WhatsApp Twuitter

Sexta, 12 de janeiro de 2018, 16h26

não se sente apto

Embaixador dos EUA no Panamá renuncia após declaração de Trump

Ansa


O embaixador dos Estados Unidos no Panamá, John Feeley, renunciou ao cargo após a revelação de que Donald Trump chamou países da América Central e da África de "buracos de merda".

Em sua carta de demissão, publicada pela "Reuters", Feeley diz que não se sente mais "apto" a servir o governo do republicano.

Divulgação

"Fiz um juramento de servir fielmente o presidente e sua administração de maneira apolítica, mesmo quando não concordasse com certas políticas. Meus superiores deixaram claro que, se eu acreditasse que não pudesse fazer isso, poderia renunciar. Essa hora chegou", disse o embaixador.

Um porta-voz do Departamento de Estado dos EUA confirmou a renuncia de Feeley, "por motivos pessoais". Ele deve ficar no cargo apenas até 9 de março. O diplomata havia sido nomeado por Barack Obama, em janeiro de 2016.

Na última quinta-feira (11), o jornal "The Washington Post" revelou que Trump usara, em uma reunião com congressistas republicanos e democratas sobre a lei de imigração, palavras de baixo calão para se referir a haitianos, salvadorenhos e africanos que chegam ao país.

"Por que todas essas pessoas desses países de m... vêm parar aqui?", teria dito o magnata, acrescentando que os EUA estariam em situação melhor se atraíssem "noruegueses". No Twitter, Trump confirmou que usou uma linguagem "dura", mas negou as informações publicadas pelo "Washington Post". 



// matérias relacionadas

Quarta, 20 de junho de 2018

11:14 - Ex-presidente do Panamá Ricardo Martinelli cumprirá pena em uma penitenciária

Terça, 30 de maio de 2017

10:55 - Ex-ditador do Panamá, Manuel Noriega morre aos 83 anos


// leia também

Quarta, 20 de junho de 2018

15:24 - Proposta para encerrar separação de famílias imgirantes irá a voto nos EUA

15:00 - Homem tenta espantar cobra e coloca fogo na própria casa na Finlândia

10:36 - Jornalista dos EUA chora ao vivo ao noticiar separação de crianças dos pais

Terça, 19 de junho de 2018

19:30 - Líder republicano diz apoiar lei que deixa famílias imigrantes juntas nos EUA

14:29 - Merkel e Macron se unem por orçamento do euro e combate à imigração ilegal

14:16 - Tailândia cumpre primeira pena de morte em nove anos

13:30 - Crime cresce na Alemanha desde que país passou a aceitar imigrantes, diz Trump

12:00 - Temer vincula impopularidade à crise de governos passados

09:36 - Norte-americanos têm dificuldade para diferenciar fatos de opiniões

09:28 - Separadas dos pais nos EUA, crianças dormem no chão em gaiolas de metal