WhatsApp Twuitter

Quinta, 08 de março de 2018, 16h48

POLÍTICA DE MT

Empresário réu em processo da Ararath alega sofrer Síndrome de Asperger

Arthur Santos da Silva, repórter do GD


O empresário Renan Luiz Mendonça Bezerra, réu em processo oriundo da Operação Ararath, relata sofrer Síndrome de Asperger, transtorno do espectro autista capaz de gerar déficits de comunicação, problemas de interação social e padrões repetitivos de atividades e interesses.

A síndrome ocasionou requerimento de incidente mental de Renan. O magistrado Jeferson Schneider, da 5ª Vara Federal em Mato Grosso, já determinou o trancamento do processo.

O caso segue sob segredo de Justiça. Renan Bezerra foi examinado em novembro de 2017 e a determinação de trancamento do processo ocorreu em dezembro daquele ano.

No processo penal, a alegação de insanidade mental é a defesa na qual alega-se que devido a questões relacionados à faculdade mental (doenças psiquiátricas ou deficiência mental), o réu não é responsável pelas suas ações.

Renan foi alvo na 8ª fase da Operação Ararath, depois foi denunciado pelo Ministério Público Federal e virou réu na ação penal. O processo arrolou ainda o ex-secretário de Fazenda de Mato Grosso, Éder de Moraes Dias, sua esposa Laura Dias, Pedro Arminio Piran e Celso Luiz Duarte Bezerra, pai de Renan Bezerra.

Os réus foram denunciados pelo crime de lavagem de dinheiro. Nesta ação, Éder também é denunciado por falsificação de documentos.

Segundo o Ministério Público Federal, foram arquitetadas várias operações de compra e venda de um terreno no condomínio Florais Cuiabá para “lavar” dinheiro vindo do esquema criminoso de desvio de recursos públicos estaduais em Mato Grosso.

Em 4 anos, os envolvidos simularam de forma fraudulenta quatro vezes a venda do terreno onde foi construída a casa de Éder de Moraes e Laura Dias em Cuiabá, até o imóvel ser registrado em nome do filho menor de idade do casal.

As simulações de venda começaram em 2011, quando Renan Luiz Mendonça Bezerra “vendeu” o terreno para o pai Celso Luiz Duarte Bezerra por cerca de R$ 41,7 mil. Um ano depois, o terreno foi repassado para Pedro Piran pelo mesmo valor, apesar de valer R$ 150 mil.

Em 2014 é simulada uma nova venda do imóvel para o primeiro proprietário Renan Luiz Mendonça Bezerra por R$ 15 mil, sendo que na época o valor venal ultrapassava R$ 1,3 milhão. Seis meses depois, em dezembro de 2014, o terreno foi registrado em nome do filho menor de idade de Éder de Moraes e Laura Dias.

Perícia realizada pela Polícia Federal comprovou que os documentos que tentam dar legalidade às transações de compra e venda foram fraudados.

Além de serem fraudados, os documentos apontam datas de compra e venda que coincidem com o período que o casal já residia na mansão que fora construída no terreno sem os moradores sequer contestarem as diversas operações que transferiam a vários donos o imóvel onde moravam.

A ação proposta pelo Ministério Público Federal pede o sequestro do imóvel residencial, avaliado em mais de R$ 3 milhões, fruto do crime de lavagem de dinheiro. Éder Moraes reafirma não ter havido nenhum tipo de fraude na venda do terreno no Florais dos Lagos, em Cuiabá, onde foi construída sua residência. 



// matérias relacionadas

Segunda, 18 de junho de 2018

06:00 - Perícia da PF confirma mensagens apagadas do celular de Blairo após apreensão

Sexta, 15 de junho de 2018

13:30 - Quatro anos após ameaças, procuradores da Ararath ainda vivem sob escolta

08:42 - Investigação da Operação Ararath já conta com 17 delatores

Quinta, 14 de junho de 2018

17:10 - Receita descobre sonegação de R$ 1,5 bilhão por investigados na Ararath

06:00 - Tentativa de anular parte da Ararath esbarra em nova delação

Quarta, 13 de junho de 2018

17:51 - Ararath completa 5 anos e ainda causa terror

Terça, 12 de junho de 2018

09:05 - José Riva e família têm R$ 55 milhões bloqueados

Terça, 05 de junho de 2018

09:08 - Eder não responde apelação e pode receber sanção

Terça, 22 de maio de 2018

07:54 - Eder Moraes denuncia crimes e afirma que promotor tem 'problema mental'

Segunda, 07 de maio de 2018

10:46 - MP é contra absolvição de Silval, advogados e mais 5 réus na Ararath


// leia também

Segunda, 18 de junho de 2018

09:15 - Juiz afirma que não afastou Taques por falta de pedido

08:29 - Juiz suspende escolta concedida por Taques à juíza Selma Arruda

08:01 - Empresário acusado de lavar dinheiro da Bereré pede liberdade no STJ

Domingo, 17 de junho de 2018

11:40 - Metalúrgica de Alta Floresta é condenada por trabalho infantil

11:31 - Menor que trabalhava como mecânico de automóveis receberá R$ 10 mil em indenização

11:21 - Rede de supermercados é condenada em R$ 5 milhões por descumprir normas

11:19 - Ex-gerente consegue rescisão indireta após excesso em cobrança de metas

10:51 - Estado não pode transferir recursos aos municípios a partir de 7 de julho

10:45 - MP recomenda que empresas informem contratação de painéis publicitários

Sexta, 15 de junho de 2018

16:03 - Ministra do STJ nega mais um pedido de liberdade ao deputado Mauro Savi