WhatsApp Twuitter

Quinta, 07 de junho de 2018, 13h00

nada a ver

Victório Galli nega aliança entre PSL e grupo de Pedro Taques por reeleição

Celly Silva, repórter do GD


Após ter participado de um “chá com bolo” na casa do governador Pedro Taques (PSDB), juntamente com a juíza aposentada e pré-candidata ao Senado, Selma Arruda (PSL), o presidente estadual do PSL, deputado federal, Victório Galli, disse que o encontro não significa qualquer sinalização de aliança. As  especulações de apoio ao grupo do tucano surgiram porque o então pré-candidato ao governo da legenda, o ex-prefeito de Sorriso Dilceu Rossato, estaria disposto a abrir mão da disputa por causa da possível candidatura do colega, o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT).

Chico Ferreira

Deputado federal Victório Galli

Em entrevista à Rádio Capital FM, na manhã desta quinta-feira (7), Victório Galli disse que a especulação de coligação com o governador “não tem nada a ver” e que somente participou da reunião a pedido dos demais partidos considerados “nanicos” e membros da “frentinha”, que foram convidados por Taques.

“Eu não quis ir com os outros partidos. Foram os outros partidos que provocaram o encontro, a chamada frentinha. Ele [Pedro Taques] nos convidou pra conversar sobre política e, no PSL, nós somos educados, nós somos elegantes. Se o Wellington Fagundes também nos convidar, nós vamos ouvi-lo”, disse o político.

Leia também - Taques confirma encontro com Selma, mas nega convite para chapa

De acordo com Galli, apesar de já pensar em um "plano B" caso não haja candidatura majoritária no partido que coordena, ou seja, coligação com o candidato de outra sigla, não se sente confortável para fazer uma aliança com o atual governador.

A principal crítica que ele faz ao gestor é o fato da saúde não ter sido prioridade durante os últimos 4 anos. Galli, enquanto esteve na liderança da bancada federal de Mato Grosso, ajudou a articular o repasse de mais de R$ 80 milhões em emendas parlamentares para esta área, principalmente para a compra de equipamentos para o novo Pronto-Socorro de Cuiabá, obra ainda não conclusa.

Segundo o deputado, no encontro com o governador, este apresentou um relatório de suas atividades à frente do Palácio Paiaguás e ainda criticou sua equipe de comunicação por não divulgar todos os trabalhos realizados.

Galli ainda destaca que quem irá decidir se o PSL irá coligar com outro candidato majoritário, em caso de desistência de Rossato, será o presidente nacional e deputado federal Jair Bolsonaro, tendo como parâmetro a escolha de alguém que siga a mesma linha do grupo. “Quem estaria mais próximo seria uma cabeça de chapa que não tenha na coligação o PT e o PC do B. Essa vai ser nossa bússola, se eles forem pra direita, nós vamos pra esquerda”, afirmou. 



// matérias relacionadas

Segunda, 18 de junho de 2018

11:52 - Sachetti fala em disputar no grupo Mauro e Jayme

Domingo, 17 de junho de 2018

08:58 - Pré-candidata Margareth Buzetti não se apega a cargo e quer destravar economia - vídeo

Sábado, 16 de junho de 2018

08:00 - Emanuel avalia que pré-candidatura de Mauro Mendes não muda cenário

Sexta, 15 de junho de 2018

18:53 - Taques rebate críticas, fala em fake news e dá recado

18:12 - Jayme e Mauro percorrem o interior em avião

16:33 - Casal que ajudou fundar a Rede pede desfiliação

Quinta, 14 de junho de 2018

12:05 - Juíza Selma Arruda enfrenta dificuldades na formação de chapa - veja vídeo

09:45 - Emanuel Pinheiro quer senador da baixada e diz que apoia Jayme Campos

Quarta, 13 de junho de 2018

16:45 - Pivetta mantém candidatura e não quer enfrentar Mendes, diz Viana

16:08 - Vídeos antigos contra Mendes voltam a circular


// leia também

Segunda, 18 de junho de 2018

18:12 - Auditor de carreira assume a Controladoria Geral do Estado

16:20 - Taques diz que vai cancelar escolta de Selma, mas nega ilegalidade

15:43 - CPI da Saúde terá vereadores da base do prefeito como relator e membro

13:30 - Selma Arruda ganha escolta de empresa de segurança privada

07:22 - Leitão corre atrás de assinaturas para diminuir deputados e senadores

07:15 - Emanuel quer base unida para eleição da Mesa Diretora na Câmara

Sábado, 16 de junho de 2018

15:15 - Gustavo de Oliveira descumpre estatuto da FIEMT e pode sofrer impugnação

11:17 - Ex-reitora da UFMT admite dificuldade na disputa ao Senado

10:51 - Vereador propõe que cargo de chefia só pode ser exercido por servidor efetivo

Sexta, 15 de junho de 2018

14:36 - Apenas duas empresas se interessam por licitação de R$ 11 bilhões