WhatsApp Twuitter

Sábado, 09 de junho de 2018, 12h00

CBF se aproxima do Catar para incrementar patrocínios da Copa América


A decisão dos organizadores da Copa América de 2019 no Brasil de convidar o Catar para participar do torneio não tem qualquer relação com o futebol. O objetivo da CBF e da Conmebol em ter a seleção do país do Golfo é a de abrir portas para que pesados investimentos do Catar desembarquem no futebol sul-americano, em especial na Copa América.

Para 2019, a Conmebol e a CBF decidiram convidar Japão e Catar para o torneio e esperavam ainda ter a participação de México e Estados Unidos. Os norte-americanos não aceitaram, o que levou a competição a ter um número menor de equipes e de sedes que o planejado originalmente.

Na condição de anonimato, um dos principais dirigentes envolvidos no processo admite que a estratégia é a de conseguir que, a partir do Catar, empresas do país passem a ser aliados. Outro objetivo é o de conseguir que emissoras do Catar, como a BeIN, possam vender os direitos de transmissão em diversos mercados do mundo.

Parte do obstáculo em levantar mais dinheiro é a herança ainda dos contratos negociados pela empresa Datisa, acusada de corrupção pela Justiça norte-americana. O Estadoapurou que ela já havia revendido os direitos de transmissão para cerca de 70 mercados diferentes, o que obriga agora a Conmebol a cumprir os acordos.

Muitos deles, porém, estão abaixo dos níveis de mercado e mesmo inferior ao que a Premier League obtém com uma só partida de futebol, em termos de transmissões.

Polêmico

As relações entre a América do Sul e o Catar, porém, foram permeadas por polêmicas nos últimos anos. Um amistoso disputado por Brasil e Argentina no Catar em 2010 é considerado como um indício de irregularidade da campanha do país do Golfo para receber a Copa de 2022. Na época, os presidentes das duas federações sul-americanas eram os eleitores do Conselho de Fifa e ambos votaram pelo Catar.

A suspeita da Justiça americana é de que a partida foi usada como instrumento para desviar propinas, em troca dos votos. O Catar nega qualquer irregularidade. Mas mesmo uma investigação conduzida pela Fifa sugeriu que países que são candidatos devem evitar organizar amistosos de seleções que são potenciais eleitores. 



// matérias relacionadas

Sábado, 23 de junho de 2018

13:30 - Com titulares poupados, seleção faz treino leve após vitória sobre a Costa Rica

Domingo, 17 de junho de 2018

15:56 - Cuiabanos assistem estreia do Brasil em bares e praças da capital

15:33 - No Jardim Peri, amigos de Gabriel Jesus acompanham estreia do Brasil

13:49 - Memes já tomam conta da internet em estreia do Brasil na Copa

10:37 - Tite define Marcelo como capitão da seleção na estreia contra Suíça

Quarta, 13 de junho de 2018

15:33 - Rio decreta ponto facultativo em dias de jogos do Brasil

14:53 - Premiação na Rússia é dez vezes maior do que foi a do penta

09:26 - Às vésperas da Copa, Hierro vai ser treinador da Espanha

Terça, 12 de junho de 2018

20:00 - Brasil está preparado para ser campeão na Copa, diz furacão Jairzinho

15:34 - Entenda o dilema que Tite tem que resolver até a estreia


// leia também

Segunda, 25 de junho de 2018

08:57 - Tite deve mudar escalação da seleção brasileira para jogo contra a Sérvia

08:00 - Domingo tem gol inédito e classificados definidos no Grupo G

Domingo, 24 de junho de 2018

17:00 - Equatoriano Rojas já se diz ansioso para estrear pelo São Paulo

12:00 - Após revolta dos jogadores, Argentina decide manter o técnico Sampaoli

11:22 - Seleção faz treino fechado sem os lesionados Danilo e Douglas Costa

09:55 - Com 3 gols do artilheiro Harry Kane, Inglaterra goleia Panamá por 6 a 1

08:37 - Contundidos, Danilo e Douglas Costa estão fora do jogo contra a Sérvia

Sábado, 23 de junho de 2018

16:14 - Alemanha bate Suécia com gol no último lance e continua viva na Copa

14:30 - Garantida na fase final, seleção masculina bate a Polônia na Liga das Nações

12:57 - México bate a Coreia do Sul por 2 a 1 e fica perto de vaga nas oitavas