WhatsApp Twuitter

Sexta, 12 de janeiro de 2018, 14h07

mundo

Trump nega ter chamado Haiti e países africanos de 'buracos de merda'


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta sexta-feira (12) ter utilizado "uma linguagem dura" na sua conversa com senadores sobre a lei migratória, mas negou ter se referido a El Salvador, Haiti e a países africanos como "buracos de merda".

Reprodução

"A linguagem utilizada por mim na reunião do DACA foi dura, mas essa não foi a linguagem empregada. O que foi realmente duro foi a extravagante proposta feita, um grande passo atrás para o DACA", escreveu o presidente americano em sua conta do Twitter, ao comentar o Programa de Ação Diferida (DACA), que protege jovens imigrantes chegados aos EUA quando crianças.

Segundo informou quinta-feira (11) o jornal The Washington Post, Trump classificou El Salvador, Haiti e vários países africanos como "buracos de merda", e sugeriu que preferiria receber nos Estados Unidos mais imigrantes da Noruega, o que provocou uma nova onda de indignação e acusações de racismo.

Em outra mensagem no Twitter, Trump reforçou que quer "um sistema migratório baseado no mérito e gente que ajudará a levar nosso país ao próximo nível".

"Quero segurança para nossa gente. Quero deter a entrada em massa de drogas", acrescentou Trump, reiterando assim a necessidade do muro fronteiriço com o México.

De acordo com o Post, que cita fontes presentes na reunião, Trump teria questionado os legisladores sobre "por que temos toda esta gente de países (que são um) buraco de merda vindo aqui?".

O presidente americano teria reagido assim quando dois senadores lhe apresentaram um projeto de lei que outorgaria vistos a alguns dos cidadãos de países que foram retirados recentemente do programa de Status de Proteção Temporária (TPS), como El Salvador, Haiti, Nicarágua e Sudão. 



// matérias relacionadas

Sábado, 20 de janeiro de 2018

12:30 - Paralisação do governo federal americano é incomum, mas não inédita

11:49 - Trump completa um ano de Casa Branca com o governo paralisado

Sexta, 19 de janeiro de 2018

13:44 - Suprema Corte decidirá sobre programa que protege imigrante ilegal

Quinta, 18 de janeiro de 2018

14:44 - Democratas querem paralisar governo para encobrir reforma tributária, diz Trump

Quarta, 17 de janeiro de 2018

15:31 - Gigantes da internet depõem sobre terrorismo no Congresso dos EUA

Terça, 16 de janeiro de 2018

16:03 - Liberdades civis diminuem há 12 anos no mundo, aponta relatório

Quinta, 11 de janeiro de 2018

14:55 - França, Reino Unido e Alemanha pedem que Trump não abandone acordo do Irã

Terça, 09 de janeiro de 2018

16:30 - Desejo ter o apoio bipartidário para a lei de imigração, diz Trump

Segunda, 08 de janeiro de 2018

16:16 - Incêndio deixa ao menos 2 feridos na Trump Tower em Nova York

15:04 - EUA cancelam visto temporário a 250 mil salvadorenhos que vivem no país


// leia também

Sábado, 20 de janeiro de 2018

16:30 - Chef francês Paul Bocuse morre aos 91 anos

14:30 - Macron diz que Reino Unido não pode manter acesso à UE se não aceitar regras

14:00 - Sevilla derrota Espanyol, sobe na tabela e já ameaça o Real Madrid

10:21 - Índia diz que Paquistão fez novos ataques na Caxemira

10:03 - Governo efetiva extradição e Guilherme Longo retorna ao Brasil

Sexta, 19 de janeiro de 2018

19:45 - Papa denuncia opressão de indígenas da Amazônia por interesses econômicos

16:46 - Presidente destituído da Catalunha insiste em governar de Bruxelas

11:46 - Ex-líder da Catalunha diz que pode governar a partir da Bélgica

09:52 - Angolano diz que processará governos do Brasil e de Portugal por humilhação

09:34 - Pesquisa no Google ajuda homem condenado a provar sua inocência