WhatsApp Twuitter

Sábado, 09 de junho de 2018, 16h00

Facebook veiculará programas jornalísticos em serviço de vídeo


O Facebook anunciou nesta semana que vai passar a veicular programas jornalísticos de algumas emissoras no seu serviço de vídeo chamado Watchá(assista, em inglês). Os noticiários serão produzidos exclusivamente para o Facebook por emissoras importantes nos Estados Unidos, como ABC, CNN e Univision.

O serviço de vídeos foi lançado em outubro de 2017 como uma estratégia da empresa de entrar no mercado de vídeo online, já que o principal concorrente da plataforma, a Google, é líder neste segmento com o YouTube. O foco é a veiculação de séries e outros programas na forma de capítulos. O serviço ainda não está disponível no Brasil.

Vão ser disponibilizados no canal de vídeos os programas Anderson Cooper Full Circle, da CNN, Fox News Update, da Fox, On Location,áda ABC, e uma revista audiovisual voltada ao público hispânico. Os conteúdos serão exclusivos e direcionados para a audiência da plataforma.

Diretores do Facebook disseram em entrevistas a veículos especializados que a iniciativa é uma forma de promover conteúdos de qualidade e de referência para os usuários, uma forma também de responder às críticas sobre o papel da plataforma na divulgação das chamadas notícias falsas (fake news).

O anúncio é um marco importante. Até agora, a despeito das diversas funcionalidades que oferece, o Facebookáé uma rede social que serve de espaço para a circulação de textos, imagens e vídeos de terceiros. Com essa iniciativa, mesmo que ainda em parceria, passa a ser promotora de conteúdos próprios, tornando-se também uma empresa de mídia.

Na avaliação do pesquisador do Programa de Pós-Graduação do Departamento de Ciências da Informação da Universidade Federal do Rioáde JaneiroáJoão Carlos Caribé, a iniciativa dará mais poder à plataforma, que já temámais de 2 bilhões de usuários, e podeáteráefeitos importantes sobre o debate público.

‘O Facebook faz um movimento de trazer para dentro de si cada vez mais tipos de serviços, agora a produção noticiosa. Como a companhia tem acesso a dados dos usuários, isso pode ser usado para a elaboração de notícias e personalizar os conteúdos, o que pode estimular as chamadas bolhas ideológicas‘, disse. 



// matérias relacionadas

Terça, 22 de maio de 2018

18:30 - Facebook esclarece poucas dúvidas e repete discurso na Europa

Quarta, 18 de abril de 2018

14:54 - Após escândalo de vazamento de dados, Facebook anuncia mudanças

Terça, 17 de abril de 2018

15:06 - Facebook admite que coleta dados de quem não usa a rede social

Sexta, 13 de abril de 2018

19:04 - Procon-SP notifica Facebook por uso ilícito de dados de 443 mil brasileiros

Quarta, 11 de abril de 2018

19:00 - Facebook libera ferramenta que revoga acesso de aplicativos de terceiros

15:41 - Meus dados também foram obtidos pela Cambridge Analytica, diz Zuckerberg

Terça, 10 de abril de 2018

16:12 - Presidente do Facebook admite falha na proteção de dados dos usuários

10:18 - Presidente do Facebook fala no Congresso dos EUA sobre vazamento de dados

Quinta, 05 de abril de 2018

15:56 - Mais de 443 mil brasileiros também tiveram dados do Facebook vazados

12:08 - Austrália investiga Facebook por uso indevido de dados pessoais


// leia também

Terça, 19 de junho de 2018

14:32 - Governo federal reconhece situação de emergência em 184 cidades

14:05 - ProUni oferece 174 mil vagas; inscrições começam dia 26

13:00 - PF apreende 1,5 tonelada de cocaína no Porto de Salvador

10:46 - Chacina deixa sete mortos em Viamão, no RS

10:17 - Universidades federais têm menos de 1% de intercambistas estrangeiros

09:20 - Raiva humana já deixou pelo menos 12 mortos no PA; São Paulo está em alerta

Segunda, 18 de junho de 2018

18:43 - Conselheiro do TCE nega ligação com morte de Marielle

17:45 - Inscrições para prêmio mundial em educação estão abertas

16:57 - PF apreende droga dentro de páginas de catálogo de moda

16:12 - Anvisa suspende venda de fraldas da marca Huggies Turma da Mônica