WhatsApp Twuitter

Terça, 10 de julho de 2018, 13h15

propina no detran

Empresário acusado de lavar dinheiro da Bereré pede liberdade no STF

Arthur Santos da Silva, repórter do GD


O empresário Roque Anildo Reinheimer, preso na 2ª fase da Operação Bereré, impetrou habeas corpus no Supremo Tribunal Federal (STF) e aguarda julgamento por liberdade desde segunda-feira (9). Roque é acusado de integrar uma organização criminosa que movimentou mais de 30 milhões em propina junto ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MT).

Chico Ferreira

Leia também - Juiz condena 5 ex-servidores por fraudes milionárias em ICMS

Habeas corpus foi distribuído à ministra Rosa Weber. Conforme as investigações do Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco), ele era sócio da Santos Treinamento, empresa de fachada usada para receber parte da propina desviada de contrato firmado pela EIG Mercados (antiga FDL Serviços) com o Detran, para prestar serviços de registro de veículos.

O esquema, de acordo com o Gaeco, foi operado entre 2009 quando foi assinado o contrato, até 2015. O empresário foi preso em 9 de maio de 2017.

A prisão de Roque, estabelecida pelo desembargador José Zuquim, complementa outros 4 mandados de prisão preventiva e 5 de busca e apreensão em Cuiabá, São Paulo e Brasília.

Rosinei Coutinho/STF

Além de Roque Anildo, foram presos preventivamente o ex-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, seu irmão, Pedro Zamar Taques, o ex-deputado estadual Mauro Savi, o empresário Claudemir Pereira dos Santos, vulgo “Grilo” e o também empresário José Kobori.

O caso

Segundo os autos, após as operações Bereré e Bônus, processo foi formulado e entre os denunciados estão 7 deputados estaduais, um ex-governador e seu chefe de gabinete, um ex-deputado federal, um ex-secretário de Estado e um ex-chefe de autarquia.

Da Assembleia Legislativa, foram denunciados: o presidente do Parlamento Estadual, José Eduardo Botelho (DEM) e os deputados Mauro Luiz Savi (DEM), José Domingos Fraga Filho (PSD), Wilson Pereira dos Santos (PSDB), José Joaquim de Souza Filho (PSDB), Ondanir Bortolini (PSD) e Romoaldo Aloisio Boraczynski Júnior (MDB).

Também figuram como réus o ex-governador Silval da Cunha Barbosa, o ex-deputado federal Pedro Henry, o ex-presidente do Detran, Teodoro Moreira Lopes e o ex-chefe de gabinete do ex-goveranador, Sílvio Cézar Corrêa Araújo

De acordo com o MPE, os fatos vieram à tona a partir de colaborações premiadas. O esquema girou em torno da contratação da empresa responsável pela execução das atividades de registros junto ao Detran dos contratos de financiamentos de veículos com cláusula de alienação fiduciária, de arrendamento mercantil e de compra e venda com reserva de domínio ou de penhor.

Na ocasião, para obter êxito na contratação, a empresa se comprometeu a repassar parte dos valores recebidos com os contratos para pagamento de campanhas eleitorais. Estima-se, que foram pagos cerca de R$ 30 milhões em propinas.

 



// matérias relacionadas

Sexta, 20 de julho de 2018

17:53 - Desembargador nega livrar Mauro Savi da cadeia

Segunda, 16 de julho de 2018

10:03 - Preso há dois meses, Mauro Savi recebe salários como deputado

Sexta, 13 de julho de 2018

17:41 - Presidente do STF não julga pedido de liberdade de réu da Bereré

Quinta, 12 de julho de 2018

14:10 - Zuquim se afasta e TJ não julga empresários presos propina no Detran

Segunda, 09 de julho de 2018

10:30 - Detran aditiva em R$ 2,6 milhões contrato com empresa investidada

07:10 - Desembargador envia explicação à ministra sobre prisão de Savi

Quinta, 05 de julho de 2018

12:03 - Zuquim desmembra processo Bereré e julga Savi e Paulo taques em separado

Terça, 03 de julho de 2018

19:40 - EIG Mercados confirma demissão de 61 funcionários que atuavam no Detran

07:03 - Interventor pede rescisão de contrato no Detran alvo em operação

Segunda, 02 de julho de 2018

13:24 - STF nega pedido da Assembleia Legislativa para soltar Mauro Savi


// leia também

Sexta, 20 de julho de 2018

14:49 - Juiz vê propaganda ilegal e manda Taques retirar posts do Facebook

11:55 - Juiz nega pedido de advogado que tentava remarcar audiência da grampolândia

10:20 - Acusado de mandar matar prefeito de Colniza quer ser ouvido por carta precatória

07:17 - MPE arquiva investigação contra o MT PAR e assina acordo de ajustamento

Quinta, 19 de julho de 2018

16:32 - Gustavo Oliveira é impedido de concorrer eleição da Fiemt

14:55 - Juiz pede ajuda da polícia e pode prender Arcanjo no dia 2 de agosto

13:46 - Juiz bloqueia R$ 1,2 milhão de deputado, mas nega afastamento

12:25 - Zuquim nega vistoria da AL na cela de Mauro Savi mas autoriza visitas

10:55 - TJ mantém Humberto Bosaipo condenado por improbidade administrativa

10:04 - Juiz do TRE nega condenar Taques por reuniões com servidores