WhatsApp Twuitter

Terça, 12 de junho de 2018, 08h21

Mundo

Trump e Kim Jong-un selam acordo de desnuclearização das Coreias


A reunião histórica entre o presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, terminou com a assinatura de um acordo de total desnuclearização da península coreana e cooperação entre os dois países.

O documento, assinado em Cingapura, por volta das 2h30 (horário de Brasília) desta terça-feira (12), prevê ainda que os EUA garantam medidas de segurança para a Coreia do Norte e que os países se comprometam a recuperar restos mortais de prisioneiros de guerra, bem como a imediata repatriação de corpos já identificados.

Reprodução/internet

Apesar de não terem revelado muitos detalhes do acordo, ambos os presidentes mostraram satisfação com o resultado da reunião. "O mundo verá uma grande mudança", disse Kim Jong-un. Trump, por sua vez, elogiou o esforço diplomático dos dois países e garantiu que as consequências do acordo selado neste encontro começarão a ser vistas "muito rapidamente".

Durante um breve passeio após o almoço, Trump afirmou que a reunião foi "melhor que o esperado". O presidente norte-americano fez questão de convidar Kim Jong-un para visitar à Casa Branca e garantiu que este encontro foi apenas o primeiro de muitos outros que virão.

Até pouco tempo atrás inimaginável, a reunião foi preparada com a premissa básica de definir o fim do programa de armas nucleares da Coreia do Norte.

Esta reunião foi a primeira entre líderes dos dois países após 70 anos de tensões por causa da guerra entre as Coreias.

Primeira conversa

Reprodução/internet

Logo após o aperto de mão, com a ajuda de tradutores, os dois líderes se cumprimentaram oficialmente. Trump disse a Kim: "É uma honra para mim. Vamos ter uma relação incrível, não tenho dúvida".

Em seguida, o norte-coreano respondeu: "Os antigos preconceitos funcionaram como obstáculos no nosso caminho, mas ultrapassamos todos eles e estamos aqui hoje".

Sem agenda

Nem mesmo a duração deste encontro inicial foi divulgada. Eles entraram em uma sala para uma reunião particular, só com tradutores. A preparação para a cerimônia se encerrou pouco antes do aperto de mãos. Autoridades de ambos os países negociaram intensamente alguns detalhes que ainda travavam um entendimento.

Sem protocolos

Sempre avesso a protocolos, Trump organizou a visita de uma maneira nunca antes vista na diplomacia internacional, com pouquíssima preparação prévia e dispensando até relatórios, como nenhum outro presidente norte-americano fez antes. No lugar disso, ele priorizou o encontro a sós que terá com Kim, logo no início da cúpula.

"Eu acredito que em um minuto, vou saber se ele está falando sério sobre a desnuclearização. Vou sentir isso, é o que eu faço. Acho que vou saber bem rapidamente se algo bom irá acontecer", disse o norte-americano em uma entrevista coletiva no último sábado, durante o encontro do G7 em Quebec (Canadá).

Passado de hostilidades

Reprodução/internet

Até o início do ano, ambos os países mantinham uma postura hostil, em função de testes nucleares realizados pela Coreia do Norte, país que sempre se mostrou fechada como dinastia familiar, na qual o poder centralizado passa de pai para filho.

Somente o gesto inicial de Kim, aceito por Trump, desfez as rusgas decorrentes de constantes trocas de acusações e ameaças mútuas, que pautavam esse clima de discórdia. O gesto de Kim foi se mostrar disposto a suspender os testes nucleares e a dialogar com a Coreia do Sul.

A disposição se tornou concreta com a suspensão dos testes e com a realização de outro encontro histórico, de Kim com o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, em 27 de abril último. A conversa foi uma espécie de preparativo para a reunião entre Kim e Trump.

 



// matérias relacionadas

Quarta, 13 de junho de 2018

09:47 - Após se reunir com Kim, Trump diz que todos podem se sentir mais seguros

Terça, 12 de junho de 2018

11:13 - Ponto a ponto - como foi a cúpula histórica entre Trump e Kim Jong-un

08:40 - Presidente sul-coreano se emociona ao ver cúpula e parabeniza líderes

Domingo, 10 de junho de 2018

12:00 - Trump jogará sua cartada mais alta em cúpula com Kim Jong-un

09:24 - Trump chega a Cingapura para encontro com norte-coreano Kim Jong Un na terça

08:49 - Kim Jong Un chega a Cingapura para encontro com Trump

Segunda, 04 de junho de 2018

11:03 - Kim Jon-un se organiza para o encontro com Trump

Sexta, 25 de maio de 2018

10:12 - Coreia do Norte reagiu bem ao cancelamento de reunião, disse Donald Trump

Quinta, 24 de maio de 2018

09:50 - Coreia do Norte cumpre e detona local onde testes nucleares eram realizados

Quarta, 23 de maio de 2018

10:35 - Fim do programa nuclear da Coreia do Norte é prioridade de segurança, diz Pompeo


// leia também

Quinta, 21 de junho de 2018

15:37 - Brasileiros separados da família nos EUA não voltam tão cedo ao país

15:25 - Trump pede a agências que tentem reunir famílias de imigrantes

10:45 - ONU e Rússia apelam a EUA que reconsiderem saída de Conselho

10:32 - Coreia do Sul - tribunal decide que matar cães para consumo é ilegal

Quarta, 20 de junho de 2018

15:24 - Proposta para encerrar separação de famílias imgirantes irá a voto nos EUA

15:00 - Homem tenta espantar cobra e coloca fogo na própria casa na Finlândia

11:14 - Ex-presidente do Panamá Ricardo Martinelli cumprirá pena em uma penitenciária

10:36 - Jornalista dos EUA chora ao vivo ao noticiar separação de crianças dos pais

Terça, 19 de junho de 2018

19:30 - Líder republicano diz apoiar lei que deixa famílias imigrantes juntas nos EUA

14:29 - Merkel e Macron se unem por orçamento do euro e combate à imigração ilegal