WhatsApp Twuitter

Quarta, 07 de fevereiro de 2018, 17h30

Juros longos reduzem queda e fecham perto da estabilidade, após acordo nos EUA


A poucos minutos do fim da sessão regular, os juros futuros de longo prazo reduziram a queda mostrada ao longo do dia e fecharam perto da estabilidade, em linha com a aceleração do avanço do rendimento dos Treasuries e do dólar. Este movimento, por sua vez, ocorreu depois da informação de que os líderes bipartidários no Congresso do Estados Unidos anunciaram acordo de 2 anos para o orçamento, o pode evitar a paralisação da máquina administrativa. Em dia de decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), as taxas de médio e curto prazo fecharam em ligeira queda nesta quarta-feira, 7, com alguns investidores apostando na continuação do ciclo de baixa da Selic em março.

A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2019 fechou em 6,805%, ante 6,830% no ajuste anterior, e a do DI para janeiro de 2020 passou de 8,07% para 8,05%. O DI para janeiro de 2021 encerrou com taxa de 8,87%, de 8,91%. A taxa do DI para janeiro de 2023 terminou em 9,57%, de 9,59%, e a do DI para janeiro de 2025 em 9,91%, de 9,92%.

No período da tarde desta quarta-feira, nos Estados Unidos, os líderes no Senado dos partidos Republicano, Mitch McConnell, e Democrata, Chuck Schumer, apresentaram acordo orçamentário de dois anos de cerca de US$ 400 bilhões que vai destinar recursos ao Pentágono e programas sociais do governo. Caso seja aprovado pelos legisladores, o pacto vai evitar a paralisação do governo. s 16h28, o dólar à vista subia 1,15%, aos R$ 3,2801, e o yield da T-Note de dez anos projetava 2,838%, de 2,796% no fim da tarde de terça-feira.

Na maior parte do dia, contudo, os juros futuros de longo prazo estiveram em queda moderada, ainda sob a percepção que prevalecia desde a terça nos mercados de que o movimento de correção das bolsas na noite de segunda-feira havia sido exagerado.

Quanto ao Copom, as apostas seguem cravadas num corte da taxa de 7,00% para 6,75% no período da noite e o mercado aguarda qual será a sinalização para a reunião de março. O cenário-base para março é de manutenção da taxa, em especial após a turbulência recente nos mercados. Até por isso, alguns players estão vendo oportunidade de ganho caso os diretores indiquem haver ainda algum espaço para alívio na reunião do mês que vem. 



// matérias relacionadas

Sábado, 18 de agosto de 2018

13:45 - Consumidores estão pessimistas com economia do país

Segunda, 13 de agosto de 2018

14:34 - Profissionais da indústria 4.0 terão melhor remuneração, diz ministro

Sexta, 10 de agosto de 2018

14:33 - Vendas do comércio varejista caem em junho, diz IBGE

Quarta, 08 de agosto de 2018

18:00 - Mercado adota cautela e dólar à vista fecha perto da estabilidade

Segunda, 06 de agosto de 2018

19:00 - Juros futuros fecham com viés de queda, descolados da pressão do câmbio

14:02 - Investidor com mais de 66 anos ainda domina metade da Bolsa

Quarta, 01 de agosto de 2018

19:30 - Dólar começa agosto em leve alta em meio à cautela com cenário político

14:30 - Litro do leite ficou R$ 1,45 mais caro desde o começo do ano

Terça, 31 de julho de 2018

17:34 - Juros longos fecham em alta com cautela antes de Fed e avanço do dólar

14:14 - Faturamento da indústria de máquinas sobe 13,1% em junho


// leia também

Sábado, 18 de agosto de 2018

14:11 - Arrecadação de ICMS sobe 12,7%

13:30 - BNDES terá novo procedimento para análise de crédito

09:37 - Indústria acelera importações em 2018

09:15 - Petrobras ataca plano da ANP para diesel

Sexta, 17 de agosto de 2018

18:19 - Banco Inter confirma vazamento de dados de clientes na internet

17:01 - Petrobras diz que terá prejuízo se importar diesel com metodologia do governo

11:48 - Petrobras reduz preços da gasolina nas refinarias a partir de sábado

08:36 - Preço do aluguel aumenta em 0,67% na segunda prévia de agosto em 2018

Quinta, 16 de agosto de 2018

14:58 - Fontes renováveis responderam por quase 88% da energia gerada em junho

14:37 - Petrobras anuncia que gasolina nas refinarias terá alta de 0,5%