WhatsApp Twuitter

Terça, 15 de maio de 2018, 14h21

sem orçamento

Não haverá renegociação de dívida rural com bancos, diz Guardia


O ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, confirmou nesta terça-feira, 15, que não há orçamento para a renegociação de dívidas rurais com os bancos. ‘Não temos previsão no orçamento para renegociação dessas dívidas‘, disse o ministro, ao deixar reunião no Tribunal de Contas da União (TCU) e ser questionado sobre o pedido do governo para que os bancos públicos não renegociem dívida que entraram no bojo da lei do Funrural aprovada no Congresso.

Segundo informou o Broadcast (serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado), sem dinheiro em caixa, o governo determinou que os bancos públicos não renegociem dívidas de produtores rurais, beneficiados pela aprovação no Congresso de uma lei que lhes concede descontos de até 95% no saldo devedor. Esses descontos terão de ser bancados pelo Tesouro Nacional, mas não há previsão no Orçamento para isso.

Segundo apurou a reportagem, o custo total para o Tesouro poderia chegar a R$ 17 bilhões, caso todos os produtores renegociassem as dívidas.

A possibilidade de renegociação desses débitos, incluindo parcelas não vencidas, foi incluída na Lei 13.606, que criou o Refis do Funrural - uma espécie de contribuição previdenciária dos produtores rurais. A lei foi aprovada com uma série de artigos que permitiram a renegociação também de dívidas com bancos públicos, sem relação com o Funrural.

O presidente Michel Temer vetou as benesses. Mas, em abril, o Congresso derrubou todos os vetos, com apoio até mesmo de lideranças da base governista, na maior derrota para a equipe econômica em 2018. Agora, essa conta teria de ser paga pelo Tesouro Nacional.

O Ministério da Fazenda, porém, enviou comunicado aos bancos para proibir a renegociação, já que não há previsão no Orçamento para bancar a ‘bondade‘, segundo confirmou nesta terça o ministro Guardia.

O texto diz que o Tesouro não reconhecerá essas operações até que tenha sido aprovado no Congresso orçamento para pagar os custos dos subsídios. 



// matérias relacionadas

Terça, 22 de maio de 2018

18:30 - Além do BB, Bradesco também avalia pagamento à vista a poupadores por planos

14:22 - Cai o número de endividados no Brasil

Sexta, 18 de maio de 2018

17:15 - Governo estuda baratear preço do combustível, diz Moreira Franco

Quinta, 17 de maio de 2018

14:54 - Mercado projeta déficit de R$ 138,5 bilhões nas contas públicas

Quinta, 10 de maio de 2018

14:30 - Mais de 40% da população adulta brasileira está inadimplente, diz SPC

Domingo, 06 de maio de 2018

09:10 - Prazo para motoristas com deficiência pedirem isenção cai para 3 dias

Quinta, 03 de maio de 2018

15:37 - Transações financeiras por aplicativos cresceram 70% em 2017

Quarta, 02 de maio de 2018

17:20 - Venda total de veículos novos sobe 38,5% em abril ante abril de 2017

15:17 - Supermercados registram crescimento nas vendas no primeiro trimestre

Quinta, 19 de abril de 2018

17:06 - Construção corta 2,3 mil vagas de trabalho em fevereiro


// leia também

Terça, 22 de maio de 2018

16:46 - Governo vai zerar Cide sobre a gasolina e o diesel, diz Rodrigo Maia

15:49 - Junho deve ter bandeira tarifária amarela, prevê diretor da Aneel

15:21 - Brasileiros apostam em inflação de 5,3% para os próximos 12 meses

15:00 - Governo reduz estimativa de crescimento para 2,5% em 2018

10:42 - Petrobras vai manter política de repasse de preços, diz presidente

10:22 - Altas de dólar e combustíveis ainda têm efeito pequeno sobre inflação

Segunda, 21 de maio de 2018

19:00 - Dólar está em queda, após intervenção reforçada do Banco Central

17:35 - Santander pagará à vista indenizações por perdas em planos econômicos

16:05 - Entenda a alta nos combustíveis e o protesto dos caminhoneiros

15:00 - Mercado aumenta estimativa de inflação para 3,5%, este ano