WhatsApp Twuitter

Segunda, 25 de junho de 2018, 07h06

pleito de 2018

Siglas miram em chapa majoritária nas eleições de 2018

Pablo Rodrigo, repórter de A Gazeta


Todo partido político busca o topo do poder, seja encabeçando a chapa majoritária ou fazendo parte da mesma. Em ano em que o Estado votará para governador e duas vezes para o Senado, três siglas buscam ter duas cadeiras em seu palanque. O PSDB, com o governador Pedro Taques (PSDB) para reeleição e deputado federal Nilson Leitão (PSDB), que quer disputar o Senado. Já o Democratas tentará eleger Mauro Mendes (DEM) para o Palácio Paiaguás e Jayme Campos para o Senado.

Marcus Vaillant

Sem encabeçar o projeto da oposição, o MDB já bateu o pé e quer indicar uma candidatura ao Senado e o vice do senador Wellington Fagundes (PR), pré-candidato ao governo de Mato Grosso.

Leia também - Ninguém quer ver bate boca de lavadeira, diz Jayme Campos

Para o analista político, professor João Edisom, essa exigência das siglas de oposição aumentou por conta do “fracasso de imagem do governador Pedro Taques”. “Muitos estão achando que qualquer um que disputar contra o governador vai conseguir derrotá-lo”, diz.

Porém, o professor acredita que muitos pré-candidatos ao senado acabarão recuando. “Alguns são dos mesmos setores e outros não têm expressão política ou o partido não tem musculatura. Então vão virar suplentes ou disputar um outro cargo”.

João Edisom também acredita que, das três legendas que buscam ter mais espaço na chapa majoritária, apenas os tucanos conseguirão manter as duas candidaturas. “Nilson leitão vai disputar o Senado porque do lado de lá não tem ninguém. Já o Taques está um pouco isolado”.

Gustavo Lima/Câmara dos Deputados

Em relação ao MDB, o analista acredita que a imposição de lançar o deputado federal Carlos Bezerra ao Senado seria um indicativo de que Bezerra estaria se aposentando da política. “O José Riva fez isso em 2014, ao tentar disputar o governo. Então o Bezerra, por conta da saúde, pode estar querendo sair de cena em grande estilo. Se ganhar se aposenta no Senado, se perder, saiu lutando”.

O MDB tenta indicar também o ex -prefeito de Sinop, Juarez Costa (MDB) para a vice na chapa de Fagundes. Porém, outros partidos como PP, PSD, PTB e PCdoB também querem indicar candidaturas majoritárias. Já o DEM, que vem empolgado com as últimas pesquisas onde Mauro e Jayme aparecem liderando vários cenários, seria uma “incógnita”.

O analista político lembra que ambos abandonaram a disputa eleitoral nas últimas eleições, mesmo com o quadro favorável para serem eleitos.

Jayme e Mauro vêm tentando consolidar o projeto de disputarem junto o pleito de 2018. Tanto que alguns partidos que estavam dialogando com o PR de Wellington Fagundes já estão sendo cooptados pelo DEM.



// matérias relacionadas

Quarta, 18 de julho de 2018

13:54 - Dinheiro vivo declarado na eleição será fiscalizado

Terça, 17 de julho de 2018

15:30 - Líder do PR diz que bancada está dividida entre Lula e Bolsonaro

11:22 - Marina lança site para arrecadar recursos e financiar campanha eleitoral

Segunda, 16 de julho de 2018

11:37 - MBL pede que TSE declare Lula inelegível antes de registro de candidatura

Domingo, 15 de julho de 2018

11:01 - Justiça manda governador Pedro Taques explicar gastos em reuniões com servidores

Sexta, 13 de julho de 2018

15:52 - Flávio Rocha desiste de candidatura à Presidência

14:29 - Marun diz que ano eleitoral influencia pauta do Congresso

Quinta, 12 de julho de 2018

13:38 - Collor volta a falar que é pré-candidato e que Lula é vítima de injustiça

Quarta, 11 de julho de 2018

14:37 - PRB mantém candidatura de Flávio Rocha e se diz 'usado' pelo 'Centrão'

Segunda, 09 de julho de 2018

17:00 - Datena desiste de candidatura ao Senado e volta à TV


// leia também

Sexta, 20 de julho de 2018

08:06 - Composição entre MDB e DEM não agrada as bases

08:00 - Eu não faço isso, diz governador sobre negociação entre DEM e MDB

07:51 - PSL de Selma é liberado para coligar com PSDB de Taques

Quinta, 19 de julho de 2018

11:18 - OAB, Mendes, Fávaro e MDB negam negociação por indicação e falam em ilação

08:15 - Pedro Taques compara corrupção no governo Silval e na sua gestão

07:12 - Apoio do MDB a Mauro Mendes envolve TCE, TJ e secretarias

Quarta, 18 de julho de 2018

15:41 - PSL veta PSDB e mais 8 siglas dificultando candidaturas de Selma e Galli - veja documento

13:55 - Disputado por todos, Adilton Sachetti diz que anunciará aliança na 2ª

09:35 - 'É o caminho natural', diz Galli sobre aliança com o governador Pedro Taques

07:48 - União de partidos considerados nanicos caminha para ruptura