WhatsApp Twuitter

Segunda, 16 de abril de 2018, 10h50

Marcia Avelar

10 passos para conquistar a carreira dos sonhos

Marcia Alves de Avelar


Procurar emprego dá muito trabalho. Não só pelas dificuldades econômicas que enfrentamos, hoje em dia, mas porque o processo é desgastante, exigente e complexo. O candidato precisa entender bem o que busca para que esse emprego contribua para sua carreira. Quando se é jovem, e se está começando no mercado de trabalho, o candidato tem poucas pistas de para onde ir, por onde começar. A chave está em passos simples, mas bem pensados. É preciso se planejar, criar estratégias, partir para a ação com conhecimento. Por isso, listei algumas dicas para ajudar quem está ingressando nessa jornada.

1 - Aproveite os anos de estudo: Se você ainda está na faculdade, em um curso técnico ou outro curso que de alguma forma contribua para a sua formação profissional, aproveite esse momento. As instituições de ensino e professores geralmente possuem, ou indicam, materiais interessantes para ampliar seus conhecimentos. Se está com os estudos parados, volte imediatamente para esse ambiente. Mesmo que sejam cursos gratuitos, curtos ou online, as vantagens são muitas, em aprendizado e na ampliação do seu currículo.

2 - Pesquise onde quer estar: Inserir-se no mercado de trabalho é algo que começa muito antes de entrar em uma empresa. É preciso se inteirar sobre quais as melhores companhias do seu segmento, quem são os profissionais de destaque, o que eles fizeram, para onde o mercado está indo. Isso, inclusive, te possibilitará iniciar o famoso networking. Conhecer as empresas em que se quer estar, e seu mercado, é algo que te abrirá portas. Além disso, esse domínio de informação será valioso na hora das entrevistas. Todo esse processo começa com Google e LinkedIn, e não é um passo tão complexo quanto parece.

3 - Metas e medos: O início da carreia pode parecer assustador. Quando se é jovem no mercado de trabalho, o desemprego não pode ser encarado como um problema emocional, o que muitas vezes acontece. A carga é grande, mas o olhar deve se voltar à oportunidade, e não à insegurança. Assim, lembre-se que com um passo de cada vez, se chega longe. Comece e mantenha o otimismo. Todas as pessoas bem sucedidas passaram por isso. Estabeleça uma meta e trace seu caminho até ela, sem se deixar abater. Em alguns casos, profissionais como psicólogos podem ser úteis.

4 - O essencial networking: É importante começar a formação de uma rede de contatos interessante. Participe de grupos de discussão, leia artigos, interaja, crie laços. Pode ser com profissionais encontrados em suas pesquisas, com colegas de cursos, o importante é manter um diálogo aberto e fomentado. Você precisa começar a ser visto como um potencial por quem é mais experiente no mercado. Portas se abrirão, e no fim do dia você terá conquistado mais conhecimento para usar em seu favor.

5 - Uma juventude diferente: Um dos grandes problemas da realidade mercadológica brasileira é que não está muito em nossa cultura jovem se preocupar com a carreira. A atenção ao sucesso profissional é uma mentalidade recente no jovem brasileiro, que vem mudando, mas precisa mudar mais ainda. Os jovens não costumam dedicar tempo à fomentar sua carreira, abrindo mão de prazeres da juventude, como festas, sair com os amigos, etc. Alguns fazem isso por falta de necessidade financeira, outros por falta de dedicação e interesse. Eles aceitam o emprego que aparece, quando isso já não pode mais ser adiado. Não digo para abandonar a juventude. É preciso viver, mas também é necessário ter olhos no futuro e na carreira. Construa uma juventude diferente.

6 - Ajuda externa: Já pensou em ir a feiras de negócio? Conhecer as ramificações de sua carreira, conhecer pessoas e empresas? Tudo isso tem grande valor. Grandes ideias podem surgir ali, assim como bons direcionamentos para especializações. Só a formação não adianta. Elas não são abrangentes o bastante. O mercado é. Outro aspecto é que você pode se sentir inseguro para estabelecer os primeiros contatos, sobretudo quando se está presencialmente com essas empresas e profissionais. Existem profissionais que te ajudam a planejar esse contato, e até mesmo todo um processo de busca por colocação. Porém, mesmo sem eles, há muito material na internet sobre como se comportar em situações assim.

7 - Estágios e programas de trainee: Buscar estágios ou programas de trainee é sempre importante. É um meio de entrar no mercado com segurança e bem apoiado. Esse é o espaço para cometer os primeiros erros, e começar a se preparar para desafios mais complexos. Trabalhos voluntários também são bons para esse aspecto do trajeto.

8 - Serviços de busca de emprego: Existem “serviços” e serviços nesse caso. Ter acesso às vagas é importante, porém se aprende muito pouco sobre as empresas usando alguns sites mais comuns. As vagas muitas vezes são confidenciais, seu currículo pode não estar bem elaborado para aquele perfil, entre outros problemas. Sem contar que muitas vagas já não estão disponíveis, mas ainda constam no site. Alguns serviços mais especializados garantem a veracidade da vaga, permitem a pesquisa do candidato, e geralmente já contatam o candidato que se adequa à vaga. Se o candidato é bem qualificado, dificilmente ele espera muito por oportunidades de entrevista.

9 - Entrevistas: Após tudo que foi dito, com certeza você terá conteúdo para um bom diálogo em uma entrevista. É preciso mostrar iniciativa, conhecimento, chamar a atenção de maneira positiva. Claro que também não é preciso falar demais. A ansiedade é o maior opressor e faz com que muitas vezes a pessoa trave e não consiga se mostrar, deixando o recrutador com dúvidas. Erros comuns são comunicação indevida, muitas vezes falando errado, uso excessivo do gerúndio, gírias e vocabulários inadequados. Mesmo tendo conteúdo, o ideal é falar menos, mas com propriedade, devagar, pensar em possíveis exemplos, enfatizar os resultados. Assim, o diálogo ocorre claro.

10 - Currículo: Esse é o ponto mais estratégico. É necessário cuidado com as informações, erros de português, dados incorretos e, o pior: mentiras para “encher o espaço”. Além disso, nem sempre apostar nos padrões é uma saída segura. Muitas vezes, ser criativo, dentro de certo limites, faz bem. A criatividade é muito valorizada dentro das empresas, mas o documento não pode deixar de informar o que o entrevistador precisa saber. Ser ousado é diferente de fazer algo que prejudique sua imagem. Tome cuidado.

Seguindo esses passos, com certeza sua jornada será muito mais fácil, e com frutos muito gratificantes. Construir a carreira dos sonhos dá trabalho, mas é recompensador. Boa sorte na sua jornada.

Marcia Avelar é Diretora de DHO da NVH Talentos Humanos, uma empresa do Grupo NVH. 



// leia também

Sexta, 20 de abril de 2018

00:00 - E-commerce e os pequenos

00:00 - Eleições e crise

00:00 - Compliance, ferramenta na gestão

00:00 - Direitos dos povos tradicionais

00:00 - O que parece e o que é

Quinta, 19 de abril de 2018

16:14 - Não tenha medo de colocar o dedo na ferida

01:00 - Superar medos e realizar sonhos

01:00 - Antigos garimpos e empregos

01:00 - Execuções fiscais e recuperação judicial

01:00 - O mundo pós-emprego