WhatsApp Twuitter

Segunda, 19 de junho de 2017, 08h20

POLÍTICA DE MT

Juíza já havia determinado reforço na segurança de Silval

Celly Silva, repórter do GD


Uma decisão do último dia 9, quatro dias antes da soltura do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), mostra que a juíza Selma Rosane Santos Arruda, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, já havia determinado reforço na segurança dele e de seu ex-chefe de gabinete Sílvio César Corrêa Araújo. Na ocasião, ambos ainda se encontravam presos no Centro de Custódia da Capital (CCC).

João Vieira

Juíza Selma Arruda

O pedido de providências quanto à segurança dos réus nas ações penais decorrentes das operações Sodoma e Seven - que apuram esquemas de corrupção no governo, entre 2011 e 2014 – foi enviado ao diretor da unidade prisional Jean Carlos Gonçalves e ao assessor especial da Secretaria de Estado de Justiça e direitos Humanos Riadi Omar Fares.

A juíza, diante da alegação da defesa de que Silval sofria risco dentro da prisão, mandou que o caso fosse investigado e, em caso de confirmação, que fosse feito o remanejamento ou transferência dos presos “para local mais seguro”.

“Com relação ao temor externado pela defesa, embora sem qualquer comprovação nos autos de que tenha havido ameaça ou assédio em face dos réus, determino seja oficiado à SEJUDH para que informe se há notícia nesse sentido e, em havendo, para que providencie para que os acusados SILVAL DA CUNHA BARBOSA e SILVIO CESAR CORREA ARAÚJO permaneçam a salvo, em segurança, até a decisão deste juízo quando ao cerne do pedido formulado pela defesa. Neste sentido, deverá o Sr. Secretário de Estado responsável providenciar reforço à segurança, remanejamento dos presos no Centro de Custódia da Capital, ou mesmo na transferência dos presos para local mais seguro, a exemplo do que já ocorreu com outros acusados em situação semelhante”, diz trecho da decisão. 

Otmar de Oliveira

Silval Barbosa e Sílvio Corrêa deixaram CCC na noite de terça (13)

As alegadas ameaças e pressões que Silval vinha sofrendo desde que surgiram boatos de que estaria fazendo acordo de delação premiada foram um dos motivos que o levaram a ter as prisões preventivas - que cumpria há cerca de 1 ano e nove meses - serem convertidas em prisão domiciliar. Agora, ele cumpre a medida restritiva em seu apartamento no edifício Riviera d’América, no bairro Jardim das Américas, em Cuiabá.
 



// matérias relacionadas

Quinta, 19 de outubro de 2017

19:06 - Valdir Piran se livra da tornozeleira eletrônica

Quarta, 18 de outubro de 2017

14:53 - Advogado que mentiu à juíza na Sodoma se livra de ação

Terça, 17 de outubro de 2017

14:10 - Ex-mulher de Marcel Cursi o aciona na Justiça para reaver imóvel

Terça, 10 de outubro de 2017

11:27 - Juíza nega impedir Ana Bardusco de atuar na Sodoma

Sexta, 06 de outubro de 2017

13:13 - Juiz autoriza filho de Silval a viajar para praia

Quarta, 04 de outubro de 2017

19:45 - Turma de Silval Barbosa vai continuar em liberdade

Segunda, 02 de outubro de 2017

20:12 - Réu por corrupção, procurador faz delação

Quarta, 13 de setembro de 2017

15:24 - Estado não é capaz de avaliar avião de Silval

15:15 - Juíza nega julgar permanência de arrendatária em fazendas de Silval

Terça, 05 de setembro de 2017

11:57 - Silval e comparsas viram réus e têm contas bloqueadas em R$ 2,5 mi


// leia também

Quinta, 19 de outubro de 2017

10:45 - Juiz nega extinguir processo contra ex-servidor da AL falecido

09:31 - AMM aciona Secretaria de Fazenda para garantir o repasse de ICMS

09:06 - Ministro do STF não barra senadores de MT em votação pró-Aécio

08:31 - TRF nega pedido da Assembleia para livrar deputado Fabris da cadeia

Quarta, 18 de outubro de 2017

19:14 - Controladoria Geral apura indícios de corrupção de empresas ligadas ao VLT

19:05 - STF não aprecia habeas corpus e Paulo Taques permanece preso

17:03 - Após confissão, delegados querem revogar prisão do cabo Gerson

15:25 - Cabo diz que juíza e promotor 'montaram história' para grampear Silval

15:00 - Pastor acusado de estuprar menina de 11 anos é colocado em liberdade

11:45 - Cabo Gerson destruiu HD com áudios de interceptações telefônicas