WhatsApp Twuitter

Sábado, 13 de janeiro de 2018, 15h19

pra ninguém ficar parado

Projeto Zouk na Praça abre temporada 2018 para os amantes da dança de salão

Welington Sabino, editor do GD


Divulgação

Já pensou em participar de uma atividade que faz bem ao corpo, à mente, ajuda na coordenação motora, queima calorias, permite conhecer novas pessoas e fazer amizades dando adeus à solidão e ao tédio que às vezes surge nas tardes e noites de domingo e ainda contribui com a preservação e manutenção de um espaço público de Cuiabá? Pois saiba que isso é totalmente possível e com um detalhe interessante: é gratuito.

Para quem ainda não sabe, estamos falando do Zouk na Praça, um projeto idealizado por professores de diferentes academias e estúdios de dança da Capital e de Várzea Grande que aos domingos emprestam seus talentos e conhecimentos sobre a dança de salão. Mais do que isso, compartilham a paixão, o prazer, a magia, leveza e sensualidade proporcionadas pelos movimentos do Zouk com outros amantes da dança. Não importa que sejam pessoas já conhecedoras do ritmo ou quem nunca dançou, mas que tem curiosidade e vontade de aprender, todos são bem vindos. 

Para quem já conhece o projeto ou ficou interessado, a temporada 2018 do Zouk na Praça começa neste domingo (14) no mesmo local de sempre: o coreto da Praça 8 de abril bem ao lado do tradicional restaurante Choppão. É a partir das 20h, basta chegar e participar. E pra quem não sabe o que é o zouk, é só dar o play no vídeo abaixo e assistir um pouquinho da magia e sensualidade da dança nascida nas Antilhas Francesas cujos passos são semelhantes aos da lambada, mas com ritmo mais lento, acompanhando a batida da música.

                  

O projeto surgiu há cerca de 9 anos inicialmente com o nome de Zouk Club fundado pelo professor e dançarino Souza Souker juntamente com Carlos Bastos, o Carlão. Dois anos depois, sob nova coordenação e direção, foi rebatizado como Zouk na Praça. Frequentador do projeto há vários anos, o professor Elias Rodrigues é um dos integrantes do grupo e está a frente do projeto desde novembro de 2017.

Divulgação

Os encontros ocorrem todos os domingos sempre com professores voluntários. “A ideia do projeto é realizar aulas na praça para não deixar o ritmo morrer já que não toca nas baladas convencionais de boates e casas noturnas da Capital”, explica Elias.

“E também para ter um lugar ativo para a galera que gosta do Zouk se encontrar, dançar e socializar fazendo amizade. Dali surgem muitos amigos, grupos de viagens, trilheiros. Tem casais que já se conheceram nos encontros de dança na praça e estão juntos há anos. Uma das vantagens do Zouk na Praça é fugir da rotina, da solidão e confraternizar momentos bons com pessoas que gostam de dançar”, complementa Rodrigues.

A Praça 8 de Abril é um local estratégico e de fácil acesso às pessoas interessadas em conhecer e participar dos encontros dançantes. Apesar de a Prefeitura de Cuiabá não investir no local, os frequentadores cuidam, limpam e providenciam iluminação. A cada encontro, um grupo se une para limpar e organizar o espaço para receber os participantes aos domingos.

Divulgação

O professor de dança Elias Rodrigues e a dançarina e também professora, Ana Mayara

“A intenção para este ano é proporcionar momentos de alegria e descontração para quem está sozinho em casa aos finais de semana. Como tem gente que se encontra na solidão e às vezes até depressivas, o Zouk na Praça é uma boa pedida, uma forma de combater isso. Venha para o Zouk na Praça, venha dançar com a gente pois aqui você faz amizade e não ficará mais sozinho”, convida Rodrigues.

Geralmente, nos encontros aos domingos, um casal de professores ministra uma aula de 30 minutos ensinando a base da dança que são passos e movimentos básicos para quem está tendo os primeiros contatos com o ritmo. Depois, os participantes colocam em prática o que aprenderam. Neste domingo, a aula será ministrada pela professora de dança, Suhmara Untar, às 20h.

Outros ritmos e apoio em ações sociais

Divulgação

Outros ritmos de dança de salão também têm vez no projeto Zouk na Praça, como, por exemplo, o Kizomba. Também aos domingos, entre 18h e 20h, integrantes do Grupo DKMT de Kizomba, participam dos encontros e ministram aulas no espaço há 2 anos.

Juntos, trabalharam em 2017 com a temática de apoio e prevenção ao câncer de mama e de próstata apoiando os movimentos Outubro Rosa e Novembro Azul. Os participantes do Zouk na Praça também já se apresentaram no Lar dos Idosos, na festa do Hospital de Câncer, Mc Dia Feliz, entre outros eventos, levando entretenimento aos participantes e pacientes desses locais.

Divulgação

A professora Suhmara Untar abre a temporada 2018 do Zouk na Praça neste domingo (14 de janeiro)

No encerramento das atividades em dezembro, a última edição reuniu diversos grupos de dança com direito a Zouk, lambadão, axé, sertanejo, kizomba, dança afro dentro outros estilos. Mais informações, fotos e vídeos dos encontros estão disponíveis na página do Zouk na Praça no Facebook.

 

 

 

 

 

 

 

Fotos: Divulgação

 

 

 

 



// matérias relacionadas

Domingo, 20 de maio de 2018

08:15 - Workzouk reúne grandes nomes do Zouk para troca de experiências


// leia também

Terça, 17 de julho de 2018

17:18 - Motorista dorme ao volante e carro segue desgovernado

16:59 - Onça ataca e mata cão em Corumbá

16:54 - Espírito sai de mulher morta no hospital

Sexta, 13 de julho de 2018

13:52 - Nova temporada Cuyaverá Voz e violão com Felipe Viana

Quinta, 12 de julho de 2018

10:49 - Nas telonas, diversão e muita ação - confira a programação do cinema

Domingo, 08 de julho de 2018

00:47 - Jota Quest encerra o 33º Festival de Inverno com show acústico

Sábado, 07 de julho de 2018

11:50 - Grupo Cena Livre de Teatro lança festival em seu terceiro ano

10:00 - Mineiros do mundo no palco do Festival de Inverno

00:19 - Barão Vermelho transforma Festival de Inverno em noite de clássicos do Rock

Sexta, 06 de julho de 2018

09:00 - Barão Vermelho sobe a serra com sucessos na bagagem