WhatsApp Twuitter

Sábado, 10 de março de 2018, 12h05

POLÍTICA DE MT

Delação de Silval promete novas operações em breve, avalia chefe do MP

Karine Miranda, repórter do GD


O procurador-geral de Justiça Mauro Curvo acredita que a demora no compartilhamento das provas anexadas à delação do ex-governador Silval Barbosa com o Ministério Público Estadual é motivada por uma possível nova operação que deva ocorrer elucidar os fatos narrados por Silval.

Desde o ano passado, o chefe do MPE em Mato Grosso já fez 3 pedidos ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, para que haja o compartilhamento do conteúdo das provas que já existem e da própria delação do ex-governador e sua família, além das provas apresentadas pelo ex-chefe de gabinete, Silvio Corrêa.

Otmar de Oliveira

Procurador acredita em novas operações a partir de delação de Silval

“Alguma coisa deve ser feita, só depois que vão compartilhar. É minha visão. Muitas vezes eles têm operação para fazer lá, que se fizer o compartilhamento corre o risco de vazar a informação. Então, muitas vezes, eles não fazem o compartilhamento com medo de vir a prejudicar uma operação futura”, disse o procurador.

Até o momento, a delação do ex-governador e sua família, além de seu ex-chefe de gabinete, Silvio Corrêa, culminaram somente na Operação Malebolge, a 12ª fase da Operação Ararath, deflagrada pela Polícia Federal em 14 de setembro de 2017. Ao todo, são 7 fatos apurados no inquérito instaurado a partir das delações.

Ainda segundo Mauro Curvo, dos pedidos feitos envolvendo as delações, apenas a do ex-secretário chefe da Casa Civil, Pedro Nadaf, já foi compartilhada com o MPE, ainda no ano passado. “O que recebemos lá, já tem algum tempo, foi a delação do Pedro Nadaf. Fora isso, não tivemos acesso à delação. Ela foi feita lá no STF, por pessoas que têm prerrogativa de foro. (...)”, disse.

Improbidade – Curvo explicou ainda que, somente após o compartilhamento, será possível que o MPE haja em relação aos crimes narrados na delação. Contudo, a ação será apenas no âmbito da improbidade administrativa e não no âmbito criminal.

“Sob o prisma da improbidade, do patrimônio público, quem tem a atribuição é o MPE. Não posso pedir a prisão porque só terá sido compartilhado. A questão penal estará toda lá [STF], não sei nem se um dia vai chegar aqui”, afirmou.

João Vieira

Delação de Silval pode ocasionar novas operações

Desmembramento da investigação – O procurador ressaltou ainda que busca somente o compartilhamento das provas e delação - e não o desmembramento do inquérito que apura os fatos narrados na delação do ex-governador.

Ele esclareceu que não quer se “imiuscuir indevidamente” em investigações que não pertencem ao âmbito do  Ministério Público do Estado.

“Eu nem peço desmembramento de nada, porque eu posso, ao pedir o desmembramento, indicar o que se tem que fazer na investigação dele. Então eu quero o compartilhamento para ter acesso ao que já foi produzido, para poder tomar providências que são da alçada do Ministério Público”, esclareceu.

Além de Mauro Curvo, o presidente da CPI do Paletó, vereador Marcelo Bussiki, fez dois pedidos para que haja o compartilhamento das provas. Ambos ainda não obtiveram resposta. 



// matérias relacionadas

Segunda, 18 de junho de 2018

11:15 - Emanuel diz à PF que aliado de Silval o gravou para fazer chantagem

Quarta, 06 de junho de 2018

18:50 - Deputado gravado recebendo propina é hostilizado em voo para Brasília

Segunda, 04 de junho de 2018

09:34 - Conselheiro quer investigação sobre promissórias achadas em seu gabinete

Domingo, 03 de junho de 2018

06:30 - Ex-governador Silval reconhece promissórias achadas em gabinete no TCE

06:00 - Promissórias assinadas por Silval são achadas em gabinete de Novelli - veja fac-símile

Sexta, 18 de maio de 2018

16:31 - Supremo nega recurso do conselheiro Novelli e mantém afastamento do TCE

Quarta, 16 de maio de 2018

18:53 - TRF nega pedido de nova prisão contra Gilmar Fabris e valida resolução da AL

Segunda, 14 de maio de 2018

09:05 - Justiça bloqueia R$ 6 milhões de Emanuel Pinheiro, Silval e mais 4 réus

Segunda, 07 de maio de 2018

07:30 - Conselheiro alega duplicidade em investigações e contesta decisão de Fux

Sexta, 04 de maio de 2018

23:50 - Juíza nega afastar Emanuel Pinheiro, mas bloqueia contas e bens


// leia também

Quarta, 20 de junho de 2018

18:14 - TJ nega liberdade a acusado de desviar R$ 23 milhões de cooperativa

16:55 - Eder Moraes tacha delação de Silval como 'sorrateira' e forjada com aliado

13:39 - Juiz nega pedido para João Arcanjo visitar shopping

13:35 - Governador diz confiar no Judiciário e não comenta prisão de Paulo Taques

11:19 - TCE mantém suspensa licitação de R$ 202 milhões para construir pontes

09:17 - Ministra cita criação artificial de provas para manter Paulo Taques preso

08:07 - Juiz se mantém em ação e vê possível crime de arapongagem cometido por Selma

07:10 - José Riva e Humberto Bosaipo viram réus por fraude de R$ 2,2 milhões

Terça, 19 de junho de 2018

15:23 - Justiça manda supermercado indenizar mulher que teve intoxicação com torta

14:00 - Juíza dá prazo para produção de provas contra Wilson Santos