WhatsApp Twuitter

Sexta, 19 de janeiro de 2018, 16h46

governo catalão

Presidente destituído da Catalunha insiste em governar de Bruxelas


O presidente destituído da Catalunha, Carles Puigdemont, declarou hoje (19), em entrevista à Catalunha Rádio, que é possível governar a distância, graças às novas tecnologias.

"Entre ser presidente e ser presidiário, prefiro ser presidente, porque acredito que assim posso servir melhor à Catalunha", afirmou Puigdemont, que está autoexilado na Bélgica desde o final de outubro do ano passado, quando o governo espanhol o destituiu e suspendeu temporariamente a autonomia da região.

Até o momento, Puigdemont não tem intenções de voltar à Espanha já que, no país, pesa contra ele uma investigação por crimes de rebelião e desvio de verbas públicas. Caso vá para a Espanha, será imediatamente preso.

A candidatura de Puigdemont para reassumir o cargo de presidente da Generalitat (governo catalão) a distância é controversa. O primeiro-ministro, Mariano Rajoy, e políticos catalães contra o separatismo já declararam que recorrerão ao Tribunal Constitucional caso o Parlamento aceite a posse de Puigdemont.

O partido do ex-presidente - Juntos pela Catalunha (JuntsxCAT) - analisa duas opções de posse a distância: ou delegando seu discurso a outro deputado, ou por skype.

Ao ser questionado sobre a possibilidade de exercer um governo efetivo estando em outro país, Puigdemont afirmou que segue em constante contato com seus ex-conselheiros em Barcelona e que os grandes projetos empresariais e de investigação hoje em dia são comandados por meio das novas tecnologias.

Puigdemont reconheceu que essa não é a situação ideal, mas defendeu que pior seria governar na Espanha, pois teria que fazê-lo estando preso.

"Espero poder me reunir o quanto antes com Roger Torrent (o novo presidente do Parlamento, eleito na última quarta-feira). A primeira e a segunda autoridade do país devem se reunir para falar sobre a posse. O encontro deveria acontecer no Parlamento ou na Generalitat em circunstâncias normais, mas a reunião obviamente só poderá ocorrer em Bruxelas", disse.



// matérias relacionadas

Sábado, 16 de junho de 2018

18:00 - Casos de corrupção expõem autoridades da Espanha e de Portugal

Quarta, 06 de junho de 2018

10:56 - Espanha terá ministro astronauta e anúncio faz sucesso nas redes sociais

Terça, 05 de junho de 2018

15:22 - Após ser derrubado na Espanha, Rajoy abandona vida política

Sábado, 02 de junho de 2018

16:00 - Socialistas assumem o poder na Espanha

Sexta, 18 de maio de 2018

11:53 - Espanha diz que brasileiros acusados de terrorismo tinham contatos na Síria

Terça, 15 de maio de 2018

09:59 - Polícia francesa prende suspeitos de ligação com atentado em Barcelona

Segunda, 14 de maio de 2018

10:38 - Na Espanha, Assembleia da Catalunha elege novo líder separatista

Domingo, 06 de maio de 2018

10:30 - Espanha resgata 476 imigrantes em travessia no Mediterrâneo em dois dias

Segunda, 30 de abril de 2018

14:42 - Messi celebra título do Espanhol e valoriza campanha invicta do Barcelona

Quarta, 11 de abril de 2018

17:00 - Brasileiro é condenado por terrorismo na Espanha


// leia também

Sexta, 22 de junho de 2018

12:30 - Não podemos deixar nosso país ser tomado por imigrantes ilegais, diz Trump

11:33 - Trump pede que republicanos não gastem tempo com imigração

10:37 - EUA têm 500 brasileiros presos por imigração ilegal e alvos de deportação

Quinta, 21 de junho de 2018

19:30 - Ministro diz que medida de Trump que separa pais e filhos imigrantes é cruel

15:37 - Brasileiros separados da família nos EUA não voltam tão cedo ao país

15:25 - Trump pede a agências que tentem reunir famílias de imigrantes

10:45 - ONU e Rússia apelam a EUA que reconsiderem saída de Conselho

10:32 - Coreia do Sul - tribunal decide que matar cães para consumo é ilegal

Quarta, 20 de junho de 2018

15:24 - Proposta para encerrar separação de famílias imgirantes irá a voto nos EUA

15:00 - Homem tenta espantar cobra e coloca fogo na própria casa na Finlândia