WhatsApp Twuitter

Sexta, 22 de junho de 2018, 07h35

Índias suspeitas de enterrar bebê vivo vão usar tornozeleiras

Aline Almeida, repórter de A Gazeta


As índias Kutsamin Kamayura, 57, e Tapoalu Kamayura, 33, terão que usar tornozeleira eletrônica e correm o risco de perder o direito à prisão especial. A decisão é do juiz de Canarana, Darwin de Souza Pontes, e foi tomada após receber informações que as duas foram levadas para uma aldeia e não para uma unidade da Fundação Nacional dos Índios (Funai) ao deixarem a prisão. A unidade indicada estaria, inclusive, desativada.

Divulgação

As duas são acusadas de tentar matar a recém-nascida Analu Paluni Kamayura Trumai, enterrada viva no fundo do quintal da família em Canarana (823 km ao leste de Cuiabá). O crime ocorreu no dia 5 deste mês e, segundo as investigações, foi premeditado. Analu é filha de uma adolescente índia de 15 anos solteira com um índio de outra etnia.

As duas índias, bisavó (Kutsamin) e avó (Tapoalu) de Analu foram presas em cadeia pública. Logo após, atendendo pedido do Ministério Público Federal (MPF), o juiz determinou que elas fossem transferidas para a sede da Funai em Gaúcha do Norte.

No entanto, na decisão de quinta-feira (20), o magistrado enfatiza que a informação repassada por policiais é a de que a Fundação não está operando no município para onde as acusadas foram levadas. Kutsamin e Tapoalu teriam sido levadas à aldeia em Gaúcha do Norte. “A premissa postulada, se revelou, em princípio, falsa, e, se não há a sede, a medida não pode ser cumprida da forma em que apresentada postulada pela Funai”, destacou o magistrado.

O juiz determinou que avó e bisavó sejam transferidas para a sede da administrativa da Funai em Canarana em 3 dias, além da colocação da tornozeleira eletrônica para “facilitar a fiscalização do cumprimento da prisão administrativa que restou inviabilizada”.

O magistrado frisou ainda que a polícia faça visitas periódicas ao local de transferência das índias no sentido de verificar se a medida vem sendo cumprida. “Em caso de não cooperação da Funai no presente caso, voltem-me conclusos para medidas cabíveis, inclusive para revogação da prisão especial”, finaliza.



// matérias relacionadas

Quinta, 12 de julho de 2018

07:50 - Juiz ameaça decretar nova prisão de bisavó que enterrou criança indígena

Quarta, 11 de julho de 2018

15:31 - Bebê indígena deixa Santa Casa e segue para abrigo em Canarana

Terça, 10 de julho de 2018

07:24 - Pai de bebê indígena é identificado e quer guarda

Segunda, 09 de julho de 2018

17:55 - Bebê indígena recebe alta médica, mas seu destino é incerto

09:30 - Bebê indígena que foi enterrada viva tem melhora e vai deixar leito de UTI

Terça, 03 de julho de 2018

16:10 - Bebê indígena apresenta melhoras, mas segue internada em UTI

Quinta, 28 de junho de 2018

12:10 - Indígena tenta matar filha que teve com 'homem branco' e PJC investiga

Segunda, 25 de junho de 2018

14:15 - Bebê indígena respira sem ajuda de aparelhos, mas estado ainda é grave

Quarta, 20 de junho de 2018

13:00 - MP realiza estudo antropológico para definir o destino de bebê indígena

Terça, 19 de junho de 2018

14:35 - Bebê indígena continua internada em UTI em estado grave


// leia também

Segunda, 16 de julho de 2018

19:26 - Juiz manda Taques retirar publicidade em seu Instagram em 3 dias

16:01 - Ministra nega HC a ex-servidor da Seduc acusado de ameaçar Permínio

15:10 - Juiz manda Estado garantir incentivo fiscal concedido à cervejaria

15:08 - Juiz confirma recebimento de denúncia contra ex-presidente do MT Saúde

14:13 - João Emanuel e filho de desembargador são condenados por desvios na Câmara

12:06 - Juiz condena ex-servidores da Sefaz por fraudes de R$ 2,1 milhões

Sábado, 14 de julho de 2018

08:30 - Juiz Jorge Tadeu remarca audiências contra réus por fraude de R$ 7 milhões

Sexta, 13 de julho de 2018

18:29 - TCE investiga Faiad por doações de veículos e prejuízo de R$ 2,6 milhões

17:41 - Presidente do STF não julga pedido de liberdade de réu da Bereré

16:43 - Janaina tem salário liberado, mas R$ 55 mi da família Riva seguem bloqueados