WhatsApp Twuitter

Sexta, 16 de junho de 2017, 08h45

POLÍTICA DE MT

Imóvel entregue por Sílvio pertence a Silval Barbosa

Celly Silva, repórter do GD


O vínculo de fidelidade entre o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) e seu ex-chefe de gabinete Sílvio César Corrêa Araújo é tão forte que, até no momento de sair da prisão, Silval não deixou seu companheiro para trás.

O imóvel entregue por Sílvio à Justiça como forma de obter a prisão domiciliar ao invés da preventiva que cumpria no Centro de Custódia da Capital (CCC), na realidade, pertence ao chefe. O imóvel consiste nos lotes 3 e 4 da Rua Amsterdam, quadra 13, no bairro Rodoviária Parque, em Cuiabá, avaliado em R$ 472.9 mil.

Reprodução

Casa de amparo funciona em imóvel entregue por Silval e Sílvio à justiça

O terreno é uma extensão de um dos imóveis entregues por Silval como parte do ressarcimento ao erário por seus crimes de desvios de dinheiro público ao longo da gestão, entre 2011 e 2014. Silval entregou para alienação um imóvel localizado nos lotes 1 e 2, quadra 13 da Rua Amsterdam, no bairro Rodoviária Parque, em Cuiabá, com edificação, avaliado em R$ 1.2 milhão.

No local, funciona a Casa de Amparo que atende à população dos municípios que compõem o Consórcio Intermunicipal de Saúde Vale do Peixoto, que são Matupá, Peixoto de Azevedo, Novo Mundo, Guarantã do Norte e Terra Nova do Norte, reduto eleitoral de Silval Barbosa. O local abriga pessoas que precisam vir daquela localidade para Cuiabá devido a tratamentos médicos.

Laços estreitos

Foi naquela região do Nortão do estado que o ex-governador e o ex-chefe de gabinete se conheceram, conforme aponta a decisão da juíza Selma Arruda, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, baseada em declarações já prestadas por Silval aos investigadores.

Silval e Sílvio se conheceram em Matupá (685 Km ao Norte de Cuiabá), quando o segundo era piloto de avião. Desde 2003, quando Silval se tornou deputado estadual, Sílvio o acompanha como chefe de gabinete, o que se manteve quando ele se tornou governador, entre 2011 e 2014. 

Otmar de Oliveira

Sílvio e Silval estavam juntos (no banco de trás) na saída do CCC

O réu, apontado como líder da organização criminosa que desviou milhões dos cofres estaduais, ainda detalhou quais eram as atribuições daquele a quem chama de seu “braço direito”, já que Silval não tinha como acompanhar todas as transações espúrias. A alcunha já havia sido dada pela promotora de Justiça Ana Cristina Bardusco em todas as denúncias que apresentou na operação Sodoma.

“Disse que se trata de pessoa de sua extrema confiança e que recebia diversas missões no interesse da organização criminosa, como arrecadar propinas, realizar pagamentos de dívidas, realizar transações com alguns operadores financeiros, fazer reuniões com empresários, controlar os pagamentos das propinas, já que muitas vezes não conseguia saber de todos os assuntos, sendo Sílvio o seu braço direito tanto nos assuntos lícitos como nos ilícitos”, diz trecho dos autos.
 



// matérias relacionadas

Quarta, 28 de junho de 2017

11:45 - Empresa depositou R$ 17 mil para esposa de coronel

Terça, 27 de junho de 2017

11:27 - Delator paga R$ 300 mil e promotora pede arquivamento de denúncia

Segunda, 26 de junho de 2017

16:09 - Familiares de Silval receberam R$ 1,8 milhão da JBS/Friboi

Domingo, 25 de junho de 2017

10:30 - Silval aponta Nadaf como 'mentor' pelo desvio de R$ 15 milhões

Segunda, 19 de junho de 2017

16:50 - Dez deputados visitaram Silval em um único dia, revela advogado

11:32 - Secretário será ouvido em processo por corrupção

11:08 - Audiência é refeita para ouvir Alexandre César

08:20 - Juíza já havia determinado reforço na segurança de Silval

Sábado, 17 de junho de 2017

15:48 - Silval já tem 4 confissões marcadas por juíza

Sexta, 16 de junho de 2017

21:45 - Prisão domiciliar de Silval não muda rotina em edifício de luxo


// leia também

Quarta, 28 de junho de 2017

17:06 - Família de Silval admite ter negócios com a JBS, mas nega propina

14:52 - Juiz rejeita embargos e mantém cassação de Lucimar

13:09 - Riva e Sérgio Ricardo são condenados por empregarem filha de magistrado

Terça, 27 de junho de 2017

17:00 - TJ reduz pela metade fiança de servidor da Sefaz preso por corrupção

15:00 - Preso confirma ao Gaeco que foi 'laranja' a pedido de servidor do TCE

13:01 - Juiz arquiva inquérito da Ararath contra Mauro Mendes

09:34 - Juiz manda soltar coronéis acusados de vazar detalhes sobre prisões

Segunda, 26 de junho de 2017

17:17 - TCE aponta 'garis fantasmas' e barra pagamento de R$ 1,6 mi à Ecopav

17:03 - TJ mantém prisão de sindicalista alvo do Gaeco

14:22 - Ex-secretário tenta impedir prisão; magistrada nega