WhatsApp Twuitter

Quinta, 01 de fevereiro de 2018, 16h58

Juíza dá 72 horas para governo explicar atrasos no duodécimo do TJ

Celly Silva, repórter do GD


A juíza Célia Regina Vidotti, da Vara Especializada de Ação Civil Pública e Ação Popular, determinou o prazo de 72 horas para que o governo se manifeste a respeito da ação civil pública ajuizado pelo Sindicato dos Servidores dos Servidores do Poder Judiciário de Mato Grosso (Sinjusmat) na última terça-feira (30).
A decisão foi proferida na quarta-feira (31) e terá que ser cumprida pela Procuradoria Geral do Estado (PGE).

Chico Ferreira

Juíza Célia Vidotti

“Notifique-se o Estado de Mato Grosso, por seu procurador-geral, para que, no prazo de setenta e duas (72) horas, manifeste sobre a liminar impetrada pelo sindicato”, diz trecho dos autos.

Leia também - Servidores do TJ pedem impeachment do governador Pedro Taques

A ação civil pública com pedido liminar do Sinjusmat pede que R$ 250 milhões sejam bloqueados da conta do Executivo estadual para que o Judiciário receba os valores atrasados do duodécimo do poder, relativos aos meses de novembro de 2017, janeiro deste ano e ainda valores que foram parcelados em 2016.

O presidente do Sinjusmat, Rosenwal Rodrigues, alega que a categoria já está sendo prejudicada pelo fato de não mais estar recebendo os salários dentro do mês trabalhado. Além disso, o Tribunal de Justiça avalia fechar comarcas e reduzir o horário de expediente das que sobrarem como forma de contornar a falta de dinheiro.

Leia também - TJ notifica Estado a pagar duodécimo em 48 horas

O Sinjusmat classificou os atrasos como crime de responsabilidade e, na quarta-feira (31), protocolou pedido de impeachment do governador Pedro Taques (PSDB), junto à Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT). No mesmo dia, o presidente do TJ, desembargador Rui Ramos, notificou o chefe do Executivo para que pague os duodécimos atrasados dentro de 48 horas. 

Outro lado

O Governo do Estado informou que irá responder no prazo determinado a solicitação da Vara Especializada em Ação Civil Pública e Popular de Cuiabá sobre o repasse do duodécimo para o Poder Judiciário.

Com relação ao ofício enviado pelo presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Rui Ramos, o Governo de Mato Grosso ressaltou o respeito ao Poder Judiciário e informou que, diante da crise fiscal do Brasil e de Mato Grosso, está analisando mecanismos para resolver a situação.



// matérias relacionadas

Terça, 05 de junho de 2018

15:10 - Governo tenta acordo com Defensoria para evitar bloqueio de contas - veja vídeo

Segunda, 04 de junho de 2018

16:02 - Proposta de LDO reduz duodécimo de Poderes para 2019

Sexta, 01 de junho de 2018

08:15 - Defensoria rejeita conciliação e pede bloqueio de R$ 12,6 milhões do Estado

Segunda, 28 de maio de 2018

08:05 - Taques quer suspender decisão que obriga pagar duodécimo e tenta conciliação

Terça, 22 de maio de 2018

08:25 - STF notifica Pedro Taques para repassar duodécimo atrasado à Defensoria

Quinta, 17 de maio de 2018

08:24 - Ministra do STF afirma que Taques não comprova frustração de receita

Quarta, 16 de maio de 2018

07:19 - Justiça manda Pedro Taques pagar duodécimo atrasado e cumprir calendário

Quinta, 26 de abril de 2018

08:40 - Chamado de mentiroso, Taques comprova repasses de R$ 5 mi de duodécimo

Sábado, 21 de abril de 2018

08:00 - Estado deve R$ 100 milhões à Assembleia de duodécimo atrasado

Terça, 10 de abril de 2018

08:24 - Sindicato acusa Taques de mentir em ação sobre duodécimo e quer condenação


// leia também

Quinta, 21 de junho de 2018

10:18 - STJ nega liberdade a empresário acusado de lavar dinheiro da Bereré

07:14 - Juiz da 7ª Vara fica com ação contra Maggi por compra de vaga no TCE

Quarta, 20 de junho de 2018

18:14 - TJ nega liberdade a acusado de desviar R$ 23 milhões de cooperativa

16:55 - Eder Moraes tacha delação de Silval como 'sorrateira' e forjada com aliado

13:39 - Juiz nega pedido para João Arcanjo visitar shopping

13:35 - Governador diz confiar no Judiciário e não comenta prisão de Paulo Taques

11:19 - TCE mantém suspensa licitação de R$ 202 milhões para construir pontes

09:17 - Ministra cita criação artificial de provas para manter Paulo Taques preso

08:07 - Juiz se mantém em ação e vê possível crime de arapongagem cometido por Selma

07:10 - José Riva e Humberto Bosaipo viram réus por fraude de R$ 2,2 milhões