WhatsApp Twuitter

Sexta, 02 de fevereiro de 2018, 10h50

duodécimos atrasados

TJ avalia suspender concurso e abertura de 4 novas varas

Celly Silva, repórter do GD


O Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) avalia suspender a abertura de concurso público para provimento de cargos e também a abertura de 4 novas varas, sendo duas em Rondonópolis (212 Km ao Sul de Cuiabá) e duas em Sinop (500 Km ao Norte) e fechar comarcas do interior. As medidas são consequência da falta de recursos ocasionada pelo atraso no repasse do duodécimo por parte do governo do Estado.

Assessoria

As medidas foram apresentadas como alternativa para contornar a crise orçamentária e manter o funcionamento da instituição, que somente deve seguir seu planejamento estratégico quando o Executivo quitar os valores atrasados (remanescentes desde 2015) e passar a pagar de forma pontual os próximos repasses.

Leia também - Entendemos a situação dos poderes, diz Taques sobre atrasos em repasses

A possibilidade de que isso aconteça foi colocada em pauta durante uma reunião, que durou a tarde e a noite de quarta-feira (1º), entre o presidente do TJ, desembargador Rui Ramos, e os coordenadores de Planejamento, Finanças e Administração do Judiciário estadual.

A reunião ocorreu horas depois da juíza Célia Regina Vidotti, da Vara de Ação Civil Pública e Ação Popular, determinar o prazo de 72 horas para que o Executivo se manifeste em uma ação movida pelo Sindicado dos Servidores do Poder Judiciário de Mato Grosso (Sinjusmat), que cobra o pagamento de R$ 250 milhões ou bloqueio desse montante nas contas do Estado.

Leia também - Servidores do TJ pedem impeachment do governador Pedro Taques

No último dia 31, o presidente Rui Ramos também enviou uma notificação ao governador Pedro Taques (PSDB), cobrando o pagamento dos duodécimos atrasados no prazo de 48 horas, informando que o Judiciário estaria engessado pela limitação de recursos.

O desembargador ainda rejeitou a proposta do governador para ter 20% do seu repasse mensal retido para que o Executivo pudesse pagar parcela da dívida junto ao Bank of America, compromisso deixado pelo ex-governador Silval Barbosa.



// matérias relacionadas

Terça, 05 de junho de 2018

15:10 - Governo tenta acordo com Defensoria para evitar bloqueio de contas - veja vídeo

Segunda, 04 de junho de 2018

16:02 - Proposta de LDO reduz duodécimo de Poderes para 2019

Sexta, 01 de junho de 2018

08:15 - Defensoria rejeita conciliação e pede bloqueio de R$ 12,6 milhões do Estado

Segunda, 28 de maio de 2018

08:05 - Taques quer suspender decisão que obriga pagar duodécimo e tenta conciliação

Terça, 22 de maio de 2018

08:25 - STF notifica Pedro Taques para repassar duodécimo atrasado à Defensoria

Quinta, 17 de maio de 2018

08:24 - Ministra do STF afirma que Taques não comprova frustração de receita

Quarta, 16 de maio de 2018

07:19 - Justiça manda Pedro Taques pagar duodécimo atrasado e cumprir calendário

Quinta, 26 de abril de 2018

08:40 - Chamado de mentiroso, Taques comprova repasses de R$ 5 mi de duodécimo

Sábado, 21 de abril de 2018

08:00 - Estado deve R$ 100 milhões à Assembleia de duodécimo atrasado

Terça, 10 de abril de 2018

08:24 - Sindicato acusa Taques de mentir em ação sobre duodécimo e quer condenação


// leia também

Segunda, 18 de junho de 2018

19:44 - Supremo mantém Paulo Taques preso 51 dias após operação

17:30 - Ex-deputado confirma ter recebido R$ 50 mil gravado em vídeo de delator

14:16 - PF sugere 144 novos inquéritos por delações de família Barbosa

11:15 - Emanuel diz à PF que aliado de Silval o gravou para fazer chantagem

08:29 - Juiz suspende escolta concedida à juíza Selma Arruda e não afasta Taques

08:01 - Empresário acusado de lavar dinheiro da Bereré pede liberdade no STJ

06:00 - Perícia da PF confirma mensagens apagadas do celular de Blairo após apreensão

Domingo, 17 de junho de 2018

11:40 - Metalúrgica de Alta Floresta é condenada por trabalho infantil

11:31 - Menor que trabalhava como mecânico de automóveis receberá R$ 10 mil em indenização

11:21 - Rede de supermercados é condenada em R$ 5 milhões por descumprir normas