WhatsApp Twuitter

Terça, 10 de abril de 2018, 15h20

Juíza condena ex-servidor e comparsa a devolverem R$ 1,6 mil ao Estado

Celly Silva, repórter do GD


A juíza Célia Regina Vidotti, da Vara Especializada de Ação Civil Pública e Ação Popular, condenou o ex-servidor da Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social (Setas) Lino Dias Vieira e o ex-caixa de posto de combustível João Paulo do Nascimento Lima pela prática de improbidade administrativa e determinou que ambos devolvam aos cofres públicos o montante de R$ 1,666 mil, referente ao dano causado.

Assessoria TJ

Juíza Célia Vidotti

Conforme a denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual (MPE), em 2011, Lino Vieira era motorista da Setas e, em conluio com João Paulo (então funcionário do posto do combustível Amazônia 11), abastecia os veículos da secretaria pagando om o cartão do sistema de Abastecimento e Gestão Automotiva (Saga). No entanto, os abastecimentos ocorriam em quantidade inferior ao que era pago e a diferença de valor era compartilhada entre os condenados, ficando 30% com João Paulo e 30% com Lino.

Por conta disso, o ressarcimento do prejuízo de R$ 1,666 mil gerado pelo esquema de corrupção também ficou partilhado proporcionalmente ao que cada um deles recebia na época dos fatos, ficando Lino responsável por devolver R$ 1,166 mil e João Paulo, R$ 500. Os valores serão acrescidos de juros de 1% ao mês e correção monetária desde o dia 20 de agosto de 2011, data do último abastecimento fraudulento.

Além da devolução do dano, Lino dias Vieira também terá que pagar multa civil de R$ 2,333 mil e João Paulo Lima de R$ 1 mil, valores também acrescidos de juros e correção monetária, a serem contados a partir da data da sentença, proferida no último dia 6. Os valores também serão revertidos aos cofres do Executivo estadual.

Além de ter que devolver o dinheiro, ambos tiveram seus direitos políticos suspensos pelo período de 5 anos e ficaram proibidos de contratar com o Poder Público ou dele receber benefícios ou incentivos fiscais também por 5 anos.

A ação civil tramitou desde janeiro de 2014. Outro processo sobre o mesmo caso tramitou na 7ª Vara Criminal, onde João Paulo fez acordo de delação premiada e se livrou de uma condenação de 3 anos e 4 meses de prisão, por meio do perdão judicial concedido pela juíza (atualmente aposentada) Selma Rosane Santos Arruda.

Na mesma decisão, proferida em agosto de 2016, a magistrada determinou a perda do cargo de Lino Dias Vieira e o condenou a 3 anos e 6 meses de reclusão, pena que acabou sendo substituída por prestação de serviços comunitários e restrição de horário nos finais de semana.  



// matérias relacionadas

Terça, 10 de julho de 2018

17:00 - Fagundes é condenado por improbidade por se autopromover com obras

Terça, 19 de junho de 2018

14:00 - Juíza dá prazo para produção de provas contra Wilson Santos

Terça, 12 de junho de 2018

13:30 - Luiz Soares reverte condenação no TJ e dispara críticas ao Ministério Público

Quinta, 07 de junho de 2018

19:24 - TJ nega recurso de Wilson Santos e mantém sentença que o torna inelegível

Segunda, 04 de junho de 2018

15:23 - Juíza impõe multa de R$ 200 mil e põe Doria no banco dos réus por 'Acelera SP'

Quinta, 24 de maio de 2018

07:30 - Juiz rejeita prescrição e torna empresário e servidor réus por fraudes na SES

Terça, 22 de maio de 2018

14:03 - MPE denuncia prefeito de Alta Floresta por dispensa indevida de licitação

Segunda, 21 de maio de 2018

13:52 - Justiça decide suspender direitos políticos de César Maia

Sexta, 18 de maio de 2018

17:15 - Policiais militares são afastados por causa de sexo e bebida com menores

Quarta, 09 de maio de 2018

10:07 - Justiça acata pedido do MP e afasta agente penitenciário em Aripuanã


// leia também

Quarta, 18 de julho de 2018

17:17 - TJ mantém rescisão de contrato para obras no Aeroporto Marechal Rondon

14:35 - Juiz marca audiência para formar conselho contra tenente acusada por morte de aluno

14:14 - Taques aguarda nova decisão sobre duodécimo e seguirá PEC do Teto de Gastos

12:00 - Audiências em ação penal da Operação Seven são retomadas

12:00 - Advogada de médico diz que é cedo para julgar conduta

11:25 - Postagens de Pedro Taques, Mauro Mendes e Fagundes são alvos do TRE

09:00 - PGR é contra pedido do Estado para evitar pagar duodécimo atrasado

Terça, 17 de julho de 2018

15:57 - Com dívidas de R$ 48 milhões, Grupo Engeglobal entra em recuperação

13:37 - Policial que matou adolescente por engano é liberado da prisão

09:42 - Desembargador arquiva queixa-crime de Wellington Fagundes contra Wilson Santos