia 14 de fevereiro deste ano, quando foi deflagrada a quinta fase da operação Sodoma.

Naquela ocasião, o ex-secretário de Estado de Administração Francisco Faiad (PMDB), que compôs chapa com Lúdio em 2012, na disputa da Prefeitura de Cuiabá, foi preso acusado de fraudar pagamentos de combustíveis no Estado e cobrar propina da Marmeleiro Auto Posto para cobrir dívida de R$ 1,7 milhão da eleição do ano anterior.

Assim como Lúdio, Faiad também nega as acusações. Procurado pelo Gazeta Digital para comentar as confissões de seu ex-chefe no governo e ex-cliente enquanto advogado, Silval Barbosa, que imputou a ele e a Lúdio o “pleno conhecimento” da existência de fraudes na campanha, o peemedebista disse que só vai se manifestar após ter acesso ao teor das declarações prestadas pelo ex-governador aos investigadores.

Lúdio, em sua nota, ressaltou que as dívidas assumidas pelo PT foram posteriormente negociadas com os credores, com a anuência destes, conforme autoriza a lei eleitoral.

Confira a nota de esclarecimento na íntegra:

Em relação às notícias veiculadas nessa quarta-feira (14), cumpre-me o dever de informar que já prestei todos os esclarecimentos necessários sobre o tema em depoimento à Delegacia Fazendária no dia 14 de fevereiro deste ano.

Todas as despesas com combustível realizadas na campanha à Prefeitura de Cuiabá, em 2012, foram declaradas à Justiça Eleitoral. As dívidas remanescentes foram assumidas pelo Partido dos Trabalhadores com a anuência dos credores, tendo sido posteriormente negociadas e quitadas pelo próprio partido, nos termos da lei.

Lúdio Cabral, 14 de junho de 2017.
 

Siga Gazeta Digital no Facebook



// matérias relacionadas

Quinta, 14 de dezembro de 2017

11:40 - Juíza Selma nega devolver documentos apreendidos de Faiad

Terça, 12 de dezembro de 2017

16:44 - Ministro nega autorização para Chico Lima morar no Rio de Janeiro

Sexta, 01 de dezembro de 2017

18:09 - Comparsa de Silval pede que STF revogue prisão domiciliar

Segunda, 27 de novembro de 2017

18:22 - Terreno de R$ 13 milhões e apartamento de Nadaf são leiloados nesta semana

Quinta, 26 de outubro de 2017

12:32 - Terreno de R$ 13,5 milhões pago por Zílio com propina vai a leilão

08:50 - Nadaf diz que viu Jandir Milan entregar pacote com R$ 400 mil a Silval

Terça, 24 de outubro de 2017

15:21 - Apartamento de luxo de Pedro Nadaf vai a leilão

Quinta, 19 de outubro de 2017

19:06 - Valdir Piran se livra da tornozeleira eletrônica

Quarta, 18 de outubro de 2017

14:53 - Advogado que mentiu à juíza na Sodoma se livra de ação

Terça, 17 de outubro de 2017

14:10 - Ex-mulher de Marcel Cursi o aciona na Justiça para reaver imóvel


// leia também

Sexta, 15 de dezembro de 2017

17:28 - Estado deve cumprir legislação sobre abono de permanência a policiais civis

16:55 - Juíz proíbe restaurante do Parque das Águas de servir 12 pratos

15:10 - Juíza nega autorização para dono de jornal viajar ao Nordeste

12:25 - Justiça condena asilo Mãos Unidas a pagar R$ 10 mil a ex-abrigados

10:31 - Idoso é condenado por tentar 'fugir' de financiamento de caminhonete

Quinta, 14 de dezembro de 2017

18:49 - Justiça mantém prisão de acusados por chacina em Colniza

17:35 - Oito desembargadores votam pela aposentadoria compulsória de juiz

16:00 - Justiça federal determina intervenção na Casa de Bem Bem

15:48 - TJ decide não investigar promotor por agressão à ex-esposa advogada

15:23 - Juiz determina bloqueio de R$ 13 milhões nas contas do Estado