WhatsApp Twuitter

Terça, 10 de julho de 2018, 10h10

DEFINIDO

Com aval de Kassab, Fávaro deve anunciar apoio a Mendes nesta semana

Pablo Rodrigo, repórter do GD


Divulgação/Assessoria

Com aval do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, o PSD em Mato Grosso deve anunciar ainda nesta semana o apoio oficial à candidatura do ex-prefeito Mauro Mendes (DEM) ao governo do Estado. O anúncio deverá ocorrer juntamente com a oficialização da pré-candidatura de Mendes ao Palácio Paiaguás.

Conforme o Gazeta Digital apurou, o aval foi dado na semana passada pelo próprio Kassab, que é presidente nacional da sigla, e foi um dos articuladores para que o marqueteiro do ex-prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB/SP), aceitasse a proposta para fazer a campanha de Fávaro ao Senado.

Leia também - Maggi confirma conversa e diz que Mauro será bom gestor

Com a maioria absoluta do diretório estadual da legenda, Fávaro não terá dificuldades em levar o PSD ao palanque do ex-aliado do governador Pedro Taques (PSDB). Mesmo os deputados estaduais da legenda, Gilmar Fabris, Nininho, Pedro Satélite e Wagner Ramos, que defendiam a reedição da aliança com o tucano, não farão resistência à decisão.

O movimento de Fávaro favorece ainda mais o seu nome na disputa por uma vaga na chapa de Mendes ao senado, já que o deputado federal Adilton Sachetti (PRB) também disputa a vaga. Fávaro ainda conta com os mais de 34 segundos que o PSD tem de tempo TV, contra 19 segundos do PRB.

Na próxima quinta-feira (12) o PSD nacional se reunirá para definir quem apoiar para a presidência da República. A tendência é que os peessedistas definam por caminharem com Geraldo Alckmin (PSDB/SP), mas, isso não interferiria no Estado, já que Mato Grosso não estaria na mesa de negociação do PSD.

Carlos Fávaro rompeu em definitivo com Taques no início de abril, quando renunciou ao cargo de vice-governador. Antes, a sigla já tinha declarado independência ao governo e entregado todos os cargos que tinham no governo.

A cartada final veio com a carta intitulada "Porque não apoiamos a reeleição de Pedro Taques", onde 33 ex-aliados do governador elencaram uma série de motivos para abandonar o tucano.

Outro ponto favorável a Fávaro, é que um dos seus padrinhos políticos, o megaempresário Eraí Maggi (PP), já comunicou ao governador que não participará deste pleito e nem financiará qualquer campanha. 



// matérias relacionadas

Sexta, 20 de julho de 2018

15:46 - Prazo para convenções partidárias vai até 5 de agosto; confira o calendário

14:49 - Juiz vê propaganda ilegal e manda Taques retirar posts do Facebook

10:40 - Apoio do PP a Alckmin não deve interferir em Mato Grosso, garante Ezequiel Fonseca

09:34 - DEM marca convenção para oficializar Mendes e Jayme

08:06 - Composição entre MDB e DEM não agrada as bases

08:00 - Eu não faço isso, diz governador sobre negociação entre DEM e MDB

07:51 - PSL de Selma é liberado para coligar com PSDB de Taques

Quinta, 19 de julho de 2018

11:18 - OAB, Mendes, Fávaro e MDB negam negociação por indicação e falam em ilação

07:12 - Apoio do MDB a Mauro Mendes envolve TCE, TJ e secretarias

Quarta, 18 de julho de 2018

15:41 - PSL veta PSDB e mais 8 siglas dificultando candidaturas de Selma e Galli - veja documento


// leia também

Sábado, 21 de julho de 2018

11:27 - Chapa de Taques para reeleição se define com Leitão, Sachetti e Selma

Quinta, 19 de julho de 2018

08:15 - Pedro Taques compara corrupção no governo Silval e na sua gestão

Quarta, 18 de julho de 2018

13:55 - Disputado por todos, Adilton Sachetti diz que anunciará aliança na 2ª

09:35 - 'É o caminho natural', diz Galli sobre aliança com o governador Pedro Taques

07:48 - União de partidos considerados nanicos caminha para ruptura

07:36 - Wellington Fagundes mantém candidatura de oposição

07:15 - Já tem político tentando me calar, afirma Taques

Terça, 17 de julho de 2018

16:20 - Taques diz que ex-aliados já o conheciam e terão que explicar rompimento

13:55 - Zé do Pátio assume coordenação da campanha de Pedro Taques

10:00 - MDB fecha com Mauro e 'culpa' Wellington Fagundes por mudança de palanque