WhatsApp Twuitter

Sexta, 12 de janeiro de 2018, 14h55

danos ambientais e urbanos

MPE abre inquérito para investigar obras de reforma da Praça Ipiranga

Karine Miranda, repórter do GD


Divulgação/ Assessoria

MPE instaurou inquérito para investigar possíveis danos ambientais em obras da reforma de praça

O Ministério Público Estadual (MPE) instaurou um inquérito civil para apurar possíveis impactos causados ao entorno do prédio do antigo Quartel da Força Pública, onde hoje funciona o Ganha Tempo, tombado como Patrimônio Histórico, no centro de Cuiabá. A medida foi adotada em decorrência da reforma na Praça Ipiranga, iniciada no ano passado.

O inquérito foi instaurado pelo promotor de Justiça Carlos Eduardo Silva, do Núcleo de Defesa do Meio Ambiente Urbanístico, devido à suspeita de que a reforma, que incluiu a reformulação do chafariz instalado há décadas no local, esteja trazendo "impactos visuais" ao entorno do bem tombado.

O projeto arquitetônico elaborado pela Prefeitura de Cuiabá prevê a demolição de parte da estrutura do chafariz da praça, para dar espaço a um canteiro, além de toda a reforma do local. Desde que anunciado, o projeto causou indignação de pessoas ligadas à preservação do patrimônio histórico, que só tomaram conhecimento das condições da obra com mais de duas semanas após o início de sua execução.

Otmar de Oliveira

Reforma da Praça Ipiranga é alvo do MPE

A própria Secretaria de Estado de Cultura não foi notificada sobre a obra. “Aparentemente traz impactos visuais no entorno de bem objeto de especial proteção conferida pelo Poder Público, dado o seu valor histórico e cultural, sem que a Secretaria de Estado de Cultura tenha sido ao menos consultada sobre o projeto de reforma do espaço público”, escreve o promotor.

Por este motivo, o promotor instaurou um inquérito civil sem especificar prazo de sua conclusão e determinou que a Secretaria de Cultura promova a inspeção na área do entorno do Ganha Tempo, para verificar os possíveis impactos causados.

Em novembro, a Secretaria Estadual de Cultura chegou a notificar a Prefeitura de Cuiabá a paralisar imediatamente a obra de reforma da Praça Ipiranga, devido à falta de autorização do Estado. Na época, alegou que a obra é “uma ação irregular sob a ótica do patrimônio histórico estadual”.

Leia mais - Governo notifica prefeitura para suspender obra na praça Ipiranga

A reforma - Elaborado pela Secretaria de Planejamento e Instituto de Planejamento e Desenvolvimento Urbano (IPDU), o projeto da reforma prevê que o banco de concreto armado de 2 metros e o interior do chafariz serão demolidos, o que já foi feito.

Já a parte interna do chafariz, onde fica o espelho d’água, será substituída por um canteiro. Porém, a estrutura do chafariz será mantida. Os canteiros, que antes eram redondos, agora terão formato quadrado.

Os espaços, redefinidos em boxes de 1,5m x 1,5m, contarão com bancos de madeira, inspirados nos que foram implantados na recém-restaurada Praça Alencastro. A previsão inicial era de que a obra fosse concluída em 120 dias e custasse em torno de R$ 300 mil.



// matérias relacionadas

Terça, 12 de dezembro de 2017

13:40 - Fiscais realizam ação na Praça Ipiranga para facilitar as obras de reforma

Quarta, 22 de novembro de 2017

18:06 - Obras de reforma da Praça Ipiranga entram na fase de concretagem

Quarta, 08 de novembro de 2017

18:00 - Governo notifica prefeitura para suspender obra na praça Ipiranga

Sexta, 03 de novembro de 2017

20:34 - Chafariz de praça vira pauta de manifestação

17:32 - Prefeito garante que características históricas da Praça Ipiranga serão preservadas

Segunda, 30 de outubro de 2017

10:41 - Prazo para a conclusão da reforma da Praça Ipiranga é de 120 dias


// leia também

Segunda, 23 de abril de 2018

08:55 - Justiça decreta sigilo em ação contra réus por rombo de R$ 143 milhões

08:05 - MPE investiga servidor que recebeu salário de vereador e não devolveu

07:45 - Conselho Nacional de Justiça faz inspeção no Tribunal de Justiça

07:00 - Investigação contra coronel acusado de descumprir decisões é arquivada

Domingo, 22 de abril de 2018

08:30 - Justiça acata ação do Ministério Público e 'expulsa' sindicato de terreno público

08:00 - Após condenação, Wilson se diz surpreso, vai recorrer e disputará eleições

Sábado, 21 de abril de 2018

08:30 - Juiz anula estabilidade de servidor da Assembleia efetivado sem concurso

Sexta, 20 de abril de 2018

17:17 - TJ autoriza protesto de R$ 5,5 mi contra cooperativa que foi presidida por Eraí

15:49 - Farmacêuticos estão proibidos de aplicar botox e outros procedimentos estéticos

15:35 - Justiça libera R$ 1,8 milhão aos trabalhadores de Hospital Regional de Sinop