WhatsApp Twuitter

Segunda, 16 de abril de 2018, 13h13

1º trimestre deste ano

Caixa, Santander e BB lideram ranking de reclamações contra bancos


A Caixa Econômica Federal, o Santander e o Banco do Brasil são as instituições que aparecem na liderança do mais recente Ranking de Instituições por Œndice de Reclamações, divulgado nesta segunda-feira, 16, pelo Banco Central. No topo do ranking, referente ao primeiro trimestre de 2018, está a Caixa, com índice de reclamações de 27,62. Nesta lista, são consideradas as instituições com mais de 4 milhões de clientes.

Pela metodologia do BC, este índice é calculado com base no número de reclamações consideradas procedentes, dividido pelo número total de clientes do banco e multiplicado por um fator fixo (1.000.000). No caso da Caixa, foram 2.444 reclamações consideradas procedentes no primeiro trimestre, numa base total de 88.470.270 clientes.

Na segunda posição entre os bancos que foram alvos de reclamações aparece o Santander, com índice de 25,66 (1.038 reclamações procedentes e 40.441.975 clientes). Na terceira posição do ranking está o Banco do Brasil, com índice de 24,20, resultado de 1.504 reclamações procedentes numa base de 62.141.375 clientes.

Na sequência do ranking, ainda considerando os bancos e as financeiras com mais de 4 milhões de clientes, aparecem Bradesco (índice de 20,05), Itaú (14,58), Banrisul (12,21), Votorantim (6,38), Pernambucanas (3,79), Midway (3,50) e Banco do Nordeste (0,46).

Instituições menores

O ranking do BC indica ainda que, entre as instituições financeiras com menos de 4 milhões de clientes, o campeão de reclamações é o BRB, com índice de 311,77. Na sequência aparecem Safra (73,56) e Intermedium (67,59).

Reclamações

Entre os assuntos que mais motivam reclamações por parte dos clientes, o campeão é o item ‘irregularidades relativas a integridade, confiabilidade, segurança, sigilo e legitimidade das operações e serviços, exceto as relacionadas a cartão de crédito, cartão de débito, internet banking e ATM‘.

Ao todo, de acordo com o BC, este assunto gerou 1.300 reclamações com indícios de descumprimento das regras em vigor.

Na sequência dos assuntos mais reclamados aparecem ‘oferta ou prestação de informação a respeito de produtos e serviços de forma inadequada‘ e, em seguida, ‘irregularidades relativas a integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade das operações e serviços relacionados a cartões de crédito‘.



// matérias relacionadas

Terça, 17 de abril de 2018

13:12 - Quatro bancos concentram 78,5% do crédito no país

Terça, 27 de março de 2018

09:07 - Caixa fecha 2017 com lucro recorde de R$ 12,5 bi, 202,6% superior ao de 2016

Sexta, 09 de março de 2018

11:31 - Cheque especial vai ter nova fórmula

Quarta, 28 de fevereiro de 2018

16:52 - Clientes do Santander relatam pane no sistema do banco

Quinta, 22 de fevereiro de 2018

13:33 - Previsão do Banco do Brasil é crescimento de 2,8% do PIB em 2018

Quarta, 14 de fevereiro de 2018

10:54 - Bancos de Cuiabá e VG deixam clientes na mão

09:29 - Bancos reabrem ao meio-dia; contas que venceram no carnaval podem ser pagas hoje

Sexta, 26 de janeiro de 2018

09:10 - Indicações políticas ainda predominam em bancos oficiais

Quarta, 24 de janeiro de 2018

08:47 - Conselho da Caixa destitui três vice-presidentes afastados e um volta ao cargo

Sábado, 13 de janeiro de 2018

09:35 - BNDES acerta devolução de R$ 130 bilhões ao Tesouro Nacional


// leia também

Sábado, 21 de abril de 2018

11:31 - Presidente da ANFAC destaca função social das factorings

08:58 - Entenda quando é possível fazer pedido de revisão da aposentadoria

08:55 - O que muda com o fim da Medida Provisória da reforma trabalhista?

Sexta, 20 de abril de 2018

13:59 - Brasil terá perda de 30% nas exportações de frango para a Europa

13:54 - Brasil abre 56 mil vagas de trabalho com carteira assinada em março

10:07 - Governo abre processo contra Oi Móvel por infrações ao consumidor

09:55 - Liberar FGTS teria impacto de R$ 25 bilhões

08:16 - Ampliar saque do PIS/Pasep está dentro de projeção, diz Dyogo Oliveira

Quinta, 19 de abril de 2018

17:30 - PIB deve crescer 3% em 2018 e 3% em 2019, mesmo sem reformas

17:06 - Construção corta 2,3 mil vagas de trabalho em fevereiro