WhatsApp Twuitter

Terça, 10 de julho de 2018, 13h54

danos de R$ 10 milhões

Juiz nega pedido de construtora e mantém ação contra Wilson Santos pelo Rodoanel

Arthur Santos da Silva, repórter do GD


O juiz federal Raphael Casella de Almeida Carvalho, da 8ª Vara de Cuiabá, negou recurso para determinar o trancamento de uma ação civil contra o deputado estadual Wilson Santos (PSDB), réu por fraude à licitação e pagamento indevido na construção do Rodoanel, em Cuiabá, danos estimados em R$ 10 milhões (atualizados em R$ 20 milhões).

Rodinei Crescêncio

O pedido de trancamento constava em recurso de Embargos de Declaração em nome da Conspavi Construcao e Participacao Ltda, também ré no processo.

A construtora argumentava passar por recuperação judicial, assim, a 8ª Vara seria incompetente para julgar o processo, devendo, segundo entendimento da defesa, toda a ação ser suspensa.

Leia também - Empresário acusado de lavar dinheiro da Bereré pede liberdade no STF

“A parte alega que a empresa ré, ora em referência teve sua falência decretada em 13/12/2011 pela 1ª Vara Cível, Recuperação Judicial e Falência da comarca de Cuiabá, solicitando o declínio de competência por tratar-se de juízo universal”, afirma trecho do processo.

Em sua decisão, Raphael Casella considerou que a ação por ato de improbidade administrativa não deve ser distribuído por dependência ao mesmo gabinete responsável pela ação de recuperação judicial. A distribuição deveria assim proceder somente se existisse liquidação de valores, ou seja, caso a construtora já estivesse condenada a restituir dinheiro público.

A decisão é do dia 28 de junho.

A ação

A ação do Ministério Público Federal (MPF) foi recebida pelo juiz Raphael Cazelli em agosto de 2016. Além de Wilson, que na época era candidato a prefeito de Cuiabá, se tornaram réus os ex-secretários municipais Enedino Antunes Soares e Orozimbo José Guerra Neto, e as empresas Conspavi Construção e Participação Ltda e Três Irmãos Engenharia Ltda.

O magistrado livrou 8 pessoas das acusações: seis pela prescrição dos supostos ilícitos e dois pela falta de indicação de quais atos irregulares elas teriam praticado.

Em janeiro de 2015 o juiz federal substituto Fábio Henrique Rodrigues havia decretado o bloqueio de bens do ex-prefeito dos ex-secretários das construtoras e dos empresários Manoel Avalone e Luis Francisco Félix até o total de R$ 22,9 milhões.

Segundo o MPF, Wilson teria promovido a licitação da obra sem cobertura orçamentária, apenas para escolher previamente a empreiteira que executaria as obras e desmotivar outros potenciais interessadas a participar do certame.

Outro lado

Wilson santos emitiu a seguinte nota:

O deputado Wilson Santos (PSDB) esclarece que esse recurso não foi de sua autoria e que conseguiu na Justiça aquilo que solicitou no que se refere a esse caso, que é a autorização para a perícia.

Reitero que minha defesa está em tratativa com o juízo sobre como e quando fazer essa perícia.
 
A decisão dada pelo juiz, neste caso do recurso negado, não muda em absolutamente nada. Esse recurso é da empresa.

Sustento que desejo refazer a perícia porque as decisões anteriores referentes a esse caso foram feitas com base em auditoria feita pelo Exército que não condiz com os fatos.

Queremos que o juiz nos autorize um perito indicado pela justiça para fazer toda essa medição.
 
Ressalto que todas as cinco medições pagas possuíam relatório técnico que embasaram a aplicação dos recursos.

Jamais fiz um único pagamento sem parecer técnico com engenheiros.



// matérias relacionadas

Sexta, 04 de maio de 2018

09:35 - Wilson Santos deve indicar perícia em processo por fraude no Rodoanel


// leia também

Sexta, 20 de julho de 2018

17:53 - Desembargador nega livrar Mauro Savi da cadeia

14:49 - Juiz vê propaganda ilegal e manda Taques retirar posts do Facebook

11:55 - Juiz nega pedido de advogado que tentava remarcar audiência da grampolândia

10:20 - Acusado de mandar matar prefeito de Colniza quer ser ouvido por carta precatória

07:17 - MPE arquiva investigação contra o MT PAR e assina acordo de ajustamento

Quinta, 19 de julho de 2018

16:32 - Gustavo Oliveira é impedido de concorrer eleição da Fiemt

14:55 - Juiz pede ajuda da polícia e pode prender Arcanjo no dia 2 de agosto

13:46 - Juiz bloqueia R$ 1,2 milhão de deputado, mas nega afastamento

12:25 - Zuquim nega vistoria da AL na cela de Mauro Savi mas autoriza visitas

10:55 - TJ mantém Humberto Bosaipo condenado por improbidade administrativa