WhatsApp Twuitter

Segunda, 16 de abril de 2018, 14h50

MPF manda Estado devolver R$ 4 milhões usados indevidamente em hospital

Redação MPF/MT


O Ministério Público Federal em Mato Grosso (MPF/MT) emitiu uma recomendação, que tem força de notificação, para que o Estado de Mato Grosso ressarça imediatamente a quantia de R$ 4,8 milhões. O montante foi bloqueado judicialmente, para pagamento de dívidas do Estado, na conta do convênio com a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) onde estão os recursos depositados pela União para a construção do novo Hospital Universitário Júlio Müller.

Assessoria

Dinheiro seria usado para construção do hospital Julio Muller

De acordo com a Recomendação, informações prestadas pela Secretaria de Estado de Cidades de Mato Grosso (Secid/MT) dão conta que o total do montante bloqueado judicialmente na conta convênio foi de R$ 9,4 milhões sendo que foi realizado o ressarcimento de R$ 7,5 milhões.

Destes, R$ 7 milhões são referentes ao valor principal, e R$ 504 mil são referentes a rendimentos de juros pela Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz).

A Secid informou que foram utilizados os índices de correção monetária da poupança e que, dessa maneira, o montante ainda a ser ressarcido à conta convênio seria de aproximadamente R$ 3,4 milhões, atualizado até o mês de fevereiro. Mas o relatório de fiscalização da Controladoria Geral da União Regional Mato Grosso (CGU/MT), relativo a análise realizada na movimentação da conta convênio, verificou que, além de não ter ocorrido aporte dos recursos pactuados pelo Estado, ocorreram ainda 32 bloqueios judiciais, via BacenJud, para pagamento de dívidas relativas à área da Saúde em Mato Grosso, totalizando a quantia de R$ 9,4 milhões entre os anos de 2011 e 2015.

“O relatório de Fiscalização proveniente da CGU Regional Mato Grosso pontua que os cálculos de reposição não podem ignorar a rentabilidade da conta-investimento em que estão aplicados os recursos do convênio, uma vez que seriam esses os índices sobre o montante, caso não ocorressem as apropriações”, afirma o MPF na recomendação.

Com isso, levando-se em consideração a rentabilidade da conta-investimento dos recursos do convênio, o montante que resta ao Estado para fazer o ressarcimento estaria valorado em R$ 4,8  milhões. Ou seja, R$ 1,5 milhão a mais do montante apontado pela Secid.

O Estado terá 30 dias para cumprimento da recomendação, sob pena de aplicação de medidas administrativas e ações judiciais cabíveis, sendo responsabilizado por eventuais prejuízos ao erário da União. 



// matérias relacionadas

Sexta, 20 de julho de 2018

11:55 - Juiz nega pedido de advogado que tentava remarcar audiência da grampolândia

Quarta, 11 de julho de 2018

17:45 - TRE proíbe governador de prorrogar programa que parcela dívidas

16:44 - Taques oficializa Fábio Calmon na chefia da Ager

Terça, 10 de julho de 2018

11:00 - Mesmo com redução na arrecadação de ICMS, governo paga salários hoje

Domingo, 08 de julho de 2018

08:00 - Silval diz ter deixado R$ 4 bilhões em caixa e obras para Taques só 'pregar placas'

Sábado, 07 de julho de 2018

18:30 - Reforma tributária de Taques fica só na promessa

Quinta, 05 de julho de 2018

19:02 - Governador Pedro Taques oficializa baixas no staff

14:09 - Juiz retoma processo e marca interrogatório de militares suspeitos por grampos

Quarta, 04 de julho de 2018

13:41 - Taques diz que Silval roubou R$ 1 bilhão e quer dar entrevista como 'popstar'

Terça, 03 de julho de 2018

15:45 - Governador Pedro Taques justifica entrega de obra da saúde inacabada


// leia também

Domingo, 22 de julho de 2018

12:11 - Goiabeiras Shopping terá de disponibilizar creche ou reembolsar trabalhadoras

10:44 - Defesa de conselheiro afastado do TCE pede investigações

Sábado, 21 de julho de 2018

13:02 - Reajustes e criação de cargos no Tribunal de Justiça vão custar R$ 111 milhões

Sexta, 20 de julho de 2018

17:53 - Desembargador nega livrar Mauro Savi da cadeia

14:49 - Juiz vê propaganda ilegal e manda Taques retirar posts do Facebook

10:20 - Acusado de mandar matar prefeito de Colniza quer ser ouvido por carta precatória

07:17 - MPE arquiva investigação contra o MT PAR e assina acordo de ajustamento

Quinta, 19 de julho de 2018

16:32 - Gustavo Oliveira é impedido de concorrer eleição da Fiemt

14:55 - Juiz pede ajuda da polícia e pode prender Arcanjo no dia 2 de agosto

13:46 - Juiz bloqueia R$ 1,2 milhão de deputado, mas nega afastamento