WhatsApp Twuitter

Segunda, 12 de março de 2018, 18h20

Médica acusada de matar prefeito é denunciada por exercício ilegal da profissão

Redação do GD


Presa sob a acusação de participar do assassinato do prefeito de Colniza (1.065 km a Noroeste de Cuiabá), Esvandir Antonio Mendes, a médica Yana Fois Coelho Alvareng foi denunciada  pelo Ministério Público do Estado  (MPE) pelo crime de exercício ilegal da Medicina. Essa é a terceira denúncia contra a falsa médica.

Reprodução

Acusada de participação em morte de prefeito é denunciada por exercício ilegal da Medicina

Yana Fois Coelho Alvareng já foi denunciada pelos crimes de falsidade ideológica e uso de documento falso, por ter apresentado certificado irregular de conclusão de residência médica na especialidade de pediatria, no Hospital Municipal André Maggi, no municipio de Colniza.

Além disso, Yana também foi denunciada por participação na morte do ex-prefeito da cidade, Esvandir Antônio Mendes, conhecido como “Vando”, ocorrido no final do ano passado. Atualmente, Yana encontra-se recolhida na Penitenciária Ana Maria do Couto May, em Cuiabá.

De acordo com a nova denúncia do MPE, Yana Fois Coelho Alvarenga exercia a profissão de médica sem autorização legal. Foi apurado que, entre os anos de 2006 a 2007, a denunciada usou documento público falso para obter a transferência do curso de Medicina oferecido pelo InstitutoTocantinense Presidente Antônio Carlos Ltda para a Universidade de Iguaçu (UNIG), no Estado do Rio de Janeiro.

Durante as investigações, o MPE teve acesso a ofícios expedidos pelo Instituto Tocantinense Presidente Antônio Carlos Ltda, em julho de 2007, informando à Universidade de Iguaçu (UNIG) que os documentos utilizados pela referida acadêmica para efetivar a transferência foram adulterados grosseiramente. Além de ter sido reprovada em quase todas as disciplinas do curso, consta na denúncia que ela havia desistido da graduação antes de se transferir para o Estado do Rio de Janeiro.

Ainda, segundo o MPE, em março de 2008,o Reitor da Universidade de Iguaçu expediu Portaria, confirmando a desconstituição de colação de grau de Yana Fois Coelho, com a consequente invalidação do Diploma de médica. O fato foi, inclusive, comunicado ao Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro.

“A denunciada se utilizou o Diploma invalidado, para o exercício ilegal da medicina, no Hospital Municipal André Maggi, entre os anos de 2015 a 2017, laborando, inclusive, no dia em que o então Prefeito de Colniza, Esvandir Antônio Mendes, veio a óbito”, diz a denúncia. (Com informações de Clênia Goreth, repórter MP/MT)



// matérias relacionadas

Quinta, 07 de junho de 2018

08:55 - Juiz marca audiência por morte de prefeito de Colniza e desmembra processo

Sexta, 06 de abril de 2018

11:36 - STJ mantém pedido de prisão contra empresário foragido em ação da Chacina de Colniza

Terça, 03 de abril de 2018

09:09 - MP não vai negociar pena com falsa médica envolvida na morte de prefeito

Sexta, 30 de março de 2018

09:58 - 'Médica' suspeita por morte de prefeito pode negociar pena por exercício ilegal da profissão

Sexta, 23 de março de 2018

10:35 - CRM suspende registro médica envolvida no assassinato de prefeito

Sexta, 16 de março de 2018

16:09 - MPE vai exigir que falsa médica devolva salários recebidos de prefeitura

Terça, 13 de março de 2018

16:48 - MPE quer cela comum para falsa médica envolvida em morte de prefeito

Quarta, 28 de fevereiro de 2018

09:43 - Celular usado por médica na prisão para atualizar redes sociais é apreendido

Terça, 27 de fevereiro de 2018

09:29 - Juiz recebe denúncia contra vereador por fraude em cassação de prefeito

Quarta, 21 de fevereiro de 2018

16:55 - Juiz afasta presidente da Câmara de Colniza que tentou cassar prefeito


// leia também

Quinta, 21 de junho de 2018

10:18 - STJ nega liberdade a empresário acusado de lavar dinheiro da Bereré

07:14 - Juiz da 7ª Vara fica com ação contra Maggi por compra de vaga no TCE

Quarta, 20 de junho de 2018

18:14 - TJ nega liberdade a acusado de desviar R$ 23 milhões de cooperativa

16:55 - Eder Moraes tacha delação de Silval como 'sorrateira' e forjada com aliado

13:39 - Juiz nega pedido para João Arcanjo visitar shopping

13:35 - Governador diz confiar no Judiciário e não comenta prisão de Paulo Taques

11:19 - TCE mantém suspensa licitação de R$ 202 milhões para construir pontes

09:17 - Ministra cita criação artificial de provas para manter Paulo Taques preso

08:07 - Juiz se mantém em ação e vê possível crime de arapongagem cometido por Selma

07:10 - José Riva e Humberto Bosaipo viram réus por fraude de R$ 2,2 milhões