WhatsApp Twuitter

Quinta, 12 de julho de 2018, 16h50

Não existe juiz na política, diz Nilson Leitão ao rebater Selma Arruda

Celly Silva e Pablo Rodrigo, repórteres do GD


Diante de restrições que a pré-candidata ao Senado, a juíza aposentada Selma Arruda (PSL), vem apresentando nas conversas para formação de chapa, como não se aliar a investigados ou processados por corrupção, o também pré-candidato ao Senado, deputado federal Nilson Leitão (PSDB), disse que “não existe juiz na política, existe político na política”, defendendo que a magistrada assuma postura de política.

Otmar de Oliveira

Deputado Nilson Leitão

“Ela agora é política, ela não é mais juíza. Como juíza, ela julga, na política, você não pode ficar julgando muito. Você tem que fazer política, conviver com os diferentes, compreender que tem uma regra pra ser candidato e todos os candidatos que passarem por essa regra não podem mais ser julgados por qualquer um que seja”, disse ao Gazeta Digital nesta quinta-feira (12).

Leia também - Galli pede que Selma Arruda não 'radicalize' restrições a políticos

Leitão ponderou que Selma é livre para ter suas convicções, mas também apontou seu direito em criticar. “A opinião dela em relação a comportamento e a caráter é um direito que ela tem, assim como eu tenho o direito de criticar quem eu quiser, se eu não concordar com aquele comportamento. O que não pode fazer é pré-julgamento”, cutucou, apontando que a postura da pré-candidata pode prejudicá-la na política.

Aliança

Questionado se não teria o receio de perder espaço para Selma Arruda, caso ela aceite o convite do governador Pedro Taques (PSDB) para compor uma aliança, já que ambos concorrem à mesma vaga, ou seja, uma cadeira no Senado, Nilson Leitão se mostrou pouco preocupado com a popularidade adquirida pela juíza aposentada, quando atuava no combate à corrupção.

Chico Ferreira

Juíza Selma Arruda

Leia também - Selma descarta aliança com PR e ameaça retirar candidatura ao Senado

“Não tenho veto a nenhum nome. Quem não tem competência não se estabelece. Eu sou candidato a senador pela minha história, pelos meus serviços prestados, pelo que eu já consegui ocupar de espaço no Congresso Nacional e hoje sou líder de uma bancada nacional que tem candidatura a presidente da República importante. E acho que só consigo me candidatar a alguma coisa em 2018 com a história do meu trabalho, do meu serviço prestado”, afirmou.

Confiante, o tucano asseverou que não tem que provar o que vai fazer, pois segundo ele, o mais importante é ser eleito. “Já fiz e vou continuar fazendo. E qualquer um pode compor essa chapa, eu não tenho nenhum problema em relação a isso. Eu não tenho que ser o principal ou o menos principal, eu tenho que ser o mais votado, apenas isso”.  



// matérias relacionadas

Sexta, 20 de julho de 2018

15:46 - Prazo para convenções partidárias vai até 5 de agosto; confira o calendário

14:49 - Juiz vê propaganda ilegal e manda Taques retirar posts do Facebook

10:40 - Apoio do PP a Alckmin não deve interferir em Mato Grosso, garante Ezequiel Fonseca

09:34 - DEM marca convenção para oficializar Mendes e Jayme

08:06 - Composição entre MDB e DEM não agrada as bases

08:00 - Eu não faço isso, diz governador sobre negociação entre DEM e MDB

07:51 - PSL de Selma é liberado para coligar com PSDB de Taques

Quinta, 19 de julho de 2018

11:18 - OAB, Mendes, Fávaro e MDB negam negociação por indicação e falam em ilação

07:12 - Apoio do MDB a Mauro Mendes envolve TCE, TJ e secretarias

Quarta, 18 de julho de 2018

15:41 - PSL veta PSDB e mais 8 siglas dificultando candidaturas de Selma e Galli - veja documento


// leia também

Quinta, 19 de julho de 2018

08:15 - Pedro Taques compara corrupção no governo Silval e na sua gestão

Quarta, 18 de julho de 2018

13:55 - Disputado por todos, Adilton Sachetti diz que anunciará aliança na 2ª

09:35 - 'É o caminho natural', diz Galli sobre aliança com o governador Pedro Taques

07:48 - União de partidos considerados nanicos caminha para ruptura

07:36 - Wellington Fagundes mantém candidatura de oposição

07:15 - Já tem político tentando me calar, afirma Taques

Terça, 17 de julho de 2018

16:20 - Taques diz que ex-aliados já o conheciam e terão que explicar rompimento

13:55 - Zé do Pátio assume coordenação da campanha de Pedro Taques

10:00 - MDB fecha com Mauro e 'culpa' Wellington Fagundes por mudança de palanque

09:16 - Ninguém consegue enganar tanta gente por muito tempo, diz Pivetta sobre governador