WhatsApp Twuitter

Segunda, 19 de junho de 2017, 14h05

segundo Acnur

Número de refugiados no Brasil aumentou quase 10% no último ano


REUTERS/Kenny Karpov/

65,6 milhões de pessoas foram forçadas a se deslocar de suas nações de origem em 2016, de acordo com a Acnur

Considerado o maior levantamento sobre deslocamentos no mundo, o mais recente relatório do Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados), divulgado nesta segunda-feira (19), aponta que o número de refugiados no Brasil saltou de 8.863 em 2016 para 9.689 em 2017. O aumento é de 9,31%. Fora os refugiados reconhecidos, o País abriga hoje 35.464 solicitantes de asilo.

No mundo, 65,6 milhões de pessoas foram forçadas a se deslocar de suas nações de origem no último ano — o maior número de refugiados já registrado na história. Mais da metade deles saíram da Síria, do Afeganistão e do Sudão do Sul — sendo que 51% são crianças e adolescentes com menos de 18 anos de idade. Desses, cerca de 75 mil viajaram sozinhos ou separados de seus pais. Os países que mais concederam asilo foram Turquia, Paquistão, Líbano, Irã, Uganda e Etiópia.

A organização ainda registrou, ao fim do ano passado, que 40,3 milhões de pessoas foram forçadas a se deslocar dentro de seus próprios países. A Síria, o Iraque e “o ainda expressivo deslocamento dentro da Colômbia foram as situações de maior movimento interno. Esse tipo de deslocamento representa quase dois terços dos deslocamentos forçados em todo o mundo”, acrescenta a organização.

O relatório diz também que, em 2016, 2,8 milhões de pessoas pediram formalmente refúgio em outros países. Para o Acnur, os números indicam a necessidade de consolidar mecanismos de proteção para essas pessoas e de suporte para países e comunidades que apoiam refugiados e outras pessoas deslocadas.

“O retorno de refugiados e deslocados internos para as suas casas, em conjunto com outras soluções como reassentamento em outros países, significou melhores condições de vidas para muitas pessoas no ano passado. No total, cerca de 37 países aceitaram 189.300 refugiados para reassentamento. Cerca de meio milhão de refugiados tiveram a oportunidade de voltar para seus países, e aproximadamente 6,5 milhões de deslocados internos regressaram para suas regiões de origem – embora muitos deles em circunstâncias abaixo do ideal e com um futuro incerto”, afirma a organização. 



// leia também

Domingo, 22 de abril de 2018

15:30 - Governo sírio ataca para evacuar membros do Estado Islâmico

14:00 - Coreia do Norte pode libertar americanos detidos no país

11:43 - Número de mortos em atentado em Cabul sobe para 48

09:43 - China recebem bem interesse dos EUA de negociar

09:19 - Começa eleição geral no Paraguai

Sábado, 21 de abril de 2018

16:30 - Principal aliada da Coreia do Norte, China exalta suspensão nuclear

13:30 - Membro do Hamas é morto na Malásia, um dia após ameaça de Israel

12:30 - Rebeldes sírios deixam mais três cidades e governo assume regiões

09:34 - FBI oferece recompensa de US$ 1 mi por jornalista desaparecido na Síria

09:30 - Síria - EUA abandonaram Raqqa após vitória na cidade, dizem moradores