WhatsApp Twuitter

Sábado, 10 de fevereiro de 2018, 09h00

delação monstruosa

Após acusação de propina, conselheiro afastado quer ser investigado pelo STJ

Celly Silva, repórter do GD


A defesa do conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MT), José Carlos Novelli, pediu ao ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), que redistribua a relatoria do inquérito 4596, oriundo de delações do ex-governador Silval Barbosa e desmembre o caso, remetendo-o ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). A solicitação foi feita nesta semana.

Thiago Bergamasco/Agência Phocus

José Carlos Novelli

Na petição, os advogados Rodrigo Mudrovitsch, Felipe de Carvalho e Caroline Raupp alegam a existência de fatos novos e a independência entre os fatos apurados e a operação Ararath, foco do inquérito no STF.

José Carlos Novelli está afastado do cargo de conselheiro de contas desde 14 de setembro do ano passado, quando foi alvo da operação Malebolge (12ª fase da Ararath), acusado de receber propina para deixar de fiscalizar obras da copa do Mundo de 2014, do programa de asfaltamento MT Integrado e ainda para aprovar contas de gestão do ex-governador. Na mesma situação estão os conselheiros Antônio Joaquim, Sérgio Ricardo, Waldir Teis e Valter Albano.

Leia também - STF afasta 5 conselheiros de MT citados em delações

Conforme a defesa, dos 7 fatos narrados pelos delatores Silval Barbosa, Pedro Nadaf e Sílvio César Corrêa Araújo, apenas 3 se relacionam com a operação Ararath. Primeiro, a prática de crimes visando atrapalhar a operação, no caso, a suposta visita do senador Cidinho Santos (PR) a Silval (quando este ainda estava preso) para levar suposto recado do ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP). Segundo, a compra de vaga do conselheiro Alencar Soares, no TCE e, terceiro, a fraude na concessão de crédito às construtoras por meio do Bic Banco.

A banca de defesa aponta ainda que os demais 4 fatos abrangidos não guardam relação com a operação Ararath e destacou o pagamento de propina a conselheiros do TCE por parte de Silval Barbosa para manter sua governabilidade, enfatizando que o caso não tem mais nenhum personagem detentor de foro privilegiado perante o STF.

A defesa argumentou ainda que em relação a isso, o ministro Raul Araújo determinou a oitiva de investigados e diligências por parte da Polícia Federal, que em um relatório parcial apontou a necessidade de desmembramento dos casos apurados para otimizar as investigações e evitar duplicidade. Além disso, os advogados de José Carlos Novelli lembraram que na Petição 7223, já foi feito o desmembramento do caso, a pedido da própria Procuradoria-Geral da República (PGR).  



// matérias relacionadas

Sábado, 17 de fevereiro de 2018

16:05 - Ministro volta negar pedido de Emanuel Pinheiro para invalidar delação de Silval

Sexta, 16 de fevereiro de 2018

19:20 - Ministro quer compartilhar provas contra conselheiros

Sexta, 09 de fevereiro de 2018

16:45 - Desmentido por aliado de Silval, Emanuel nega envolvimento 'com mar de lama'

10:20 - Aliado de Silval contesta defesa de prefeito sobre maços de dinheiro

Quinta, 08 de fevereiro de 2018

17:20 - Juíza cobra de Silval vários documentos de fazenda

Quinta, 01 de fevereiro de 2018

17:09 - Ministra do STF nega HC e mantém Antônio Joaquim longe do TCE

Segunda, 29 de janeiro de 2018

15:08 - PF apreende coleção milionária de Gilmar Fabris

Sexta, 26 de janeiro de 2018

12:57 - Dodge quer investigações contra deputados no TJ

12:40 - Luciane e Emanuel serão processados no STJ

Quarta, 24 de janeiro de 2018

17:06 - Família Barbosa pede reintegração de posse da fazenda invadida por sem-terras


// leia também

Segunda, 19 de fevereiro de 2018

16:41 - Empresa pagou R$ 1,5 milhão para Savi e Silval garantirem contrato no Detran

16:30 - CGE já apontava fraudes no Detran desde 2011

15:05 - Desembargador nega prisões de 49 investigados por fraudes no Detran - veja lista

14:15 - Decisão determina que frigorífico construa creche para filhos de empregadas

14:09 - Ex-presidente do Detran mantém silêncio sobre esquema de propina

13:50 - TJ considera lei que regula circulação de micro-ônibus inconstitucional

12:48 - Taques não rescindiu contrato por causa de multa de R$ 100 milhões

10:36 - Deputados Savi e Botelho não dão explicações sobre propina no Detran

10:00 - Ministro suspende ação de MT contra Goiás por cobrança de R$ 47 milhões

09:48 - Pedro Henry é acusado de intermediar propina no Detran