WhatsApp Twuitter

Terça, 15 de maio de 2018, 13h30

governo do estado

Leitão busca aliança com DEM, mas Jayme Campos quer disputa majoritária

Celly Silva, repórter do GD


O deputado federal e pré-candidato a senador Nilson Leitão (PSDB) manifestou o interesse em fazer uma aliança entre seu partido e o Democratas (DEM) para as eleições gerais deste ano, em que o governador Pedro Taques (PSDB) tenta a reeleição. “É uma luta diária para estarmos juntos tanto na nacional, quanto na estadual [...] A nossa relação com o Jayme [Campos], com o Dilmar [Dal Bosco], com o Júlio Campos é sempre muito amistosa, muito respeitosa. O desejo nosso é estar juntos”, disse o parlamentar.

Chico Ferreira

Nilson Leitão e Jayme Campos

Após a declaração do tucano, o ex-senador Jayme Campos,  possível candidato do DEM ao governo ou ao senado, agradeceu a manifestação de interesse por aliança com os democratas, mas lembrou que o projeto do partido “até que se prove o contrário” é disputar a chapa majoritária, ou seja, contra o governador Pedro Taques.

“Em política tudo é possível, no entanto, o partido tem um projeto hoje, até que se prove o contrário, de ter candidatura própria, mas não se descarta também nenhuma coligação partidária”, ponderou.

“O que é mais importante é que as portas estão abertas. Esse é o fundamento da política: quando você tem bom relacionamento com os partidos, com as lideranças políticas e, sobretudo, com a sociedade. Isso se faz na prática”, afirmou Jayme.

Ele lembrou que o PSDB e o DEM sempre foram parceiros, tanto nacional quanto regionalmente, e que por isso não vê nenhuma dificuldade de ambos caminharem juntos no futuro. “Isso faz parte da democracia e, acima de tudo, numa prática em que possamos discutir bons projetos, boas teses em relação às eleições de 2018”, disse.

Nos últimos meses, desde que o DEM sinalizou que pretende ter candidatura própria ao governo do Estado, seus líderes passaram a disparar críticas à gestão do governador Pedro Taques, que passou a rebater os comentários, algumas vezes de forma irônica, como quando aconselhava os opositores a ler a Bíblia.

O argumento do DEM para se afastar do atual governo é que o partido possui nomes suficientes para sustentar uma chapa a governo e Senado, cujos principais cotados são o ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes e o próprio Jayme Campos.  



// matérias relacionadas

Sexta, 17 de agosto de 2018

19:49 - MPE barra candidatura de Miguelão a deputado

19:35 - TRE define tempo de propaganda no rádio e TV

18:31 - Pecival Muniz declara apoio a Jayme Campos para o Senado

16:21 - TRE nega pedido de Mendes para exonerar 20 assessores do governo

16:15 - Fagundes promete não ficar 'preso' no Palácio se for eleito governador

15:20 - Rui Prado rebate Fávaro e lembra que papel de vice é de ajudar o governo

13:03 - Tenente-coronel manda recado a Mauro Mendes por criticar escala de policiais - veja vídeo

11:46 - Selma Arruda consegue autorização judicial para acessar dados de pesquisa

09:54 - Justiça condena Juca do Guaraná a retirar gabinete itinerante de circulação

07:26 - Burocracia reduz campanha em circulação


// leia também

Sexta, 17 de agosto de 2018

07:15 - Estado faz contraproposta ao projeto de reajuste do FEX

Quinta, 16 de agosto de 2018

19:23 - Deputado Baiano Filho desiste de reeleição e deve apoiar Mendes ao governo

17:29 - Mauro Mendes é gravado criticando escala de PMs e depois fala em fake news - ouça áudios

16:57 - Jayme aponta vantagem de Mauro Mendes em relação a adversários

14:14 - Câmara de Cuiabá institui sessão única durante período eleitoral

13:25 - Ex-secretária de Saúde confirma que nepotismo a fez deixar gestão de Emanuel

13:00 - Mendes inicia campanha criticando gestão Taques e atrasos de repasses

09:55 - Juiz manda retirar outdoor favorável a Bolsonaro em Alta Floresta

07:22 - Candidatos já podem começar a pedir votos

Quarta, 15 de agosto de 2018

19:00 - Taques só entende de grampos ilegais, reage advogado do senador Medeiros