WhatsApp Twuitter

Segunda, 07 de maio de 2018, 12h30

provocação de mendes

Me deixem trabalhar, diz Taques ao rejeitar desafio para comparar gestões

Pablo Rodrigo, repórter do GD


Chico Ferreira

O governador Pedro Taques (PSDB) recorreu ao estilo "Lulinha Paz e Amor" e evitou prolongar a troca de "alfinetadas" com o ex-prefeito Mauro Mendes (DEM), seu ex-aliado político. "Não quero fazer comparação e não estou preocupado com eleição agora. Eu tô preocupado em continuar trabalhando e administrar Mato Grosso", disse Taques na manhã desta segunda-feira (7) durante a assinatura da ordem de serviço para construção do Centro de Inovação do Parque Tecnológico em Várzea Grande.

A resposta foi direcionada a Mauro Mendes, que na semana passada desafiou o governador a comparar números entre a sua gestão como prefeito (2013-2016) com os dados do governo Taques (2015-2018). "É simples. Basta ver como peguei a prefeitura de Cuiabá, vamos ver o balanço lá de 2012, que foi o ano que foi me entregue, no início de 2013 e ver como foi entregue em 2016", disse Mendes.

Leia também - Mendes desafia Taques a comparar gestão de cada um e diz que crise já passou

A "troca de farpas" começou em abril, quando Mendes disse que o governador deixaria o Estado "quebrado financeiramente" para a próxima gestão. Taques ironizou a declaração do ex-prefeito dizendo que "algumas empresas quebram também por fracasso”, fazendo alusão às empresas Mavi Engenharia e Construções, Bipar Investimentos e Participações S/A, Bipar Energia S/A e Bimetal Indústria Metalúrgica, de propriedade de Mendes estarem em recuperação judicial com dívidas de R$ 100 milhões.

"Os adversários podem criticar à vontade, só me deixem trabalhar. Só isso", continuou Taques.

Mauro Mendes está entre os 31 ex-aliados de Taques que assinaram o manifesto "porque não apoiamos a reeleição do governador Pedro Taques", divulgado semanas atrás.

“Acreditamos que, em 2014, Pedro Taques seria corajoso para tomar as medidas necessárias de transformação que a população tanto almejava, não fez. Com o passar do tempo e com profunda tristeza, constatamos que nada disso ou muito pouco aconteceu”, diz trecho do manifesto.

Chico Ferreira

O documento cita que a “marca” do governo foi passar parte de sua gestão “olhando para o retrovisor” e “culpando a administração anterior”, enquanto o Estado sofria com a crise sem que Taques se propusesse a discutir alternativas e implantar soluções para resolver o problema.

O manifesto destaca ainda que Taques teve a maior rotatividade de secretários da “história do governo do Estado”, em razão de inúmeros desses terem sido presos em escândalos de corrupção do governo. Entre eles estariam a “grampolândia pantaneira”, desvio de verbas da Educação e desvio de finalidade do Fundo Estadual de Transporte e Habitação (Fethab). 



// matérias relacionadas

Sexta, 17 de agosto de 2018

19:49 - MPE barra candidatura de Miguelão a deputado

19:35 - TRE define tempo de propaganda no rádio e TV

18:31 - Pecival Muniz declara apoio a Jayme Campos para o Senado

16:21 - TRE nega pedido de Mendes para exonerar 20 assessores do governo

16:15 - Fagundes promete não ficar 'preso' no Palácio se for eleito governador

15:20 - Rui Prado rebate Fávaro e lembra que papel de vice é de ajudar o governo

13:03 - Tenente-coronel manda recado a Mauro Mendes por criticar escala de policiais - veja vídeo

11:46 - Selma Arruda consegue autorização judicial para acessar dados de pesquisa

09:54 - Justiça condena Juca do Guaraná a retirar gabinete itinerante de circulação

07:26 - Burocracia reduz campanha em circulação


// leia também

Sexta, 17 de agosto de 2018

07:15 - Estado faz contraproposta ao projeto de reajuste do FEX

Quinta, 16 de agosto de 2018

19:23 - Deputado Baiano Filho desiste de reeleição e deve apoiar Mendes ao governo

17:29 - Mauro Mendes é gravado criticando escala de PMs e depois fala em fake news - ouça áudios

16:57 - Jayme aponta vantagem de Mauro Mendes em relação a adversários

14:14 - Câmara de Cuiabá institui sessão única durante período eleitoral

13:25 - Ex-secretária de Saúde confirma que nepotismo a fez deixar gestão de Emanuel

13:00 - Mendes inicia campanha criticando gestão Taques e atrasos de repasses

09:55 - Juiz manda retirar outdoor favorável a Bolsonaro em Alta Floresta

07:22 - Candidatos já podem começar a pedir votos

Quarta, 15 de agosto de 2018

19:00 - Taques só entende de grampos ilegais, reage advogado do senador Medeiros