WhatsApp Twuitter

Quinta, 12 de abril de 2018, 15h17

mundo

Rússia avisa que há risco de guerra se EUA atacarem a Síria


O embaixador russo na ONU, Vasyl Nebenzia, alertou nesta quinta-feira (12) que há risco de guerra entre seu país e os Estados Unidos se a Casa Branca decidir lançar um ataque contra a Síria.

Arquivo Pessoal

"Não podemos excluir nenhuma possibilidade, infelizmente, porque vimos mensagens saindo de Washington que são muito belicosas", afirmou o embaixador a jornalistas na sede da ONU, em Nova York. A informação é da EFE.

Para o diplomata russo, a prioridade imediata é evitar o risco de guerra. Por isso, ele pediu que os EUA e seus aliados não utilizem a força contra a Síria.

Perguntado se essa guerra pode colocar os americanos contra os russos em uma guerra direta, Nebenzia disse que a hipótese não pode ser descartada porque há militares russos na Síria e existe um grande risco de escalada do conflito.

"Eles sabem que estamos lá. Eu gostaria que tivesse diálogo pelos canais apropriados para evitar qualquer acontecimento perigoso. A situação é muito perigosa e queremos deixar isso claro", disse Nebenzia ao término de uma reunião no Conselho de Segurança das Nações Unidas.

O encontro foi convocado pela Bolívia para discutir as ameaças feitas ontem pelo presidente dos EUA, Donald Trump, que ontem avisou à Rússia para se preparar para o lançamento de mísseis contra a Síria, em represália por um suposto ataque químico na cidade de Duma na semana passada.

Os EUA acusam o regime do presidente da Síria, Bashar al Assad, aliado do Kremlin, de ser responsável pelo ataque.

Nebenzia defendeu hoje que a mera ameaça de um ataque por parte dos Estados Unidos é uma "clara violação" da Carta da ONU. "Esperamos que haja um ponto de retorno e que os EUA e seus aliados desistam de uma ação militar contra um Estado soberano", indicou.

O embaixador russo nas Nações Unidas disse ainda que seu país pediu uma nova reunião do Conselho de Segurança para analisar com o secretário-geral da ONU, António Guterres, as tensões na Síria. Ainda não há data para o encontro, mas Nebenzia acredita que ele será realizado em breve. 



// matérias relacionadas

Sábado, 21 de abril de 2018

12:30 - Rebeldes sírios deixam mais três cidades e governo assume regiões

09:34 - FBI oferece recompensa de US$ 1 mi por jornalista desaparecido na Síria

09:30 - Síria - EUA abandonaram Raqqa após vitória na cidade, dizem moradores

Terça, 17 de abril de 2018

09:09 - Ofensiva na Síria foi resposta necessária a ataque com armas químicas, diz G-7

Segunda, 16 de abril de 2018

13:05 - Ações militares na Síria foram tomadas como último recurso, diz Theresa May

10:38 - Ministro russo diz que inspetores não podem acessar a Síria sem permissão da ONU

Domingo, 15 de abril de 2018

15:30 - Ministro do Irã condena ataques de EUA, Reino Unido e França à Síria

14:00 - Após ataques aéreos, Assad lança nova ofensiva contra rebeldes na Síria

10:36 - TV estatal da Síria diz que 5 mil soldados foram enviados a Douma, após ataque

Sábado, 14 de abril de 2018

11:38 - Líderes europeus mostram apoio a ataque contra Síria


// leia também

Sábado, 21 de abril de 2018

13:30 - Membro do Hamas é morto na Malásia, um dia após ameaça de Israel

Sexta, 20 de abril de 2018

18:30 - Democratas processam campanha de Trump, seu filho, genro, Rússia e Wikileaks

15:40 - Cambojano mata ex-mulher e transmite seu suicídio no Facebook

15:20 - Anotações de Comey mostram que Trump falou com ele sobre prostitutas russas

09:43 - Kim cede em exigências para se desarmar, diz presidente da Coreia do Sul

Quinta, 19 de abril de 2018

20:00 - Díaz-Canel promete continuidade ao assumir como presidente de Cuba

15:59 - Youtuber chinês pode ir para a prisão por pegadinha com morador de rua

15:22 - Suspeito dos ataques de 11 de setembro é detido na Síria

10:22 - Coreia do Norte busca desnuclearização, diz líder sul-coreano

10:18 - Trump deixa em aberto possibilidade de abandonar reunião com líder norte-coreano