WhatsApp Twuitter

Sexta, 16 de junho de 2017, 09h50

BRIGA INTERNA

Garcia diz que deputados do PSB não deixam base aliada de Taques

Celly Silva, repórter do GD


Mesmo com a provável saída em bloco dos deputados estaduais do Partido Socialista Brasileiro (PSB), decorrente da volta do deputado federal Valtenir Pereira para a legenda já ocupando a presidência estadual, a bancada socialista deve permanecer na base aliada do governador Pedro Taques (PSDB).

Leia também - Valtenir volta para PSB e Botelho avalia debandada

Marcus Vaillant/A Gazeta

Deputado federal Fábio Garcia (PSB)

É o que defende o ex-presidente estadual da sigla, deputado federal Fábio Garcia. Segundo ele, a lei eleitoral que trata sobre fidelidade partidária não impede que os parlamentares tomem posição quanto ao governo. “A lei não vai obrigar nenhum deputado a ser oposição ou ser base de nenhum governo. A única coisa que a lei diz é que quando um parlamentar se elege por um partido, ele não pode mudar de partido ao longo daquela legislatura, sob risco de incorrer em infidelidade partidária”, disse.

Com relação ao risco dessa infidelidade partidária por saída do partido, Garcia ponderou que há exceções, em que fica garantida a vaga do deputado mesmo deixando o partido pelo qual se elegeu fora da chamada “janela partidária”. O parlamentar explica que essa saída pode ocorrer sem prejuízo do cargo caso a pessoa apresente justificativas. “Por exemplo, uma perseguição, um ato contra um deputado, um ato do partido que demonstre que tem razão para aquele parlamentar mudar de partido sem a penalização”, explicou Fábio Garcia em entrevista à Rádio Capital FM, na manhã desta sexta-feira (16).

Com exceção do deputado estadual Mauro Savi, que se elegeu pelo Partido Republicano (PR), todos os atuais deputados do PSB – Eduardo Botelho, Oscar Bezerra e Professor Adriano – se elegeram demonstrando apoio ao governador Pedro Taques.

Conforme Garcia, eles podem continuar apoiando o tucano mesmo se permanecerem no PSB. Nesse caso, eles poderiam sofrer sanções dentro do próprio partido, caso o novo presidente Valtenir Pereira traga consigo o papel de opositor. 

“Mas aí já não é uma questão de legislação, é uma questão interna do partido, de estatuto do partido, onde o presidente do partido dá uma determinação de ser oposição e essa determinação então não é seguida por algum parlamentar. Isso passa por um processo que chega no conselho de ética do partido e o conselho de ética vai analisar qual será a eventual punição de não seguir uma orientação partidária”, esclareceu Garcia.


Valtenir Pereira não foi bem recebido de volta ao PSB-MT

Leia também - Fábio Garcia diz que vinda de Valtenir é 'incoerência'

Apesar disso, ele defende que a coerência dos deputados seja mantida, conforme vem ocorrendo desde a eleição de 2014. ”No caso dos deputados do PSB, a gente precisa lembrar que eles fizeram uma campanha apoiando o projeto de governo do governador Pedro Taques. Então, me soaria muito raro que eles pudessem ser considerados infiéis porque, de uma hora pra outra, o partido mudou radicalmente e mudou de posição. Eles estão seguindo aquilo que é mais importante na democracia, aquilo que eles pactuaram com a população, que era, naquele momento, estar apoiando o governo do governador Pedro Taques”, afirmou.

Alternativas em caso de saída

Questionado sobre as possibilidades partidárias em caso de saída em bloco do PSB, Garcia disse que ainda é cedo para falar disso, mas admitiu que existe uma série de legendas com as quais os membros do PSB têm bom convívio e que poderiam ser alternativas.

“Com relação a partido, existem inúmeros convites e, nesse momento, ainda é prematuro pra gente começar a direcionar partido A, B, C ou D. Óbvio que a gente tem bom relacionamento com muitas lideranças de muitos partidos políticos. Nós temos um bom relacionamento com o ministro Blairo Maggi, nós temos bom relacionamento com o senador Jayme [Campos] e com o deputado Dilmar Dal Bosco, do DEM, nós temos um bom relacionamento com o deputado federal Nilson Leitão e com o governador Pedro Taques, do PSDB, nós temos um bom relacionamento com o deputado Ezequiel [Fonseca], do PP, junto com o Blairo Maggi, com o Osvaldo Sobrinho do PTB, com o Júlio Campos...Quer dizer, nós temos um bom relacionamento com muitas pessoas. Obviamente, esse vínculo nos abre portas pra que a gente possa ter um conjunto de partidos que a gente possa estar dialogando como uma possível solução, mas é muito cedo”.

Entre este final de semana até a próxima semana, as lideranças do PSB em Mato Grosso devem se reunir para debater qual o caminho a seguir, já que o retorno de Valtenir não foi bem aceito. Eles ainda pretendem ouvir o próprio Valtenir para saber quais serão as novas diretrizes do partido no estado, antes de tomar uma decisão definitiva.
 



// matérias relacionadas

Segunda, 04 de dezembro de 2017

19:52 - Juiz nega pedido de Botelho para deixar o PSB

Terça, 28 de novembro de 2017

12:15 - Eduardo Botelho tem pressa em deixar PSB e sinaliza ir sozinho à Justiça

Sexta, 24 de novembro de 2017

11:22 - Dissidentes do PSB entram na Justiça para deixar partido

Quarta, 22 de novembro de 2017

10:57 - 'Iremos aonde o Oscar for', diz Luciane Bezerra sobre saída do PSB

Quarta, 15 de novembro de 2017

10:40 - Dissidentes do PSB se reúnem para avaliar propostas

Terça, 14 de novembro de 2017

12:31 - Fábio Garcia está de olho na presidência do DEM

Sexta, 10 de novembro de 2017

07:45 - Alckmin diz que não foi consultado sobre destituição de Tasso

Sexta, 03 de novembro de 2017

12:38 - DEM recebe 9 dissidentes do PSB em Mato Grosso

Quarta, 25 de outubro de 2017

09:59 - Garcia e Sachetti deixam PSB antes de serem expulsos

Domingo, 22 de outubro de 2017

09:20 - PSB retira Fábio Garcia da CCJ na Câmara para não votar a favor de Temer


// leia também

Quarta, 13 de dezembro de 2017

18:46 - Prefeito se reúne com ministro e quer liberação de R$ 132 milhões para Cuiabá

17:51 - Senado aprova FEX e MT deve receber R$ 496 milhões da União

15:04 - Após reclamação, prefeito apresenta substitutivo da LOA

14:33 - Naco investiga Mauro Savi por suposta corrupção no Detran

12:42 - Riva depõe após Eder afirmar que ele teve participação nas cartas de crédito

Terça, 12 de dezembro de 2017

19:32 - Vereadores de Cuiabá concedem 13º salário para si mesmos

19:02 - Deputados aprovam orçamento de R$ 20,3 bilhões para o Estado

16:50 - TCE dá 15 dias para Emanuel explicar falta de pagamento à empresa

16:01 - Comissão no Senado aprova liberação de quase R$ 500 mi do FEX para MT

14:04 - Recriação da SEC 300 é aprovada na Câmara