WhatsApp Twuitter

Sexta, 09 de fevereiro de 2018, 19h29

pedido de habeas corpus

Defesa contesta liberdade do coronel Zaqueu por 'ter mais crimes'

Karine Miranda, repórter do GD


A defesa do cabo Gerson Luiz Ferreira Corrêa Júnior afirmou que vai recorrer da decisão dos juízes militares, que manteve a prisão do policial denunciado por participação no esquema de interceptações clandestinas operado em Mato Grosso, supostamente a mando do 1º escalão do governo Pedro Taques (PSDB). Para a defesa, houve disparidade na análise do pedido de soltura.

Chico Ferreira

Defesa contesta decisão que manteve cabo Gerson preso

A manutenção da prisão foi decidida na tarde desta sexta-feira (9), ao término da audiência de instrução do processo oriundo do esquema dos grampos que analisou o pedido de soltura do cabo Gerson Corrêa e do coronel Zaqueu Barbosa, ex-comandante-geral da Polícia Militar.

Na ocasião, os juízes mantiveram a prisão do cabo, porém, concederam liberdade ao coronel Zaqueu Barbosa, que obteve a substituição da prisão preventiva pela domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica.

Leia mais - Juízes mantém cabo Gerson preso; coronel Zaqueu ganha domiciliar

Ambos foram presos em maio do ano passado e denunciados pelo procurador-geral de Justiça, Mauro Curvo, acusados de participação dos grampos militares executados por meio da modalidade "barriga de aluguel”. Teriam sido vitimas dos grampos centenas de pessoas, entre políticos, empresários, jornalistas e um desembargador aposentado.

Para o advogado Neyman Augusto Monteiro, que faz a defesa do cabo Gerson, houve “uma disparidade incrível” no julgamento de ambos os pedidos de soltura. Isto porque pesam contra o cabo “somente” dois crimes - falsidade ideológica e falsificação de documentos – mas, apesar disso, ele não obteve liberdade.

“Disparidade incrível, que nem tem o que eu falar, porque se falar, vai falar coisa que não deve”, disse o advogado.

Questionado se acreditava que a decisão se deu em decorrência das diferentes patentes dos dois militares, a defesa preferiu não se manifestar. Contudo, insinuou que o fato de o coronel estar sendo julgado por juízes militares, que também são coronéis, pode ter influenciado na decisão de soltura do coronel Zaqueu.

“Eu não quero me manifestar nessa situação, mas fica a critério de vocês. O coronel tem mais crimes que ele e foi concedida a soltura, a liberdade dele. O Gerson tem dois crimes só, imputados a ele. O coronel tem mais e conseguiu liberdade”, reforçou.

Agora, a defesa assegurou que vai impetrar um novo pedido de habeas corpus para tentar colocar o cabo Gerson em liberdade. Sobre a possibilidade de que o seu cliente firme um acordo de delação premiada, que poderia culminar em sua soltura e no pleno esclarecimento de todo o esquema, a defesa afirmou que ainda não analisa essa possibilidade.

“Agora não está se pensando nisso. Temos que sentar com ele com mais calma, após levar uma paulada dessas”, afirmou o advogado Neyman Augusto Monteiro.



// matérias relacionadas

Sexta, 25 de maio de 2018

12:10 - Governo de MT recontrata Instituto Gerir por R$ 32 mi

Sexta, 18 de maio de 2018

20:25 - Presidente do PSDB passa integrar staff de Taques

18:42 - Trincheira do Santa Rosa é entregue ao custo final de R$ 30,6 milhões

Quinta, 17 de maio de 2018

19:10 - Pedro Taques rebate Neurilan e nega dívida com os municípios

18:00 - Taques prepara artigo para questionar ex-gestores

15:00 - Repasses aos municípios é obrigação e não favor, afirma presidente da MM

12:49 - Estado diz que renovará contratação que trouxe melhorias para rodoviária

Sexta, 11 de maio de 2018

17:05 - Caso dos grampos ilegais completa 1 ano e processo segue 'parado' no STJ

Quarta, 09 de maio de 2018

15:18 - Governo paga aposentados e pensionistas nesta quarta-feira

09:42 - Governo indica secretário adjunto da Sinfra para assumir presidência da Ager


// leia também

Sexta, 25 de maio de 2018

18:12 - Desembargador nega liberdade a Paulo Taques e irmão presos por corrupção

11:12 - Juiz suspende por 90 dias 'expulsão' de sindicato instalado em terreno público

10:45 - Escola de Samba Mangueira e produtora terão que devolver R$ 509 mil para Cuiabá

09:54 - MPE obtém liminar que proíbe o bloqueio de estradas em Diamantino

07:57 - Weber dá 10 dias para PGR rever situação de Fagundes como réu por corrupção e lavagem

Quinta, 24 de maio de 2018

20:11 - Ministra nega HC a Mauro Savi e mantém inquérito sobre propina no Detran

17:49 - Pedido de vista adia julgamento que tenta reverter cassação de Lucimar Campos

16:12 - 'Rei do Algodão' consegue suspender leilão de fazenda de R$ 349 milhões

15:58 - Maioria vota por manter prisão de Savi, mas julgamento é adiado

15:40 - Começam as audiências em ação contra 13 réus por rombo R$ 7 milhões