WhatsApp Twuitter

Segunda, 16 de abril de 2018, 08h23

Líderes pedem garantias de que eleição na Venezuela seja justa


 Os chefes de Estado e de Governo do Grupo de Lima, formado por 14 países das Américas que se opõem politicamente à administração de Nicolás Maduro, além do primeiro ministro das Bahamas e do vice-presidente dos Estados Unidos, divulgaram uma declaração conjunta na noite de sábado (14), em Lima, ao final da Cúpula das Américas, em que manifestam preocupação com “o agravamento da crise política, econômica, social e humanitária” da Venezuela.

O grupo de Lima é composto por Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Guiana, Honduras, México, Panamá, Paraguai, Peru e Santa Lúcia.

No comunicado, os países fazem um chamamento “urgente” ao governo venezuelano para que as próximas eleições presidenciais, previstas para o dia 20 de maio, tenham as “garantias necessárias para um processo livre, justo, transparente e democrático, sem presos políticos, que inclua a participação de todos os atores políticos venezuelanos” e dizem que o resultado das eleições não terá legitimidade e credibilidade se essas condições não forem respeitadas.

Os chefes de Estado e de Governo também reforçaram o pedido já feito ao governo venezuelano para que permita a entrada de ajuda humanitária no país e convidam “organismos especializados, agências, fundos e programas do Sistema das Nações Unidas e da OEA” a iniciarem de “maneira imediata” um programa de assistência humanitária “para aliviar a situação de sofrimento e escassez sofrida pelo povo da Venezuela” em decorrência da crise de abastecimento no país, especialmente alimentos e remédios.

A declaração também encoraja membros da comunidade internacional “a apoiar os esforços e decisões dos países da região, a fim de contribuir para o restabelecimento da democracia na Venezuela”.

No texto, os países reafirmam seu apoio à Assembleia Nacional da Venezuela e dizem que “os atos jurídicos que conforme à sua Constituição requeiram autorização da mencionada assembleia somente serão reconhecidos quando esta os tiver aprovado”.



// matérias relacionadas

Segunda, 25 de junho de 2018

09:27 - Eurodeputados virão ao Brasil avaliar situação de venezuelanos

Segunda, 18 de junho de 2018

15:51 - Líderes do Mercosul assinam declaração para pressionar a Venezuela

Segunda, 04 de junho de 2018

13:27 - Estados Unidos pedem suspensão da Venezuela da OEA

Quinta, 24 de maio de 2018

19:12 - Contestado, Maduro toma posse para novo mandato na Venezuela

Quarta, 23 de maio de 2018

10:14 - Funcionários públicos relatam ameaças por não terem votado na Venezuela

Segunda, 21 de maio de 2018

16:09 - Maduro convoca todos que participaram da eleição a montar 'agenda construtiva

10:33 - Brasil e mais 13 países não reconhecem resultado das eleições na Venezuela

09:36 - Maduro vence eleição em que menos da metade votou; opositor denuncia fraude

Domingo, 20 de maio de 2018

10:10 - Venezuela escolhe presidente em meio a crise e boicote da oposição

Sábado, 19 de maio de 2018

13:30 - Países latino-americanos contestam Maduro e dizem ter recebido 1,5mi de migrantes


// leia também

Sexta, 20 de julho de 2018

17:42 - Advogado grava Trump discutindo suborno para modelo da Playboy

13:55 - Menina de 10 anos sangra até a morte após sofrer mutilação genital na Somália

10:20 - Governo dos Estados Unidos devolve 364 crianças imigrantes detidas aos pais

09:41 - 'Estamos prontos a impor tarifa sobre todas as importações da China', diz Trump

Quinta, 19 de julho de 2018

19:00 - Ossos em sarcófago no Egito são de guerreiros e não de Alexandre Magno

16:09 - Russa presa por espionagem nos EUA ofereceu sexo em plano secreto

15:46 - Homem é acusado de roubar carro da crush para sair com outra

11:58 - Trump critica multa da UE ao Google e diz que bloco 'se aproveita dos EUA'

11:47 - Israel aprova lei que define o país como 'Estado-nação do povo judeu'

Quarta, 18 de julho de 2018

20:30 - Jovens do Reino Unido preferem passar mais tempo na internet do que fazer sexo