WhatsApp Twuitter

Segunda, 11 de junho de 2018, 07h55

Decisão no STF

Taques recorre para não pagar duodécimo e tenta fugir de bloqueio

Arthur Santos da Silva, repórter do GD


O governador Pedro Taques (PSDB) recorreu na sexta-feira (08), por meio de um agravo interno, para reformar decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que o obriga a pagar a totalidade do duodécimo atrasado à Defensoria Pública de Mato Grosso (DP-MT), valor estabelecido em R$ 12 milhões.

João Vieira

O Poder Executivo pede ainda que a possibilidade de bloqueio das contas seja desconsiderada. Segundo Taques, não existe violação à autonomia financeira da Defensória Pública.

O governador afirma que já repassou mais de 90% dos valores estabelecidos, ou seja, R$ 104 milhões dos R$ 119 milhões esperados. A diferença teria obedecido às “limitações fáticas e jurídicas” do atual cenário econômico.

O Poder Executivo ainda argumentou em seu recurso que foi realizada em 2017 uma reunião entre todos os Poderes para negociar a forma de pagamento dos valores atrasados. Desde então, data da confecção de um “calendário”, o duodécimo devido estaria sendo quitado da forma planejada. A determinação do STF desrespeitaria o calendário estabelecido, priorizando a DPMT.

“Com efeito, ao determinar o pagamento do residual do exercício de 2017 à Defensoria Pública Estadual, a decisão monocrática ofende a isonomia e a paridade em relação aos demais Poderes e Órgãos Autônomos que recebem por meio de duodécimo, na medida em que tais entes também possuem valores a receber em relação ao exercícios anteriores”, afirmou o governador.

O caso

A Defensoria Pública pediu na última semana o bloqueio imediato de R$ 12,6 milhões nas contas do Estado e comunicou a ministra Rosa Weber, do STF, que não deseja se conciliar com o governador sobre o pagamento de duodécimos atrasados.

A manifestação da Defensoria ocorreu após requerimento de Taques pela conciliação. Decisão do Supremo havia determinado repasse imediato dos recursos de duodécimo atrasados e pagamento dos valores futuros obrigatoriamente até o dia 20 de cada mês.

Ao ser contra a audiência de conciliação, a DPMT pede o imediato pagamento. Segundo o órgão, somente com os valores, que atualmente alcançam o montante de R$ 12 milhões, será possível continuar atuando. A manifestação explica ainda que não ocorreu “pacto” de renegociação.

O duodécimo

Tanto a Constituição da República quanto a de Mato Grosso determinam que o duodécimo seja usado pelas instituições públicas e pelos Poderes para a compra de equipamentos, material de trabalho, pagamento da folha salarial e outras despesas.

O repasse é dividido em 12 vezes e cada instituição tem o direito garantido na Lei Orçamentária Anual (LOA) de receber uma porcentagem da receita corrente líquida do Estado.

Para o Poder Judiciário, o valor destinado é de 7,7%, enquanto o Ministério Público Estadual recebe 3,11%.O Tribunal de Contas do Estado recebe 2,71%, a Defensoria Pública tem direito a 0,9% da receita líquida e a Assembleia Legislativa recebe 3,5% das receitas correntes. Desde 2014, por causa da dificuldade no fluxo de caixa, o Governo tem acumulado atrasos de duodécimos.



// matérias relacionadas

Quarta, 13 de junho de 2018

10:04 - Fabris volta a ser julgado por desvio de R$ 1,5 milhão na Assembleia

Segunda, 11 de junho de 2018

08:16 - Governador confessa dever R$ 200 milhões aos Poderes de Mato Grosso

Sexta, 08 de junho de 2018

07:56 - PSL fica sem pré-candidatura ao governo de Mato Grosso

Segunda, 21 de maio de 2018

07:45 - STF manda para Mato Grosso investigação criminal contra Sachetti

Sexta, 13 de abril de 2018

07:55 - STF livra Leitão em processo por fraudes em conjunto com construtoras

Quinta, 12 de abril de 2018

07:08 - STF encerra instrução e está próximo de sentenciar Sachetti por crime de responsabilidade

Sexta, 06 de abril de 2018

08:03 - Ex-secretário da Assembleia Legislativa perde estabilidade funcional após ação

Quinta, 05 de abril de 2018

08:02 - Polícia Federal tem 90 dias para investigar Ezequiel Fonseca por compra de votos


// leia também

Quarta, 15 de agosto de 2018

19:44 - Ex-servidor da Seduc acusado de ameaçar Permínio Pinto ganha liberdade

17:27 - Juiz declara inelegibilidade de ex-secretário e anula eleições da Fiemt

15:55 - MPF investiga atraso de repasse da saúde na gestão Taques - veja portaria

15:24 - Juiz impede Taques de fazer propaganda do 'Pró-família' durante campanha

13:36 - STF mantém apreensão para recuperar mensagens em celular de Maggi

13:06 - PF repassa 9 depoimentos em investigação contra Ezequiel Fonseca

10:48 - MP denuncia Dr. Bumbum e mais 3 por homicídio após morte de bancária

10:10 - José Medeiros consegue liminar no TSE e continua senador

09:05 - STF espera por parecer para decidir sobre liberdade de Paulo Taques e Savi

Terça, 14 de agosto de 2018

19:47 - MP denuncia coronel que pressionava PMs a fazer sexo e PM decide pela expulsão