WhatsApp Twuitter

Quarta, 16 de maio de 2018, 17h11

AMM vai acionar STF para cobrar repasses atrasados na Saúde

Celly Silva, repórter do GD


Com mais de R$ 184,2 milhões em atrasos na área da Saúde em relação aos repasses do Estado para as Prefeituras, a Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM) vai acionar o Supremo Tribunal Federal (STF), na próxima semana, para cobrar do governador Pedro Taques (PSDB) os pagamentos. A informação foi confirmada pelo presidente da entidade, Neurilan Fraga (PSD), na tarde desta quarta-feira (16).

Chico Ferreira

Neurilan Fraga, presidente da AMM

O montante é referente a repasses atrasados da atenção básica e média e alta complexidade, que se arrastam desde setembro de 2016. No caso da atenção básica, a AMM aponta que faltam os pagamentos de R$ 23,3 milhões relativos aos meses de setembro, outubro e dezembro de 2016; R$ 25,5 milhões correlatos ao período de setembro a dezembro de 2017 e R$ 25,9 milhões correspondentes ao primeiro quadrimestre deste ano, totalizando R$ 74,8 milhões.

Já na média e alta complexidade, a AMM afirma que os municípios têm R$ 8,3 milhões de restos a receber referentes a 2016, R$ 58,7 milhões oriundos de 2017 e R$ 42,3 milhões que não foram pagos neste ano, ultrapassando os R$ 109,4 milhões. Os dados são os divulgados no Sistema Integrado de Planejamento, Contabilidade e Finanças (Fiplan), alimentado pelo Executivo estadual.

Neurilan Fraga afirma que já tentou por diversas vezes, por meio de ofícios e agendamentos de reuniões, conversar com os secretários de Saúde e de Fazenda, mas não conseguiu retorno para suas demandas, o que levou os prefeitos a decidirem ir à Justiça. “Na ação política nós já não acreditamos mais até porque nós já buscamos o entendimento e isso praticamente exauriu”, disse.

Chico Ferreira

Porém, segundo o gestor, “acendeu uma luz no túnel”, no caso, duas reuniões que ele terá na quinta-feira (17) com os secretários estaduais de Saúde e Fazenda, Luiz Soares e Rogério Gallo, respectivamente. “Vamos ouvir o que eles têm para nos oferecer. Nós não somos intransigentes, tanto que estamos segurando dívida do ano de 2016, na área da saúde”, afirmou.

Mesmo com a negociação em vista, a via jurídica já está definida. E o caso será impetrado no Supremo Tribunal Federal (STF) porque a Justiça estadual já declarou a AMM ilegítima para acionar o Estado, o que não ocorre na instância máxima da Justiça brasileira, onde a entidade municipalista já obteve vitórias contra o governo, como lembra Neurilan Fraga.

“Nós ganhamos aquela questão do Fethab em 2015 lá no STF, nós ganhamos uma ação do Fundeb, de repasses ainda de um antigo fundo também no Supremo Tribunal Federal. Foi reconhecido que a AMM tem legitimidade”.

Fraga destaca que já são 3 anos de atrasos e na área da saúde, o que tem prejudicado o atendimento à população em seus municípios. “Como que os municípios, os prefeitos vão fazer a atenção básica, fazer aquela saúde preventiva pra não deixar as pessoas adoecerem se não recebem os repasses do governo? Os repasses já são pequenos e aí tem uma dívida desse tamanho!”, comentou.  



// matérias relacionadas

Quinta, 16 de agosto de 2018

15:08 - Erros e infecções em hospitais matam 6 a cada hora no Brasil

Quarta, 15 de agosto de 2018

18:06 - MP investiga médico que é ex-BBB e candidato a deputado em MT

15:55 - MPF investiga atraso de repasse da saúde na gestão Taques - veja portaria

Sexta, 10 de agosto de 2018

07:50 - Hospital Geral cancela cirurgias e recusa pacientes de UTI

Quinta, 02 de agosto de 2018

08:45 - Entenda como será a campanha de vacinação contra o sarampo e a pólio

Quarta, 01 de agosto de 2018

16:30 - Processado pelo MP, Luiz Soares diz que obedece leis e nega crimes

11:57 - Pesquisa aponta que home care é o serviço de saúde que mais cresce no Brasil

Segunda, 30 de julho de 2018

16:58 - ANS revoga norma que prevê cobrança de até 40% dos clientes em planos

Sexta, 27 de julho de 2018

15:01 - Problema em distribuição afeta estoques de vacina contra meningite C

13:20 - Teste do pezinho identifica mais de 20 doenças congênitas


// leia também

Sexta, 17 de agosto de 2018

18:31 - Pecival Muniz declara apoio a Jayme Campos para o Senado

16:15 - Fagundes promete não ficar 'preso' no Palácio se for eleito governador

15:20 - Rui Prado rebate Fávaro e lembra que papel de vice é de ajudar o governo

13:03 - Tenente-coronel manda recado a Mauro Mendes por criticar escala de policiais - veja vídeo

07:26 - Burocracia reduz campanha em circulação

07:15 - Estado faz contraproposta ao projeto de reajuste do FEX

Quinta, 16 de agosto de 2018

19:23 - Deputado Baiano Filho desiste de reeleição e deve apoiar Mendes ao governo

17:29 - Mauro Mendes é gravado criticando escala de PMs e depois fala em fake news - ouça áudios

16:57 - Jayme aponta vantagem de Mauro Mendes em relação a adversários

14:14 - Câmara de Cuiabá institui sessão única durante período eleitoral