WhatsApp Twuitter

Quinta, 07 de junho de 2018, 12h12

Acordo com caminhoneiros enfrenta resistências e pode parar na Justiça


Menos de uma semana após seu lançamento, o pacote do governo para encerrar a greve dos caminhoneiros está ameaçado, por desagradar a outros setores e recorrer a medidas consideradas inconstitucionais. Se sobreviver e for implementado, ainda corre o risco de ser desmontado nos tribunais.

No Planalto, os auxiliares mais próximos do presidente Michel Temer temem pelo futuro das negociações, feitas sob pressão. E há grande preocupação com uma nova paralisação, apesar de agora o movimento não contar mais com o apoio das transportadoras. O medo é em relação aos grupos mais radicais de caminhoneiros autônomos.

Mas, para o ministro dos Transportes, Valter Casimiro, o acordo continua, porque o governo está cumprindo o que prometeu. Segundo ele, o Ministério dos Transportes mantém um ‘fórum permanente‘ para tratar do tema e não houve ameaça pelos caminhoneiros de retorno à paralisação nas estradas.

Dúvidas

O governo recuou na quarta-feira, 6, da medida de maior visibilidade do pacote, o desconto de R$ 0,46 no litro do diesel. Em entrevista à rádio CBN, o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, admitiu que o corte será menor: R$ 0,41. O argumento é que o desconto só incide sobre o diesel, mas o que é comercializado nos postos contém 10% de biocombustíveis, sobre o qual não houve corte. O raciocínio, porém, é refutado pela Aprobio, a associação dos produtores de biodiesel, que diz que o corte prometido se refere ao produto na saída da refinaria.

Além disso, após prometer o uso do ‘poder de polícia‘ para garantir o repasse do desconto aos consumidores nos postos, o governo passou a admitir, internamente, que as multas aplicadas pelos Procons podem virar alvo de batalha na Justiça, já que o preço dos combustíveis é livre. ‘Se multar, a Justiça derruba no dia seguinte‘, disse Arthur Rollo, ex-secretário Nacional do Consumidor.

Uma fonte do Palácio do Planalto avaliou na quarta-feira que o governo perdeu o controle sobre outra questão que gerou grande pressão durante a paralisação: a periodicidade dos reajustes. Depois de muitas declarações desencontradas e do pedido de demissão de Pedro Parente da Petrobrás, a questão foi entregue à Agência Nacional de Petróleo (ANP), para uma consulta pública. Para esse interlocutor do presidente Temer, agora só resta ‘ficar na torcida‘.

A tabela do frete mínimo, outra antiga reivindicação dos caminhoneiros atendida, está em revisão por pressão do agronegócio. No Planalto, há temor em contrariar um lado ou outro da disputa. A avaliação, além disso, é que o tabelamento é inconstitucional, porque fere o princípio da livre concorrência. Por isso, entidades empresariais consideram derrubar a tabela nos tribunais, se não ficarem satisfeitas com a revisão.

Outra medida adotada e que gera dor de cabeça é a isenção de pedágio sobre os eixos suspensos de caminhões vazios nas rodovias concedidas por Estados e municípios. As concessionárias deixaram de cobrar o pedágio, mas vão ficar com um buraco nas contas. E vão pedir medidas para reequilibrar seus contratos. A isenção do pedágio, determinada pelo governo federal sobre concessões que são de outras esferas de governo, também pode ter sua constitucionalidade questionada.  



// matérias relacionadas

Quinta, 09 de agosto de 2018

13:31 - CNA protocola aditamento à ação no Supremo contra tabela de frete

10:17 - Temer sanciona MP do Frete e veta anistia às multas da paralisação de maio

Sexta, 03 de agosto de 2018

16:34 - Produtores avaliam ter frota própria para fugir da tabela de fretes

Segunda, 30 de julho de 2018

14:54 - Empresários aproveitam presença de Temer na Fiesp para cobrar medidas

Terça, 24 de julho de 2018

11:56 - Greve dos caminhoneiros impactou IPI, que caiu 14,28% em junho

Segunda, 16 de julho de 2018

20:08 - Governo de SP prepara ação contra a União por greve dos caminhoneiros

Sexta, 13 de julho de 2018

09:57 - Setor de serviços tem queda em maio devido à greve dos caminhoneiros

Quinta, 12 de julho de 2018

20:30 - AGU recomendará veto a anistia de multas por paralisação de caminhoneiro

14:07 - Greve dos caminhoneiros prejudica comércio varejista em maio, diz IBGE

Domingo, 08 de julho de 2018

09:27 - Efeito da greve dos caminhoneiros nos preços deve se dissipar este mês


// leia também

Quarta, 15 de agosto de 2018

10:04 - Prévia da economia brasileira sobe 3,29% em junho ante maio

09:34 - Imposto de Renda 2018: Receita paga 3º lote de restituições nesta quarta-feira

Terça, 14 de agosto de 2018

14:35 - Trabalhador com deficiência poderá usar FGTS para compra de prótese e órtese

14:29 - FGTS vai liberar R$ 6,23 bi para trabalhadores a partir de hoje

13:20 - Receita publica instrução sobre recurso contra exclusão de Refis

11:19 - Álvaro Dias propõe reforma da Previdência com recurso de privatizações em contas

08:50 - Aposentados começam a receber este mês 1º parcela do décimo terceiro

Segunda, 13 de agosto de 2018

14:45 - Saques para cotistas do PIS/Pasep começam nesta terça

14:34 - Profissionais da indústria 4.0 terão melhor remuneração, diz ministro

09:53 - Segurados convocados têm até hoje para agendar perícia médica